O Homem chegou a Madagáscar muito antes do que se pensava (e conviveu com aves-gigantes)

Zoological Society of London's Institute of Zoology

Algumas das marcas encontradas nos ossos das aves-gigantes

Suspeita-se que os humanos tenham matado os maiores pássaros que já existiram. No entanto, a Ciência pode contar outra história: um novo estudo sugere que o Homem e estas aves coexistiram durante milhares de anos.

De acordo com uma nova pesquisa, publicada nesta quarta-feira na Science Advances, foram encontrados ossos antigos das extintas aves-elefante de Madagáscar (Aepyornis e Mullerornis) em pântanos da região. Estes vestígios tinham marcas de incisões e cortes que são indícios do abate e caça destes animais.

As aves-elefante, considerada as maiores aves do mundo, tinham quase 3 metros de altura e pesavam mais de meia tonelada, de acordo com a BBC Earth.



Apesar de os cientistas suspeitarem que os humanos terão eliminado esta espécie de aves gigantes, nunca conseguiram precisar quanto tempo é que os nossos ancestrais coexistiram com estes animais.

Agora, e de acordo com as marcas encontradas no ossos, os cientistas concluíram que os humanos chegaram a Madagáscar 6.000 anos antes do que pensava até então.

Ossos de lémures e outras evidências encontradas na região levaram os cientistas a datar a chegada dos humanos à região por volta de 2.400 a 4.000 anos atrás, de acordo com o comunicado divulgado pelos cientistas. O novo estudo, que recorreu à datação por radiocarbono, aponta que os humanos já estavam na ilha há cerca de 10.500 anos.

A nota divulgada explica ainda que a megafauna de Madagáscar – composta por elefantes, hipopótamos, tartarugas e lémures gigantes – foi dizimada há menos de mil anos.

“A nossa pesquisa fornece evidências sobre a atividade humana em Madagáscar mais de 6.000 anos antes do que se suspeitava até agora”, demonstrando que é necessário uma teoria de extinção radicalmente diferente para entender a enorme perda de biodiversidade que ocorreu na ilha, disse James Hansford, autor principal do estudo, do Zoological Society Institute of Zoology, em Londres.

Zoological Society of London's Institute of Zoology

As marcas terão sido feitas com recurso a ferramentas grandes e afiadas

Patricia Wright, co-autora do estudo, acrescentou: “Esta nova descoberta muda o nosso conhecimento sobre os primeiros homens que chegaram a esta ilha. Sabemos que no final da Idade do Gelo, quando os humanos só usavam ferramentas de pedra, houve um grupo de humanos que chegaram a Madagáscar”.

No entanto, sublinha, ainda fica muito por por desvendar, como a origem destas pessoas. Há perguntas que ainda se impõem: quem eram estas pessoas e por que motivo desapareceram? Talvez, a seu tempo, a Ciência conseguirá responder.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Ordem dos Advogados diz que fechar AML é "inconstitucional". Há 18 exceções na proibição de circulação

Face ao elevado número de casos na região de Lisboa, o Governo anunciou, esta quinta-feira, a proibição de circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa (AML) durante o fim-de-semana. O bastonário da Ordem …

Duas novas espécies de mamíferos escavadores ancestrais descobertos na China

Uma equipa descobriu duas novas espécies de animais semelhantes a mamíferos que viveram em tocas há cerca de 120 milhões de anos no que hoje é o nordeste da China. A equipa de pesquisa foi liderada …

Uma criança com esta idade "não se veste sozinha". Especialistas estranham contornos do (des)aparecimento de Noah

Noah, o menino de dois anos que esteve 36 horas desaparecido em Proença-a-Velha, foi encontrado numa zona de mato, sozinho, "bem e vivo". Especialistas ficaram espantados e consideram os acontecimentos improváveis para uma criança tão …

Escalada de violência em Gaza. Israel volta a atacar em resposta a balões incendiários

Forças israelitas voltaram a quebrar o cessar-fogo e lançaram um ataque aéreo na Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários lançados pelo Hamas. O cessar-fogo entre Israel e Hamas foi quebrado pela primeira vez na …

Os humanos estão a criar condições que podem iniciar uma nova pandemia

Os humanos estão a criar condições ambientais que podem levar a novas pandemias, indica um novo estudo da Universidade de Sydney. O novo estudo da Sydney School of Veterinary Science sugere que a pressão sobre os …

Governo aperta cerco, mas especialistas queriam mais. Desconfinamento pode estar em risco

Numa altura em que os números de casos diários não para de subir, a preocupação cresce. Apesar das novas medidas tomadas pelo Executivo na zona de Lisboa - a mais afetada do país - Portugal …

Guterres é hoje empossado para segundo mandato à frente da ONU. Marcelo estará presente

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, presta hoje juramento e toma posse para um segundo mandato durante uma sessão plenária da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque. Desta forma, a …

Câmara de Lisboa proíbe instalação de ecrãs no espaço público durante Euro2020

A instalação de ecrãs no espaço público durante o período do Euro2020 não será autorizada pela Câmara Municipal de Lisboa, tendo em conta a situação pandémica, anunciou hoje o município. “A Câmara Municipal de Lisboa, tendo …

A sucção da tromba de um elefante é mais rápida do que a velocidade de um comboio-bala

Os elefantes conseguem sugar coisas a uma velocidade de 530 quilómetros por hora — mais rápido do que um comboio-bala japonês. A tromba dos elefantes é-lhes altamente útil, já que a usam tanto para comer como …

Mais de metade dos rios do mundo não flui todo o ano

Entre 51% e 60% dos 64 milhões de quilómetros de rios e riachos do planeta Terra não fluem periodicamente ou secam durante parte do ano. De acordo com a agência Europa Press, este é o resultado …