Guerreiros da Idade do Ferro foram enterrados em cima de almofadas de penas

(dr) Jørgen Rosvold

Algumas das penas encontradas na sepultura Valsgärde 7

Cientistas descobriram que dois guerreiros da Idade do Ferro, que morreram durante o século VII D.C, foram enterrados nos seus barcos funerários em cima de almofadas de penas.

De acordo com o site Live Science, o cemitério localizado em Valsgärde, na Suécia, contém 15 barcos funerários (um tipo de túmulo muito usado pelos povos germânicos durante a Idade do Ferro) que datam do século III A.C. até ao século 12 D.C.

Recentemente, uma equipa de investigadores decidiu analisar o conteúdo incomum de duas destas sepulturas, conhecidas como Valsgärde 7 e Valsgärde 8. Ambas continham “barcos ricamente equipados”, que foram posicionados de forma a que as popas ficassem apontadas para o rio Fyrisån, como se os seus ocupantes estivessem prontos para a viagem em direção à vida depois da morte.

Além disso, no seu interior está, segundo os cientistas, a roupa de cama mais antiga já conhecida até agora da Escandinávia: almofadas de penas com cerca de 1400 anos. O excelente estado de preservação permitiu à equipa extrair e examinar algumas dessas penas no seu interior, tendo conseguido identificar a que grupos de pássaros pertencem e até mesmo algumas das espécies.

Nas amostras da Valsgärde 7 analisadas, as penas de pato e ganso foram as mais comuns, embora também tenham sido encontradas penas de galinhas, pássaros canoros, aves limícolas e até mesmo de um bufo-real. Já no único local analisado da Valsgärde 8, todas as penas se assemelhavam às de ganso.

Segundo Birgitta Berglund, professora emérita de Arqueologia do Museu da Universidade NTNU, na Noruega, e autora principal do estudo publicado na edição de abril da revista científica Journal of Archaeological Science: Reports, os guerreiros foram assim colocados em cima das almofadas para que o seu “sono de beleza também fosse cuidado durante a morte”.

A investigadora destaca ainda que esta “roupa de cama provavelmente tinha um significado muito mais profundo do que apenas servir como enchimento”. Isto porque, nesta altura, as penas tinham um simbolismo especial nos ritos funerários.

Por exemplo, as penas de corujas e de outras aves predadoras foram associadas ao prolongamento da luta contra a morte e, em algumas partes da Escandinávia, as “penas de ganso eram consideradas as melhores para permitir que a alma fosse libertada do corpo”.

Segundo o mesmo site, os guerreiros também foram enterrados com objetos como capacetes, espadas e facas, sendo que vários escudos cobriam os seus restos mortais. Os túmulos também continham utensílios de cozinha e de caça para os ajudar na vida após a morte.

ZAP ZAP //

 

 

 

PARTILHAR

RESPONDER

Marinha dos EUA está a desenvolver drones para matar ovos em ninhos de pássaros selvagens

A Marinha norte-americana e a empresa Hitron Technologies uniram esforços para desenvolver um drone autónomo projetado especificamente para procurar e destruir o maior inimigo da Marinha: os pássaros. Os drones, que estão já a ser testados …

Cientistas criam hologramas que se movem pelo ar

Uma equipa de cientistas da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, conseguiu desenvolver um holograma que projeta imagens em movimento. Se é fã de Star Treck, ficará impressionado com a mais recente inovação. Um grupo de …

Gangue detido por falsificar a especiaria mais cara do mundo

As autoridades espanholas detiveram um gangue que fazia milhões de euros por ano a falsificar a especiaria mais cara do mundo: o açafrão. Os 17 membros da quadrilha foram detidos na região de Castela-Mancha. Os criminosos …

Santuário medieval recebe escultura em pedra que usa máscara contra a covid-19

Uma catedral histórica do Reino Unido renovou um santuário do século XIV, acrescentando um detalhe que coloca em evidência o momento pandémico que o mundo vive. Agora, a nova escultura está a usar uma máscara …

Aos 10 anos, Adewumi chegou à elite mundial do xadrez (e fugiu ao Boko Haram)

Tanitoluwa Adewumi foi perseguido pelo Boko Haram, fugiu da Nigéria e foi sem-abrigo nos Estados Unidos. Agora, com apenas 10 anos, chegou à elite mundial do xadrez. Grande Mestre é um dos títulos vitalícios concedidos pela …

Hegemonia económica da China cada vez mais longe. Queda demográfica coloca Pequim sob pressão

O objetivo do país é tornar-se na maior potência económica do mundo nos próximos anos, mas a corrida pela hegemonia - disputada com os EUA - pode não ser uma meta fácil de alcançar. O …

Miss Universo 2021. Concorrente da Singapura usa roupa com o slogan "Stop Asian Hate"

Bernadette Belle Ong, uma concorrente do Miss Universo 2021, vestiu uma roupa com as cores de Singapura que continha as palavras Stop Asian Hate ("parem com o ódio contra os asiáticos"). Bernadette Belle Ong aproveitou o …

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …