Híbrido de pitão recém-descoberto na Florida pode ser uma “super cobra”

Híbridos de pitão recém-descobertos no sul da Florida, nos Estados Unidos, podem ser mais fortes e adaptáveis ao meio ambiente do que os seus familiares “não-híbridos”.

Geneticamente falando, as pitons são, na sua maioria, pitons birmanesas (Python bivittatus). Estes animais foram levados para a Florida como animais de estimação exóticos e foram introduzidas no deserto do estado norte-americano na década de 1980. Desde então, as pitons birmanesas aumentaram o seu número para dezenas de milhares e travam atualmente uma guerra contra pequenos mamíferos.

De acordo com um novo estudo, publicado há duas semanas na revista Ecology and Evolution, algumas destas pitons birmanesas carregam traços genéticos de outras espécies distintas, tornando-as assim híbridos robustos.

Um grupo de investigadores descobriu este híbridos enquanto analisava tecidos provenientes das caudas de 426 pitons birmanesas, recolhidos entre 2001 e 2012, no sul da Florida, incluindo o parque nacional de Everglades. Durante a investigação, os cientistas descobriram que 13 das cobras analisadas tinham marcas genéticas da pitão indiana (Python molurus) no seu ADN mitocondrial – composto orgânico que é passado da progenitora para as crias.

No entanto, e de acordo com o Guardian, isto não significa que haja uma espécie híbrida e perigosa a ameaçar a Florida. Pelo contrário, os investigadores acreditam que o cruzamento ocorreu há muito tempo, antes mesmos das pitons se começarem a multiplicar e expandir pelo território da Florida.

Segundo o estudo, esta combinação de genes robustos oriundos de diferentes espécies pode criar pitons com “vigor híbrido”, isto é, pitons capazes de viver em diversos ambientes e melhor adaptadas às mudanças climáticas. As pitons indianas preferem viver em áreas mais altas e secas, enquanto que as birmanesas gostam de água, preferindo viver em florestas ribeirinhas ou campos inundados.

“O facto mais importante é que a população de pitons da Birmânia é grande e, provavelmente, continuará a crescer, prejudicando as populações de animais nativos”, disse a autora principal da investigação, Margaret Hunter, em declarações à ABC.

Ambas as espécies que deram origem ao híbrido são espécies invasores. A Fox News apelida mesmo estes híbridos de “super-cobras”.

De acordo com a National Geographic, as pitons birmanesas são nativas do sudeste asiático e podem crescer até aos 7 metros e pesar até 91 quilos. Estas cobras são “a grande escolha dos donos de répteis”.

Já as pitons indianas, são menores e mais rápidas, sendo nativas da Índia, Sri Lanka, Paquistão e Nepal, de acordo com o jardim zoológico de Maryland.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Em Portugal os da defesas dos animais também estão a defender os animais mais fortes e esquecem-se dos mais pequenos, é por isso que a perdiz, o coelho, a lebre e outros animais pequenos estão a ser extinguidos pelo javali que come os perdigotos e seus ovos, a lebre é comida pelo javali enquanto dorme, o coelho que está a ser extinto pelo abutre que ataca e come o coelho, perdiz e outros animais mais pequenos e é assim que se está com a bênção dos defensores dos animais a ser uma extinção lenta mas eficaz.

RESPONDER

Chumbados projetos de lei para proteger vítimas de violência doméstica

Reconhecimento das crianças em contexto de violência doméstica, declarações para memória futura das vítimas e criação de subsídio para quem é obrigado a abandonar o lar foram os temas em discussão. Os projetos de lei do …

Ferro repreende Ventura no Parlamento. Deputado pede audiência urgente a Marcelo

O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, fez esta quinta-feira uma advertência ao deputado do Chega por utilizar com “demasiada facilidade” as palavras “vergonha” e “vergonhoso” nas suas intervenções no parlamento. André Ventura intervinha no …

Consumo moderado de álcool pode estar associado a um maior risco de cancro

Um novo estudo sugere que até mesmo o consumo leve ou moderado de álcool pode estar associado a um maior risco de cancro. No entanto, as conclusões não são consensuais na comunidade científica. Nem só o …

Fim da guerra comercial à vista. Estados Unidos e China chegam a acordo

Falta apenas a assinatura do presidente dos Estados Unidos para que o entendimento possa pôr um ponto final na guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. De acordo com a Bloomberg, os negociadores …

Recuperados seis dos oito corpos das vítimas de erupção de vulcão na Nova Zelândia

Uma equipa militar neozelandesa recuperou esta sexta-feira seis dos oito corpos dos turistas que permaneciam desaparecidos após a erupção, na segunda-feira, do vulcão Whakaari, numa ilha desabitada da Nova Zelândia. A operação, que envolveu oito membros …

Plantas também "gritam" quando estão sob stress

À semelhança do que acontece com o Homem, algumas plantas também podem "gritar" quando enfrentam situações de stress, como a falta de água ou o corte do seu caule, concluíram cientistas da Universidade de Tel …

ESA declara guerra ao lixo espacial com um robô de quatro braços

https://vimeo.com/379011028 A Agência Espacial Europeia (ESA) acaba de assinar um contrato com a startup suíça ClearSpace para levar a cabo tarefas de limpeza de lixo orbital. Em comunicado, a agência espacial aponta que a empresa vai …

O "Asteróide do Apocalipse" está a cuspir rochas para o Espaço

A sonda OSIRIS-REx da NASA chegou ao Bennu, o "Asteróide do Apocalipse", em dezembro de 2018 e, apenas uma semana depois, descobriu algo incomum: o asteróide estava a lançar partículas para o Espaço. A câmara de …

Projeções dão vitória esmagadora de Boris Johnson

O partido Conservador venceu as eleições legislativas no Reino Unido com uma maioria absoluta de 368 deputados, segundo uma sondagem comum divulgada hoje pelas três estações televisivas britânicas BBC, ITV e Sky, segundo a qual …

Encontrada a obra de arte mais antiga da Humanidade

Um grupo de arqueólogos da universidade australiana de Griffith descobriu numa caverna na Indonésia a pintura rupestre de caça mais antiga do mundo, com cerca de 44 mil anos. A investigação, publicada na revista Nature, descreve …