Funcionários chineses corruptos apanhados pelos relógios caros (e sorrisos)

3

(dr) CCTV

-

Yang Dacai foi apanhado a sorrir no local de um acidente. E pior que isso, tinha um relógio caro.

A China é uma terra de contrastes, mas há algo que nos seria útil juntar ao leque de coisas que de lá importamos: a forma como facilmente se apanham agentes oficiais corruptos.

Nos últimos anos, na China, é cada vez mais frequente apanhar governantes corruptos, principalmente após a popularização do acesso à internet e às redes sociais.

Um caso paradigmático, ocorrido em 2012, começou com uma simples foto, na qual Yang Dacai, um agente das autoridades chinesas, foi apanhado a sorrir no local de um violento acidente, em Xi’an, no centro da China, no qual tinham morrido 36 pessoas.

Muitos chineses ficaram chocados com tal expressão facial de felicidade perante a desgraça, e deram início a uma “investigação popular”, tendo rapidamente descoberto que Dacai tinha uma enorme apetência por relógios caros.

Uma consulta das fotos em que aparecia permitiu até concluir que possuía uma quantidade considerável deles – incluindo alguns que não deveria ter capacidade financeira para comprar com o seu ordenado de funcionário público.

(dr) CCTV

O peculiar gosto de Yang Dacai por relógios caros foi exposto nas redes sociais chinesas

O peculiar gosto de Yang Dacai por relógios caros foi exposto nas redes sociais chinesas

Yang Dacai ficou mesmo conhecido como Tipo do Relógio.

A revelação de tal colecção de relógios deu origem a um pedido oficial sobre os rendimentos do agente, que este se recusou fazer.

Mas o governo central acabou por intervir, e, contou na altura o The Guardian, o caso resultou numa condenação do agente a uma pena de 14 anos de prisão.

Pior do que isso: segundo a agência chinesa Xinhua, o Estado confiscou todos os bens ganhos ilicitamente por Dacai – incluindo a sua colecção de relógios.

Já seria um caso insólito, mas as coisas não se ficaram por aqui…

Depois deste incidente, um outro funcionário público chinês foi apanhado, numa visita ao local onde tinha ocorrido um terramoto, na província de Sichuan.

Numa foto publicada online era claramente visível, pela marca no pulso do braço esquerdo, que se tratava de um utilizador de relógios de pulso.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mas era também claro que o funcionário tinha tirado o relógio e escondido no bolso das calças para não ser visível na foto.

(dr) xinhuanet.com

-

Ao centro, de preto, Li Keqiang, membro do Bureau Político do Comité Permanente do PCC, no local de um terramoto na província de Sichuan. À direita, camisa branca, o Tipo Sem Relógio.

A pequena “esperteza” não passou despercebida aos internautas mais atentos, que depressa foram pesquisar por mais fotos suas – apenas para se descobrir que também ele tinha apetite por relógios caros.

Também este funcionário das autoridades chinesas foi investigado, julgado e condenado por corrupção.

E ficou, por sua vez, conhecido como Tipo Sem Relógio.

ZAP / Os Velhotes dos Marretas

3 Comments

  1. Aqui para nós onde os partiditos de esquerda estão constantemente com a crítica ao capitalismo esquecem-se do outro capitalismo aquele que eles tanto defendem que é o do Estado onde os ladrões são em maior número e o capital nem sequer reverte para a criação de empresas ou emprego.

    • Pois é, no capitalismo de Estado, como lhe chama, os ladrões são em maior numero, já no capitalismo privado, de direita, os ladrões são em menor numero, roubam é 10 vezes mais do que os do Estado. Basta olhar para os Bancos PRIVADOS, aquilo é que foi gamar, só o Bpn foram 5000 milhões, que bom não é? Va se tratar!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.