Humanos mudam os ecossistemas com fogo há quase 100 mil anos

(dr) Jason Houston / The Nature Conservancy

Queimada controlada em terreno agrícola, Willamette Valley, Oregon (Estados Unidos)

Um novo estudo mostra que os humanos têm mudado o ambiente em que vivem recorrendo ao fogo há pelo menos 92 mil anos.

Ao chegar a novas terras, os humanos usaram o fogo para as mudar de acordo com as suas necessidades. A chamada “firestick farming” (agricultura com bastões de fogo), por exemplo, transformou a paisagem da Austrália e da América do Norte, criando ambientes mais adequados para caçar e reduzir a probabilidade de grandes incêndios.

Há muito que os antropólogos estão a tentar determinar quando é que esta técnica foi dominada e, em particular, se precedeu a expansão da Humanidade para fora de África. A grande dificuldade é que, milhares de anos depois, as mudanças provocadas por estes incêndios são semelhantes às provocadas pelos raios.

Felizmente, conta o site IFLScience, Jessica Thompson, professora assistente de Antropologia da Universidade de Yale, encontrou um sinal distinto nos sedimentos à volta da margem do lago Malawi, um dos maiores de África.

Ao longo de 600 mil anos, estes sedimentos revelam mudanças na abundância e diversidade de pólen, à medida que a vida das plantas mais próximas mudou com as mudanças do clima. Nos sedimento relativos há cerca de 92 mil anos, Thompson encontrou um aumento na deposição de carvão, indicando incêndios mais frequentes na área de influência do lago.

National Library of Australia

Aborígenes em queimada controlada (quadro de Joseph Lycett, 1817). O termo “firestick farming foi cunhado em 1969 pelo arqueólogo australiano Rhys Jones para descrever a prática aborígene de usar fogo para controlar a vegetação.

Essa mudança pode ter várias causas, mas, segundo reporta a investigadora e o resto da equipa no estudo publicado, a 5 de maio, na revista científica Science Advances, coincide com um declínio na riqueza do pólen.

“O pólen que vemos neste período mais recente de clima estável é muito diferente do que antes. Especificamente, árvores que indicam copas florestais densas e estruturalmente complexas deixam de ser comuns e são substituídas por pólen de plantas que lidam bem com incêndios e perturbações frequentes”, explicou Thompson, citada pelo site EurekAlert!.

Também foram depositados mais sedimentos nessa época, juntamente com mais artefactos feitos pelo Homem. Isto porque com as terras altas menos cobertas por florestas, as fortes chuvas trouxeram mais terra consigo, às vezes acompanhadas por objetos que os nossos ancestrais fizeram.

Segundo o mesmo site, estas mudanças não coincidiram com as novas condições climáticas. O lago Malawi encolheu drasticamente durante os períodos de seca, mas manteve-se cheio nesta época.

“De uma forma ou de outra, é causado pela atividade humana“, disse a investigadora.

O que não sabemos é se as mudanças foram deliberadas, ou não. Talvez um aumento na densidade das populações humanas na área tenha significado mais fogueiras, o que por sua vez levou a mais fugas e a incendiar as florestas próximas. No entanto, os utilizadores do fogo quase de certeza beneficiaram com isto, criando um ecossistema mais atraente para grandes presas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Sonho que se tornou pesadelo". Fernando Santos admite mudanças no onze

O selecionador Fernando Santos disse hoje que Portugal vai carimbar a passagem aos ‘oitavos’ de final do Euro2020 e admite fazer mudanças na equipa para o encontro da derradeira jornada do Grupo F, com a …

Cientistas descobriram dois novos tipos de células cerebrais em ratos

Cientistas descobriram dois novos tipos de células gliais, um tipo de células do sistema nervoso central que dá suporte ao cérebro, em ratos. De acordo com o site EurekAlert!, investigadores da Universidade de Basileia, na Suíça, …

As bactérias intestinais podem influenciar a gravidade de um AVC

Uma equipa de investigadores da Cleveland Clinic, nos Estados Unidos, descobriu uma nova associação cérebro-intestino que está a surpreender a comunidade científica. Os resultados do estudo mostram como um metabólito produzido por bactérias intestinais pode amplificar …

O icónico Tamagotchi está de volta, mas desta vez em forma de smartwatch

No ano em que se celebram os 25 anos do Tamagotchi, surge uma nova versão do icónico brinquedo. O Smart é um Tamagotchi na forma de um relógio inteligente, para se usar no pulso. O …

Rã com olhos vermelhos descoberta no Equador. Chama-se Led Zeppelin

Os seus olhos vermelhos cativaram os investigadores, que decidiram batizar de Led Zeppelin uma nova espécie de rã terrestre descoberta no Equador. A Pristimantis ledzeppelin foi descoberta pelos equatorianos David Brito e Carolina Reyes, cientistas do …

Itália 1 - 0 País de Gales | “Azzurri” vencem mas galeses apuram-se

Imparável! Com o apuramento para os “oitavos” já no bolso, a Itália entrou em campo com nada mais, nada menos do que oito mexidas em relação à equipa que tinha iniciado o último jogo, frente …

Casa de banho do século XII encontrada em bar de tapas em Sevilha

Recentemente, um grupo de trabalhadores encontrou uma casa de banho do século XII dentro de um bar de tapas espanhol. A descoberta está a ajudar a perceber como era a vida em Sevilha na época. No …

Suíça 3 - 1 Turquia | Seferovic e Shaqiri “abrem o livro”

A Suíça venceu de forma categórica a Turquia por 3-1, afastou os turcos da prova e terminou o Grupo A no terceiro lugar, com quatro pontos, esperando agora pelo final da fase de grupos para …

Presidente eleito do Irão promete governo "revolucionário e anticorrupção"

O Presidente eleito do Irão, o clérigo ultraconservador Ebrahim Raissi, prometeu hoje formar um governo "trabalhador, revolucionário e anticorrupção", aludindo ao estrito cumprimento dos princípios do sistema teocrático do país. Num comunicado, Raissi apresentou-se como “um …

Na Coreia do Norte, um pacote de café pode chegar aos 80 euros

Residentes norte-coreanos dizem que uma pequena embalagem de chá preto ou um pacote de café podem chegar aos 60 e 80 euros, respetivamente. Esta semana, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, reconheceu que o …