Forte “sagrado” onde indígenas do Alasca resistiram aos invasores russos descoberto 200 anos depois

National Park Service

Indígenas do Alasca tentam travar a invasão dos russos.

Uma equipa de arqueólogos descobriu na Ilha de Baranof, no Alasca, os restos de um forte indígena de 200 anos, usado como base defensiva contra a invasão russa de 1804.

O forte tinha 73 metros de comprimento e 50 metros de largura e foi construído por indígenas tlingit e kiks.ádi.

Há cerca de 100 anos que investigadores tentavam localizar com exatidão este forte que foi usado para combater a invasão das forças colonialistas russas. Nunca antes tinham encontrado provas concretas da sua localização. Os resultados do estudo foram publicados este mês na revista científica Antiquity.

Depois de muita procura, os investigadores encontraram anomalias eletromagnéticas numa clareira do Parque Histórico Nacional de Sitka, no estado norte-americano do Alasca.

Muito do que agora é o Alasca estava sob controlo russo até que os Estados Unidos compraram a área em 1867. Enquanto os russos governavam a área, as populações indígenas travaram uma dura luta contra esse colonialismo agressivo, explica o All That’s Interesting.

Em 1802, o povo tlingit destruiu um assentamento russo, o que forçou a sua retirada da região. Dois anos depois, à procura de vingança, os russos regressaram com uma força de 1.500 homens. Contudo, os tlingit compraram centenas de armas e canhões aos britânicos e americanos. Além disso, durante a ausência dos russos, construíram um forte com os kiks.ádi.

Os grupos indígenas construíram a estrutura num sítio em que ficasse garantido que não estava ao alcance da artilharia naval russa.

“Foi construído com madeira tão espessa e forte que o tiro das minhas armas não conseguiu penetrar na curta distância do comprimento de um cabo [entre 180 e 220 metros]”, escreveu Yuri Lisyansky, que serviu como capitão do navio de guerra russo Neva.

O conflito durou alguns dias até aos indígenas terem ficado sem pólvora e fugido para o interior. Os tlingit acabariam por fazer um acordo com os russos, deixando-os negociar as suas peles de lontra marinha ao largo da costa.

Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Sete mortos e 306 infetados nas últimas 24 horas

Portugal registou, esta segunda-feira, 306 novos casos e sete mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Rússia Unida anuncia vitória nas legislativas

O partido do Kremlin, Rússia Unida, reivindicou no domingo a vitória nas eleições legislativas russas, mas a sua maioria constitucional na Duma, a câmara baixa do parlamento, está ainda por apurar, após a contagem de …

Cientistas estão a dar vida ao holodeck, um holograma que você pode tocar

Os cientistas estão cada vez mais perto de tornar o holodeck uma realidade. Investigadores estão a criar um holograma que você pode tocar. A série Star Trek: The Next Generation apresentou a milhões de pessoas a …

A partir de novembro, EUA passam a permitir entrada de estrangeiros totalmente vacinados

A partir do início de novembro, os Estados Unidos passam a permitir a entrada de viajantes da União Europeia (UE) e do Reino Unido, desde que estejam totalmente vacinados. Os Estados Unidos vão reduzir as restrições …

Talibãs mandam funcionárias do governo de Cabul ficar em casa

As funcionárias do governo de Cabul devem ficar em casa. A única exceção aplica-se às trabalhadoras cujos cargos não podem ser desempenhados por homens. Só as mulheres "que não podem ser substituídas por homens" podem regressar …

"Tatatatatatata." A bazuca de Costa é, afinal, uma "metralhadora" que dispara de rajada

Rui Rio considera que António Costa devia chamar a bazuca de metralhadora, porque o primeiro-ministro "dispara de rajada" promessas. "HK21 tem fita, carrega-se, e aquilo dispara tatatatatatata." O presidente do PSD, Rui Rio, ironizou esta segunda-feira …

Campanha alerta população sobre cancros de sangue e apela para informação

Uma campanha para quebrar o silêncio sobre os cancros do sangue e alertar para a importância do diagnóstico precoce está nas ruas até final de setembro, lembrando que é essencial estar atento a sintomas e …

Pfizer diz que vacina é "segura" para crianças dos cinco aos 11 anos

A Pfizer/BioNTech anunciaram, esta segunda-feira, que a vacina é segura e parece gerar uma resposta imunitária robusta nas crianças dos cinco aos 11 anos. Depois de um estudo com 2.268 participantes, a Pfizer/BioNTech anunciaram que a …

PS e CDS na Madeira desencontrados, PSD e Bloco continuam no Norte

No arranque da segunda semana de campanha para as autárquicas, os líderes do PS e do CDS-PP apostam na Madeira mas com horários desencontrados, enquanto BE e PSD continuam a norte, e PAN e PCP …

Confronto entre EUA e China é "perigoso para o mundo", alerta Guterres

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou no domingo que um confronto entre os Estados Unidos (EUA) e a China é "perigoso para o mundo" e que, apesar das diferenças, há áreas onde …