Encontrado hominídeo que morreu por causa de uma dor de dentes

(dr) Ian Towle

Há dois milhões de anos, um antepassado nosso foi afetado por algo muito comum atualmente: uma dor de dentes. Como não havia dentistas, a infeção pode ter-lhe custado a vida.

As noites terão sido um inferno. Durante anos, padeceu de um sofrimento que só poderia piorar. Muitos dos seus dentes, estavam tão desgastados que os tubos reticulares internos estavam expostos. Nos incisivos superiores, havia um abscesso dentário: uma massa de pus, resultado de uma infeção que cresceu incontrolavelmente dentro da mandíbula.

Os investigadores acreditam que a infecção foi tão terrível que deve ter atingido o seu suprimento de sangue, envenenando-o e causando a sua morte.

Estas são as conclusões de Ian Towle e Joel D. Irish, da John Moores University, em Liverpool, após a análise exaustiva de um espécime raro de hominídeo, catalogado como SK-847, descoberto na África do Sul em 1969. O trabalho foi publicado no bioRxiv, de acordo com a ABC.

De acordo com os autores, “neste estudo, foram analisados todos os fragmentos de mandíbulas de coleções fósseis de hominídeos sul-africanos disponíveis, incluindo espécimes atribuídos ao Homo Naledi, Paranthropus robustus, Australopithicus africanus, A. sediba e primeiros Homo”.

No total, inspecionaram cerca de 20 fósseis diferentes de mandíbulas humanas encontrados na África Austral. O SK-847, cuja espécie ainda não é clara, foi o único que mostrou uma decadência tão pronunciada. Poderia ser o primeiro abcesso dentário encontrado até agora no género Homo, mas outra queixosa com idade semelhante encontrada na Europa também pode disputar o “título”.

“Há um abscesso bem definido e, pelo menos, mais dois com danos post mortem, no maxilar anterior e associado aos incisivos. Os abscessos destacam que o indivíduo utilizou a dentição anterior extensivamente, até ao ponto em que as câmaras pulpares foram expostas em vários dentes. Este é um dos primeiros exemplos de um abcesso dentário em hominídeos e mostra que este indivíduo foi capaz de lidar com vários abcessos simultâneos, que persistiram durante um período prolongado“, escrevem os autores.

SK-847 deve ter passado um tempo muito mau, segundo Towle. Na mandíbula superior, há um buraco cercado por uma borda. “É aí que o osso começa a crescer novamente no lugar onde o abcesso esteve. Soube imediatamente que se havia formado enquanto o hominídeo ainda estava vivo“.

A falta de higiene alimentar básica pode ser a causa da infecção. O abscesso foi causado por bactérias, que atacaram os dentes do indivíduo. Dentes que, por outro lado, já estavam muito desgastados após anos a comer alimentos duros e crus, muitos deles cheios de areia.

O hominídeo deve ter feito o que podia para combater a dor intensa – como mastigar algumas ervas, como gengibre ou manjerona, utilizado por outras culturas antigas, embora não haja nenhuma prova disso. A única coisa certa é que a infecção, que se arrastou durante anos, acabou por ganhar o jogo para, no final, acabar com a sua vida.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Comer muitas refeições takeaway pode aumentar a probabilidade de morte

Comer demasiadas vezes refeições takeaway pode afetar negativamente a saúde das pessoas. Isto porque, muitas vezes, a comida em causa é fast food. A pandemia de covid-19 veio intensificar a adoração das pessoas pelas refeições takeaway. …

Fezes de morcego ajudam a decifrar o passado da humanidade

Uma equipa de investigadores australianos usou fezes de morcego para ajudar a entender uma parte do passado dos nossos ancestrais. Para perceber melhor como é que artefactos antigos são alterados pelo sedimento em que estão enterrados …

"É como fogo". Dezenas de pessoas morreram na República Dominicana após ingestão de álcool ilegal

Depois de dezenas de pessoas morreram por intoxicação nas últimas semanas, as autoridades da República Dominicana acabaram por fechar várias lojas de bebidas alcoólicas. As lojas de bebidas clandestinas situavam-se sobretudo na capital, Santo Domingo, mas …

Eis AlphaDog, a resposta da China para o cão-robô norte-americano Spot

A empresa de tecnologia Weilan, sediada em Nanjing, na China, desenvolveu o AlphaDog, um cão-robô que usa sensores e inteligência artificial (IA) para realizar uma série de aplicações, incluindo entrega de encomendas e orientação para …

E se a vacina contra a covid-19 se chamasse Trumpcine? O "sir" sugeriu e Donald Trump gostou

No fim de semana passado, durante um encontro do Comité Nacional Republicano, o ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que alguém sugeriu que as vacinas disponíveis contra a covid-19 deveriam receber o seu nome. …

O custo da paz mundial é bastante inferior ao custo da guerra

Um recente relatório do Instituto de Economia e Paz (IEP) conclui que o custo dos países com a violência é bem superior ao custo com a paz mundial. O Instituto de Economia e Paz estima que, …

Malta vai pagar aos turistas que visitarem a ilha durante o verão

Numa altura em que pandemia não tem dado tréguas ao setor do turismo, Malta anunciou um conjunto de medidas com o objetivo de encorajar os viajantes a visitarem o país e a ficarem hospedados nos …

Pentágono confirma que filmagens de OVNI em forma de pirâmide são autênticas

Uma nova série de imagens e vídeos de OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados) filmados pela Marinha dos Estados Unidos foi agora confirmada como autêntica pelo Pentágono. Enquanto muitas pessoas geralmente se referem a avistamentos misteriosos …

Irão vai aumentar produção de urânio enriquecido em resposta ao “terrorismo nuclear” de Israel

O Irão justificou esta quarta-feira a decisão de enriquecer urânio a 60% como resposta ao “terrorismo nuclear” e à “maldade” israelita, referindo-se ao alegado ataque contra a central de Natanz, no domingo. “A decisão de enriquecer …

Possibilidade de ser reinfetado baixa 84% para quem já teve covid-19

Um novo estudo indica que a infeção prévia por SARS-CoV-2 protege a maioria dos indivíduos contra a reinfecção durante uma média de sete meses As probabilidades de reinfeção não descem até zero, mas um novo estudo, …