Comparar o Holocausto ao controlo de imigração é “sórdido”

Angelo Carconi / EPA

Matteo Salvini

Matteo Salvini afirmou este domingo que comparar o “controlo sério da imigração” ao Holocausto seria “sórdido”, numa alusão ao presidente da câmara de Pádua, que comparou os dois acontecimentos.

O ministro italiano do Interior, de extrema-direita, Matteo Salvini, afirmou este domingo que seria “sórdido” comparar o “controlo sério da imigração” aos horrores do Holocausto, numa alusão ao presidente da câmara de Pádua, que comparou os dois acontecimentos.

Na sua conta do Twitter, o líder do partido da Liga Norte deixou uma oração em homenagem aos “milhões de vítimas do nazismo” apelando a que a “loucura assassina não se repita”, para assinalar o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

Salvini, que se recusa a deixar entrar nos portos italianos os navios humanitários que resgatam migrantes no Mar Mediterrâneo, também usou o seu Twitter para defender a posição de seu governo contra a entrada de mais imigrantes, dizendo que “todos os países civilizados” estavam a controlar a imigração ilegal de forma séria.

A sua referência à sordidez será uma resposta ao autarca de Pádua, Sergio Giordani, que disse numa cerimónia de homenagem às vítimas locais do Holocausto que houve “uma semelhança assustadora” entre o que aconteceu na época e as mortes de migrantes no Mediterrâneo.

Cerca de 50 sobreviventes de Auschwitz assinalaram este domingo o 74º aniversário da libertação do antigo campo de concentração pelo exército soviético numa iniciativa designada como Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

O primeiro-ministro da Polónia e os embaixadores de Israel e da Rússia compareceram nas cerimónias oficiais que decorreram no antigo campo, onde vários sobreviventes testemunharam anos de terror em Auschwitz. Um lembrou o cheiro de carne queimada na chegada ao acampamento.

O grande rabino da Polónia, Michael Schudrich, orou e leu os nomes dos campos de concentração nazi alemães onde muitos dos seis milhões de judeus – um terço dos judeus do mundo – foram mortos pelas forças de Adolf Hitler durante a ocupação nazi da Europa.

Líderes cristãos e judeus rezaram juntos perto das ruínas das câmaras de gás e crematórios, onde os prisioneiros de Auschwitz foram mortos. Uma sondagem divulgada concluiu que um em cada 20 adultos na Grã-Bretanha não acredita que o Holocausto tenha ocorrido.

O inquérito feito a mais de 2.000 pessoas revelou ainda que quase dois terços dos entrevistados não sabiam quantos judeus haviam sido assassinados na Segunda Guerra Mundial ou subestimaram o número de mortos durante o Holocausto.

A pesquisa foi realizada pelo Holocaust Memorial Day Trust, cuja responsável Olivia Marks-Woldman considerou os resultados preocupantes. Disse ainda que “o Holocausto ameaçou o tecido civilizacional e tem implicações para todos nós… tal ignorância generalizada, e até mesmo negação, é chocante“.

A data é assinalada com eventos e iniciativas em todo o mundo. Os organizadores de uma cerimónia em Londres dizem que o evento também reconhece o 25º aniversário do genocídio em Ruanda e 40 anos desde o fim do genocídio no Camboja.

No início da Segunda Guerra Mundial, a maioria dos prisioneiros eram polacos, cercados pelas forças alemãs ocupantes. Mais tarde, Auschwitz foi transformado num campo de extermínio para judeus, ciganos e outros. O campo foi libertado pelas forças soviéticas em 27 de janeiro de 1945.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Magia termodinâmica. Dispositivo promete transformar água a ferver em gelo sem consumir energia

Físicos da Universidade de Zurique, na Suíça, desenvolveram um dispositivo incrivelmente simples que permite que o calor flua temporariamente de um objeto frio para outro objeto quente sem precisar de uma fonte de alimentação externa. Para …

Papagaio cúmplice de criminosos detido pelas autoridades brasileiras

No Brasil, um papagaio cúmplice de traficantes de droga foi preso pelas autoridades. O animal avisava o casal de criminosos da chegada da polícia. Na favela da cidade de Teresina, no Brasil, o papagaio dizia "a …

Há duas portuguesas desaparecidas e sete mortos após naufrágio em São Tomé e Príncipe

O número de mortos causados pelo naufrágio de um navio perto da ilha são-tomense do Príncipe subiu para sete, existindo ainda 10 desaparecidos, disse fonte do governo regional. “Mais um corpo sem vida, de uma criança, …

Casal está em risco de pena de morte por construir uma casa no mar

Um americano e a sua namorada tailandesa podem terminar os seus dias na prisão ou até serem condenados à morte. As autoridades da Tailândia acusam o casal de ter construído uma casa em águas do país …

Muitas pessoas não se conseguem localizar num mapa

Quando o mau tempo ameaça, os meteorologistas usam mapas para mostrar onde estão localizadas as tempestades e para onde vão. Mas é importante que as pessoas saibam se estão no caminho destas catástrofes. Uma percentagem substancial …

Milícia planeava assassinar Barack Obama e Hillary Clinton

O líder de uma milícia norte-americana que capturava imigrantes sem documentos na fronteira com o México, Larry Hopkins, foi detido no sábado e confessou ao FBI que o grupo planeava matar Barack Obama, Hillary Clinton …

Urina ajuda arqueólogos a acompanhar a ascensão da agricultura

Estudar os vestígios de urina de ovelhas e cabras está a fornecer aos arqueólogos um vislumbre da domesticação de animais numa aldeia turca há 10.000 anos. Uma das transições mais marcantes da História foi quando o …

Inscrição antiga revela o que aconteceu à cidade prestes a tornar-se a capital da Assíria

Cientistas decifraram um texto do Rei Sargão II da Assíria, que governou entre 722 e 705 a.C. A inscrição, mal conservada, relata a conquista da cidade de Carquemis, descobrindo os planos para transformá-la na nova …

Uma das praias mais famosas do Hawai está prestes a ficar submersa

Os legisladores estão a tomar medidas para enfrentar os efeitos da mudança climática antes que seja tarde demais numa nova tentativa de reconstruir a famosa praia de Waikiki para proteger os moradores de futuras inundações. O …

Afinal, a chita não é o animal mais rápido do mundo

A classificação dos animais mais rápidos do planeta não tem, na maioria das vezes, em conta a proporção do seu tamanho e da sua velocidade máxima. Esta classificação, que utiliza como medida a quantidade de segundos …