Homem moderno tem mais 500 mil anos do que se pensava

Jose Luis Martinez Alvarez / Wikimedia

O Homo heidelbergensis poderá ser o antepassado comum do Homo neanderthalensis e do Homo sapiens.

O Homo neanderthalensis e o Homo sapiens poderão ter tido um antepassado comum

Uma análise de um fóssil de hominídeo encontrado na Etiópia permitiu a uma equipa de cientistas situar o género Homo em 2,8 milhões de anos – 500 mil anos mais cedo do que se pensava.

Os investigadores asseguram que a descoberta demonstra que a divergência do género Homo, que inclui os homens modernos, o Homo Sapiens, ocorreu antes do que se julgava, embora ressalvem que são necessários mais estudos para determinar a que espécie poderá pertencer o fóssil.

Os resultados do estudo do fóssil, que foi encontrado na Etiópia por uma equipa de investigadores da Universidade Estatal do Arizona, foram publicados na revista Science.

Encontrado há dois anos na jazida arqueológica de Ledi-Geraru, no estado de Afar, na Etiópia, o fóssil é uma mandíbula parcial, com cinco dentes intactos, que combina, segundo os peritos, traços primitivos do género Australopitecus com características mais modernas do Homo.

A descoberta ocorreu a uns quilómetros da zona de Hadar, onde, em 1974, outra equipa de investigadores encontrou Lucy, o esqueleto de Australopitecus afarensis mais completo até agora detetado, com cerca de 3,2 milhões de anos.

d.r. Brian Villmoare

Chalachew Seyoum, estudante da Universidade Estadual do Arizona, com a mandíbula fóssil de 2.8 milhões de anos que descobriu na Etiópia

Chalachew Seyoum, estudante da Universidade Estadual do Arizona, com a mandíbula fóssil de 2.8 milhões de anos que descobriu na Etiópia

“Apesar de serem muito procurados, os fósseis da linhagem Homo com mais de dois milhões de anos são muito raros”, assinalou um dos investigadores-principais, Brian Villmoare, da Universidade do Nevada, nos Estados Unidos.

Villmoare e a sua equipa estudaram a fundo a mandíbula e descobriram que, ainda que a idade e a localização do fóssil o coloquem perto do Australopitecus afarensis, a sua dentadura coincide mais com as primeiras espécies de Homo, com molares finos, pré-molares simétricos e uma mandíbula de proporções uniformes.

Um outro grupo, liderado por Erin DiMaggio, investigadora do Departamento de Geociências da Universidade Estatal de Pensilvânia, também nos Estados Unidos, usou diversos sistemas de datação, como a análise radiométrica das camadas de cinzas vulcânicas, para determinar a antiguidade dos sedimentos da jazida.

Estamos certos da idade do fóssil LD 350-1″, afirmou a investigadora, citada pela agência noticiosa espanhola Efe.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. O vosso título “HOMEM MODERNO tem mais 500 mil anos do que se pensava” está errado… já que essa maior antiguidade se refere ao género Homo e não a Humano Moderno… Humano Moderno quanto muito é sinónimo de Homo Sapiens…
    O título para estar correto deveria antes ser: “O GÉNERO HOMO tem mais 500 mil anos do que se pensava”…

  2. Para mim, pessoalmente falando, estas teorias não têm muito sentido. E porque Lucy não era afinal uma criança? Uma criança não tem um cérebro muito grande e home em dia podemos confirmà-lo. Além do mais o esqueleto da Lucy nada tem a vêr com o de um chimpanzé nem tampouco mais ou menos, mas mais a ver com o do homem moderno. Ou seja, Lucy ser “filha”…. de um homem moderno.

RESPONDER

Fundação Champalimaud anuncia prémio de um milhão de euros para erradicar o cancro

A Fundação Champalimaud anunciou, esta segunda-feira, um prémio de um milhão de euros a atribuir anualmente, e sem limite temporal, vocacionado para a "erradicação do cancro". O prémio é atribuído em parceria com o casal de …

A maior lixeira da China ficou cheia 25 anos antes do previsto

O maior depósito de lixo da China, Jiangcungou, na cidade de Xi'an, já está cheio, 25 anos antes da altura prevista. O aterro tinha sido preparado para receber 2500 toneladas de resíduos por dia. Porém, de …

Cigarros eletrónicos podem prejudicar o coração mais do que os cigarros comuns

Há muito que está provado que fumar é uma das principais causas de mortes por doenças cardíacas. Agora, há evidências crescentes de que os cigarros eletrónicos podem causar danos ao coração. Em dois estudos que serão …

Sindicato dos Magistrados acusa Conselho Superior de fazer escolhas pessoais

O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP) acusou, esta segunda-feira, o Conselho Superior do Ministério Público de escolher os procuradores para os departamentos mais importantes da investigação criminal por preferências pessoais. Em comunicado, o Sindicato …

Esta empresa está a produzir "carne" feita de ar

Enquanto várias startups estão a vender "carne" feita de plantas, a Air Protein, uma empresa sediada na Califórnia, nos Estados Unidos, está a criar carne feita de ar. A ideia não é nova, uma vez que …

Autoridade da Concorrência faz buscas em cinco empresas de vigilância privada

A Autoridade da Concorrência (AdC) anunciou, esta segunda-feira, que realizou diligências de busca e apreensão em cinco empresas do setor da vigilância privada, no distrito de Lisboa, "por suspeitas de práticas anticoncorrenciais lesivas do normal …

"Breaking Bad" da vida real. Dois professores de Química acusados de produzir metanfetamina

Dois professores universitários de Química do estado do Arkansas, nos Estados Unidos, foram detidos no domingo por suspeitas de produzirem metanfetaminas. O caso tem atraído atenção mediática por se parecer inspirar no enredo da série …

TAP regista prejuízos de 111 milhões de euros até setembro

A TAP registou, nos primeiros nove meses deste ano, prejuízos acumulados de 111 milhões de euros que atribui a "variações cambiais sem impacto na tesouraria". "A TAP S.A. apurou um prejuízo acumulado, nos primeiros nove meses …

Coreia do Norte não está interessada em mais cimeiras com os EUA

A Coreia do Norte advertiu, esta segunda-feira, que "não está interessada" em mais cimeiras com os Estados Unidos, se Washington persistir na recusa em fazer concessões. A Coreia do Norte deu a Washington até ao final …

Refugiado detido que escreveu um livro pelo Whatsapp conquista a liberdade

O jornalista e escritor curdo-iraniano Behrouz Boochani, que estava detido há seis anos num centro de imigrantes na Austrália, conquistou a liberdade. Boochani escreveu, através de mensagens da rede social Whatsapp, o livro “No Friend But …