Florida vai pedir pena de morte para atirador de Parkland

Mike Stocker / EPA

Os procuradores do ministério público do estado norte-americano da Florida anunciaram que vão pedir a pena de morte para Nikolas Cruz, o adolescente que matou a tiro 17 pessoas há um mês numa escola de Parkland.

Cruz, de 19 anos, comparece na quarta-feira em tribunal para ser formalmente acusado. São-lhe imputados 17 crimes de homicídio e os seus advogados fizeram saber que ele aceitará declarar-se culpado em troca da garantia de que não será executado.

Uma negociação da pena mantém-se teoricamente possível apesar do anúncio hoje feito pelos procuradores.

A data do julgamento de Cruz, condicionada pelo facto de ser declarado suficientemente “são de espírito” para ser julgado, ainda não foi marcada.

Michael Satz, procurador do condado de Broward, declarou-se convicto de que a acusação demonstrará que os homicídios de Cruz foram “particularmente odiosos, atrozes e cruéis”.

O rapaz, antigo aluno da escola que atacou com a sua espingarda automática, foi detido pouco depois do tiroteio que vitimou 14 alunos e três professores, e que não tentou negar.

Exatamente um mês após os homicídios, dezenas de milhares de estudantes norte-americanos vão na quarta-feira sair das respetivas salas de aula durante 17 minutos, em memória das vítimas – um ato que pretende também ser um apelo ao Congresso para que aja contra a proliferação das armas de fogo.

  zap // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE