Encontrado hominídeo que morreu por causa de uma dor de dentes

(dr) Ian Towle

Há dois milhões de anos, um antepassado nosso foi afetado por algo muito comum atualmente: uma dor de dentes. Como não havia dentistas, a infeção pode ter-lhe custado a vida.

As noites terão sido um inferno. Durante anos, padeceu de um sofrimento que só poderia piorar. Muitos dos seus dentes, estavam tão desgastados que os tubos reticulares internos estavam expostos. Nos incisivos superiores, havia um abscesso dentário: uma massa de pus, resultado de uma infeção que cresceu incontrolavelmente dentro da mandíbula.

Os investigadores acreditam que a infecção foi tão terrível que deve ter atingido o seu suprimento de sangue, envenenando-o e causando a sua morte.

Estas são as conclusões de Ian Towle e Joel D. Irish, da John Moores University, em Liverpool, após a análise exaustiva de um espécime raro de hominídeo, catalogado como SK-847, descoberto na África do Sul em 1969. O trabalho foi publicado no bioRxiv, de acordo com a ABC.

De acordo com os autores, “neste estudo, foram analisados todos os fragmentos de mandíbulas de coleções fósseis de hominídeos sul-africanos disponíveis, incluindo espécimes atribuídos ao Homo Naledi, Paranthropus robustus, Australopithicus africanus, A. sediba e primeiros Homo”.

No total, inspecionaram cerca de 20 fósseis diferentes de mandíbulas humanas encontrados na África Austral. O SK-847, cuja espécie ainda não é clara, foi o único que mostrou uma decadência tão pronunciada. Poderia ser o primeiro abcesso dentário encontrado até agora no género Homo, mas outra queixosa com idade semelhante encontrada na Europa também pode disputar o “título”.

“Há um abscesso bem definido e, pelo menos, mais dois com danos post mortem, no maxilar anterior e associado aos incisivos. Os abscessos destacam que o indivíduo utilizou a dentição anterior extensivamente, até ao ponto em que as câmaras pulpares foram expostas em vários dentes. Este é um dos primeiros exemplos de um abcesso dentário em hominídeos e mostra que este indivíduo foi capaz de lidar com vários abcessos simultâneos, que persistiram durante um período prolongado“, escrevem os autores.

SK-847 deve ter passado um tempo muito mau, segundo Towle. Na mandíbula superior, há um buraco cercado por uma borda. “É aí que o osso começa a crescer novamente no lugar onde o abcesso esteve. Soube imediatamente que se havia formado enquanto o hominídeo ainda estava vivo“.

A falta de higiene alimentar básica pode ser a causa da infecção. O abscesso foi causado por bactérias, que atacaram os dentes do indivíduo. Dentes que, por outro lado, já estavam muito desgastados após anos a comer alimentos duros e crus, muitos deles cheios de areia.

O hominídeo deve ter feito o que podia para combater a dor intensa – como mastigar algumas ervas, como gengibre ou manjerona, utilizado por outras culturas antigas, embora não haja nenhuma prova disso. A única coisa certa é que a infecção, que se arrastou durante anos, acabou por ganhar o jogo para, no final, acabar com a sua vida.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Depois do "selo Brexit", os correios da Áustria emitem o "selo corona" impresso em papel higiénico

O serviço postal da Áustria uniu dois pontos da pandemia do novo coronavírus ao criar um selo impresso em papel higiénico que, segundo os correios, as pessoas também podem, a qualquer momento, usar para ajudar …

A Moog celebra os 100 anos do Theremin com um novo instrumento: o Claravox Centennial

Este ano marca o 100º aniversário do Theremin - um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrónicos, controlado sem qualquer contacto físico pelo músico. Para celebrar vai ser lançado o Claravox Centennial. Foi em 1920 que Leon Theremin, …

Depósito inexplorado na Sibéria tem uma das maiores reservas de ouro do mundo

O maior produtor de ouro da Rússia, PJSC Polyus, anunciou esta semana que o seu depósito inexplorado em Sukhoi Log, na região siberiana de Irkutsk, possui uma das maiores reservas mundiais deste metal preciosos. De …

Os novos iPhones não trazem carregador. Apple poupa muito nos custos, mas não no ambiente

A Apple decidiu vender os seus novos iPhones sem carregador ou auscultadores, alegando que a alteração tem em conta o ambiente, uma vez que serão utilizados menos produtos na embalagem dos telemóveis, mas os especialistas …

Caça ao tesouro secular. Lendária ilha pode esconder Santo Graal, manuscritos de Shakespeare e jóias reais

Perto da Nova Escócia, no Canadá, há uma lendária ilha com misteriosos túneis e estranho artefactos. Há quem acredite que esconde o Santo Graal, os manuscritos de Shakespeare e um tesouro de um capitão. Porém, …

Aprender "baleiês" pode evitar choque de navios com o animal

Uma equipa de cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, tem uma nova ideia para salvar as baleias-azuis em migração das colisões com navios. Durante a época de migração das baleias-azuis, os animais enfrentam sérios …

Afinal, os carros elétricos não são a melhor resposta para combater as alterações climáticas

Os carros elétricos, surgem como alternativas mais sustentáveis aos veículos a gasolina ou gasóleo, podem não ser a melhor forma de combater as alterações climáticas no âmbito dos transportes, de acordo com um novo estudo. …

Seria Jesus um mágico? Há arte romana que parece sugerir que sim

Em alguma arte antiga, Jesus é retratado a fazer milagres com algo na mão que parece ser uma varinha. Investigadores sugerem que se trata de um cajado, que era usado como símbolo de poder. Segundo a …

Nem todos os clubes estão a afundar – alguns estão a prosperar durante a pandemia

Nem todos os clubes estão a sofrer às mãos desta pandemia de covid-19. Alguns deles têm conseguido bons resultados financeiros apesar da crise. A covid-19 provou ser um adversário devastador para o desporto profissional em todo …

Kibus: o aparelho que vai revolucionar a forma como os nossos cães se alimentam

Ter cães como melhores amigos pode ser muito benéfico, mas também traz a sua dose de trabalho e responsabilidades. Levar ao veterinário, dar banho, levar a passear, brincar, dar de comer... No fundo é como …