Cientistas sugerem que os gorilas não batem no peito apenas para se exibir

Os cientistas sugerem que o ato de bater no peito permite aos gorilas machos sinalizar o seu tamanho e assim evitar brigas desnecessárias.

De acordo com o jornal The Guardian, cientistas que estudam gorilas-das-montanhas (Gorilla beringei beringei) consideram que, embora este gesto de bater no peito seja uma forma de se exibirem, também serve para passar informação honesta uns aos outros.

“Descobrimos que é definitivamente um sinal real e confiável – os machos estão a transmitir o seu verdadeiro tamanho“, disse Edward Wright, investigador do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva, na Alemanha, e co-autor do estudo publicado, a 8 de abril, na revista científica Scientific Reports.

A equipa estudou este comportamento em seis machos adultos que vivem no Parque Nacional dos Vulcões, no Ruanda. Em primeiro lugar, determinou a largura das costas de cada gorila a partir de uma fotografia. De seguida, filmou 36 episódios deste comportamento entre os seis animais e partiu para a análise das gravações.

Segundo o jornal britânico, os resultados da pesquisa revelaram que a duração das batidas no peito, o número de batidas e a taxa das batidas durante um episódio não estavam associadas ao tamanho do gorila. No entanto, quanto maior era o gorila, menor era a frequência do som produzido.

Os investigadores observaram que um corpo maior estava relacionado com aspetos como o sucesso reprodutivo (tanto em termos do número de fêmeas e de crias) e a posição social entre os outros machos.

Ou seja, o novo estudo sugere que bater no peito pode ser uma forma útil de os machos transmitirem o seu tamanho, o que poderia ajudá-los a conquistar parceiras e a evitar brigas potencialmente perigosas.

“O mais pequeno vê este comportamento e percebe: ‘Ok, tu és maior. Não adianta lutar contigo porque é muito provável que vá perder e me vá magoar. Isso não é bom para mim, então vou apenas recuar'”, explicou Wright.

Porém, o facto de os animais maiores terem sons de frequência mais baixa quando fazem este gesto continua a ser um mistério. “Pode ser o volume do peito, ou o tamanho da mão, ou uma combinação dos dois, pois provavelmente estão correlacionados”, disse o investigador.

Wright acrescentou ainda que bater no peito pode ser particularmente útil, uma vez que a densa vegetação do habitat faz com que nem sempre os gorilas consigam avaliar logo um macho à primeira vista: a batida pode ser audível a mais de um quilómetro de distância.

ZAP ZAP //

 

 

 

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …

Reino Unido quer reconhecer animais como seres com sentimentos

O Governo britânico anunciou um amplo plano de defesa dos animais que inclui medidas como o reconhecimento dos animais como seres com sentimentos, a proibição da exportação de animais vivos e da importação de troféus …

PAN rejeita "via verde" para o Governo (e admite travar próximo Orçamento "se necessário")

O PAN não pretende oferecer “uma via verde para o Governo fazer o que bem entender” e admite mesmo travar o Orçamento de Estado "se for necessário". As palavras são da presidente do Grupo Parlamentar do …

Bloco quer administração da RTP nomeada pela Assembleia da República

O Bloco de Esquerda fez várias propostas à revisão do contrato de concessão do serviço público de rádio e televisão. Do lado dos trabalhadores da RTP, a proposta foi arrasada. O Governo colocou em consulta pública, …

Decisão da insolvência da Groundforce pode demorar dois meses. Salários de maio em risco

Os salários de maio de 2400 trabalhadores da Groundforce devem ser pagos dentro de duas semanas, mas é grande a probabilidade de que isso não aconteça, à semelhança do que ocorreu em fevereiro, elevando as …

Pedro Nuno Santos garante que investimento público em redes de nova geração vai avançar

Pedro Nuno Santos garantiu, na quinta-feira, que o “investimento público” em redes de comunicações eletrónicas “vai avançar”, de forma a levar conectividade às regiões do país onde as redes das operadoras privadas não chegam. O ministro …

PPP hospitalares geraram poupanças para o Estado

O Tribunal de Contas publicou um relatório em que sustenta não ter dúvidas sobre as vantagens que as parcerias público-privadas (PPP) na saúde trouxeram ao Estado, ao longo da última década. Os hospitais em parceria público-privada …

Banco de Fomento está a integrar trabalhadores do antigo BPN

O Banco Português de Fomento está a recrutar colaboradores do antigo BPN para desempenhar funções técnicas, numa altura em que a Parvalorem, onde estão integrados, solicitou ao Executivo o estatuto de empresa em reestruturação. Segundo apurou …