Guarda de campo de concentração nazi é condenado a prisão. Tem 101 anos

4

O mais velho acusado de crimes nazis foi esta terça-feira condenado a cinco anos de prisão por abusos cometidos durante o Holocausto quando era guarda num campo de concentração da Alemanha nazi. Josef Schütz, de 101 anos, foi considerado cúmplice no assassínio de 3.518 prisioneiros.

O antigo oficial da Waffen SS esteve destacado entre 1942 e 1945. “Sr. Schütz, o senhor esteve ativo por cerca de três anos no campo de concentração de Sachsenhausen [a norte de Berlim], onde foi cúmplice de assassínios em massa”, declarou o presidente do tribunal de Brandenburg an der Havel, Udo Lechtermann.

“Estava ciente de que prisioneiros eram mortos. Com a sua presença, o senhor apoiou” esses atos, afirmou o juiz, citado pelo Independent, acrescentando: “quem tentasse fugir do campo era baleado. Portanto, qualquer guarda do campo participou ativamente nesses assassínios”.

Durante a leitura da sentença o acusado permaneceu impávido. “Estou pronto”, tinha dito Schütz quando entrou no tribunal numa cadeira de rodas. O seu advogado já tinha anunciado que iria recorrer no caso de uma sentença pesada. Dado o seu frágil estado de saúde, a prisão efetiva parece improvável.

Schütz nunca expressou arrependimento durante as 30 audiências de julgamento. Na segunda-feira, voltou a negar qualquer envolvimento, perguntando “porque estava ali” e afirmando que “tudo era falso”. Negou ainda ter conhecimento dos crimes cometidos em Sachsenhausen, dizendo que trabalhava como agricultor na altura.

Em tribunal, os procuradores apresentaram documentos que comprovavam a identidade do guarda – com o mesmo nome, data de nascimento e local de nascimento que Schütz.

O julgamento iniciou em outubro de 2021, no tribunal regional de Neuruppin. Mais de 200 mil pessoas – na sua maioria judeus, membros da comunidade cigana, opositores do regime e homossexuais – estiveram presos em Sachsenhausen entre 1936 e 1945. O campo foi libertado em abril de 1945, pelos soviéticos.

  ZAP //

4 Comments

  1. Quando se largam duas bombas atómicas sobre duas cidades , vai me dizer de que os cerca de 400000 mortos o mereceram por serem cúmplices …… até às crianças?????
    O que os americanos fizeram não foi crimes de guerra, foram um extermínio. !!!!!!!
    Alguém os julgou por tantas mortes inocentes?????

    • Eh lá… deves ter faltado às aulas de história… ou pior!

      As bombas foram bem lançadas e a prova disso é que o Japão aprendeu a lição e começou a ter mais respeito pelo resto do mundo, embora o que eles fizeram aos vizinhos seja imperdoável – e convém não o esquecer!
      Pior é haver tontos que querem transformar os agressores em vítimas!!

      Os japoneses sabem muito bem o que fizeram!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.