Grande Colisionador de Hadrões à procura de universos paralelos

future15 / FLickr

-

Os investigadores do CERN reativaram esta semana o Grande Colisionador de Hadrões (Large Hadron Collider, ou LHC), na tentativa de detetar buracos negros mínimos que poderão revelar a existência de universos paralelos e pôr em dúvida, em última análise, a teoria do Big Bang.

A eventual deteção destes buracos negros em miniatura poderá provar a existência de universos paralelos, e a descoberta dos mesmos a um determinado nível de energia poderia ainda provar a teoria da “Rainbow Gravity” (“arco-íris da gravidade“, em tradução livre), que sugere que o universo se estende infinitamente no tempo e nunca houve um momento que se possa determinar como o início do universo – ou seja, o Big Bang poderá nunca ter acontecido.

A teoria do “arco-íris da gravidade” baseia-se na suposição de que o efeito da gravidade no cosmos é sentido de forma diferente ao longo dos diferentes comprimentos de onda da luz. A teoria tenta, de certa forma, conciliar a teoria geral da relatividade de Einstein, que lida com objetos de grandes dimensões, com a mecânica quântica, que analisa as partículas elementares do universo.

Os níveis de energia necessários para recriar essa “gravidade arco-íris” podem mostrar que o universo primitivo era muito diferente: a hipótese é que, ao andarmos para trás no tempo, o universo se torna cada vez mais denso, aproximando-se infinitamente de uma densidade que nunca chega a ser total.

“Nós calculámos a energia na qual é expectável detetarmos estes mini-buracos negros, de acordo com o arco-íris da gravidade”, afirma Mir Faizal ao Phys.org. “Se, de facto, detetarmos mini-buracos negros neste nível de energia, podemos concluir que tanto o arco-íris da gravidade como a existência de outras dimensões estão corretas”, conclui o investigador da Universidade de Waterloo.

Assim, supondo-se que a gravidade é capaz de transitar para dimensões, poderá ser possível recriar buracos negros no LHC.

O acelerador de partículas do CERN – a Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear -, o maior do mundo, foi usado para recolher dados que levaram à descoberta do Bosão de Higgs (que confere massa às outras partículas), e desde 2013 tinha estado em hibernação.

ZAP

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Se vão artificialmente, através da promoção da colisão de partículas a alta velocidade, propiciar a eventual formação de buracos negros em miniatura, se efetivamente estes forem criados, como desaparecerão? Será que quando regressam ao nível fundamental de energia os gravitões desaparecem, e com eles os mini-buracos negros, ou não só estes não desapareceriam como cresceriam e poderiam até sugar o planeta inteiro?
    Sem querer ser alarmista, e desde já declarando-me um entusiasta do progresso científico, gostaria de ser esclarecido acerca deste risco teórico.

    • … Do risco teórico: Nas imediações deverão permanecer (de plantão) um ror de camiões anti-matéria e, à cautela, cheios de bombeiros sub-atómicos especializados no combate ati-vácuo munidos de agulhetas de funil largo e invertido

  2. Eu também confesso que estou um pouco preocupado. Querem fazer o papel de Deus e arriscam a destruir o planeta. Acho que não devem brincar com coisas muito sérias e sem saberem os riscos que poderão afetar a população mundial e do próprio planeta.

    • Se de Deus há 2k anos, ou mesmo do tempo do antico testamento, terá 14K milhões de anos a matéria-corpo, o princípio da curvatura do espaço-tempo e da deflexão da luz. Não confesso, mas será do homem a teoria da relatividade, a quântica, a das cordas… E colidir meras partículas à velocidade próxima da luz num colisionador anelar (24km) enterrado e revisionado, desta vez, confesso, desejo passos no sentido da dita ‘matéria negra’, Sem heresias. Descoberta a sub-divisão bosão de Higgs – sub-partícula da “forma e massa de tudo o que existe” – diria que estaremos cada vez mais próximos da origem… Admintindo, contudo, que a humanidade sempre enfermou de bipolaridades – Bons, maus, santos e vilões. Repito, sem heresias.

  3. Ja Albert Einstein, dizia “Deus não joga aos dados com o Universo” …Não esta provada a existencia de gravitões, a teoria quantica e totalmente cheia de falhas e completamente estatistica… Temos ate o principio de incerteza de Heisenberg que nos falha nos erros de observação do mundo muito pequeno …. Estamos agora com medo que a particula de Deus destrua o Universo, ou que se criem mini-buracos negros infinitos no tempo, ou que se criem Universo paralelos.. ISTO É MA FICÇÃO CIENTIFICA… convençam-de uma coisa, a teoria quantica e baseada num monte de suposições algumas sem sentido, como desenvolvimentos a rossar a irracionalidade, e a ser confirmada atraves de demasiado poucas variaveis para permitir ver distinguir realidades …..Lembrem-se que a anormalidades estatisticas dos eventos casuais acontecem sempre que nao se fazem experiencias suficientes..

RESPONDER

Há milhares de misteriosos buracos no fundo do mar da Califórnia

Surgiu um novo mistério perto da costa de Big Sur, na Califórnia, no fundo do Oceano Pacífico: há milhares de pequenos fragmentos redondos retirados dos sedimentos do fundo do mar.   A descoberta foi feita como parte …

NASA apresenta "mapa do tesouro" para encontrar água em Marte

Uma equipa de cientistas da NASA elaborou um mapa da água congelada que existe em Marte e que se acredita estar a apenas 2,5 centímetros abaixo da superfície do Planeta Vermelho - isto é, à …

Já se sabe como é que planetas florescem a partir de pequenos pedaços de poeira

Uma equipa de investigadores validou uma teoria que pode explicar como é que os planetas crescem a partir de pequenos pedaços de poeira interestelar. O crescimento de um pequeno pedaço de poeira até um planeta inteiro …

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …