Holanda. Ministra da Defesa renuncia devido à crise de evacuação do Afeganistão

1

Após a ministra das Relações Externas holandesa, Sigrid Kaag, renunciar devido ao desastre da evacuação do Afeganistão, esta sexta-feira foi a vez da ministra da Defesa, Ank Bijleveld.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Segundo relatou o Guardian, acredita-se que os ministros holandeses sejam os primeiros responsáveis ocidentais a renunciar devido ao caos que se seguiu à tomada de Cabul pelos Talibãs. Kaag renunciou na quinta-feira e Bijleveld, que inicialmente se recusou a renunciar, cedeu esta sexta-feira.

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, declarou que a renúncia de Bijleveld é “extremamente lamentável”, mas que respeita a decisão.

A Holanda evacuou mais de 1.500 pessoas, incluindo cidadãos holandeses e afegãos, nos dias que antecederam a saída das tropas norte-americanas do Afeganistão, a 31 de agosto. Contudo, muitos afegãos ficaram para trás, incluindo 22 intérpretes, apesar dos apelos de parlamentares e diplomatas em Cabul.

Kaag defendeu a sua forma de lidar com a crise, mas admitiu que o governo tinha alguns “pontos cegos” sobre a situação. Num debate na terça-feira, legisladores holandeses de todo o espetro político acusaram Kaag, Bijleveld e o governo de “lentidão e imprecisão”.

No Reino Unido, Dominic Raab, transferido para ministro da Justiça, se recusou a renunciar, apesar de estar de férias numa ilha grega no momento em que o governo britânico lutava para evacuar cidadãos britânicos e funcionários afegãos em face dos avanços do Talibãs, em agosto.

  Taísa Pagno //

1 Comment

  1. Em Portugal, também deviam rolar cabeças.
    Alguns pobres afegãos que connosco tinham colaborado ficaram para trás bem como as suas famílias. Entretanto, o MNE esteve de férias descansado. Entendeu que não havia necessidade de as interromper…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.