Físicos descobrem um “hotspot” de poderosos raios cósmicos

Ben Stokes, Universidade do Utah

Nesta longa exposição, as estrelas parecem rodar por cima do complexo Middle Drum do Telescope Array, um observatório de raios cósmicos situado no deserto a Oeste de Delta, Utah, EUA.

Nesta longa exposição, as estrelas parecem rodar por cima do complexo Middle Drum do Telescope Array, um observatório de raios cósmicos situado no deserto a Oeste de Delta, Utah, EUA.

Um observatório gerido pela Universidade do Utah (EUA) descobriu um “hotspot” por baixo da Ursa Maior que emite um número desproporcional de raios cósmicos altamente energéticos. A descoberta move a física um passo em frente na identificação das misteriosas fontes das partículas mais energéticas do Universo.

“Isto coloca-nos mais perto de descobrir as fontes – mas ainda falta um bocado,” afirma Gordon Thomson, físico da Universidade do Utah, porta-voz e co-investigador principal do Telescope Array do observatório de raios cósmicos a Oeste de Delta, no estado americano do Utah. É o maior detector de raios cósmicos do Hemisfério Norte.

“Tudo o que vemos é uma mancha no céu, e dentro desta mancha existem todo o género de coisas – vários tipos de objectos – que podem ser a fonte” dos raios cósmicos poderosos, acrescenta. “Agora nós sabemos onde procurar.”

physics.utah.edu

Gordon Thomson, astrofísico da Universidade do Utah, EUA

Gordon Thomson, astrofísico da Universidade do Utah, EUA

Um novo estudo que identifica um “hotspot” no céu do norte para raios cósmicos altamente energéticos foi aceite para publicação na revista Astrophysical Journal Letters.

Thomson diz que muitos astrofísicos suspeitam que os raios cósmicos ultra-energéticos são gerados por núcleos activos de galáxias, ou NAGs, nos quais o material é sugado para um buraco negro supermassivo no centro da galáxia, enquanto outro material é expelido para fora num jacto conhecido como blazar. Outra possibilidade popular é que os raios cósmicos mais energéticos vêm de algumas supernovas (explosão de estrelas) que emitem rajadas de raios-gama.

Os raios cósmicos menos energéticos vêm do Sol, de outras estrelas e da explosão de estrelas, mas a fonte ou fontes dos raios cósmicos mais energéticos permanece um mistério há décadas.

O estudo foi realizado por 125 investigadores do projecto Telescope Array, incluindo Thomson e 31 outros físicos da Universidade do Utah, além de 94 outros cientistas da Universidade de Tóquio e de 28 outros institutos de pesquisa do Japão, Estados Unidos, Coreia do Sul, Rússia e Bélgica.

Partículas de além da nossa Galáxia

Os raios cósmicos, descobertos em 1912, na verdade são partículas, não raios: ou protões (núcleos de hidrogénio) ou os centros ou núcleos de elementos mais pesados como o carbono, oxigénio, azoto ou ferro. Thomson e muitos físicos acreditam que os raios cósmicos de alta-energia são apenas protões, embora alguns suspeitem que incluem núcleos de hélio e azoto.

Além de núcleos galácticos activos e emissores de raios-gama, as possíveis fontes incluem galáxias ruidosas no rádio, ondas de choque em colisões galácticas e até mesmo algumas fontes hipotéticas mais exóticas como o decaimento das chamadas “cordas cósmicas” ou de partículas maciças que sobraram do Big Bang que formou o Universo há 13,8 mil milhões de anos atrás. (…)

Se um raio cósmico ultra-energético penetrasse a atmosfera e atingisse alguém na cabeça, essa única partícula subatómica teria um efeito parecido com ser atingido por uma bola de basebol rápida.

Os raios cósmicos ultra-energéticos vêm de fora da nossa Galáxia, que mede cerca de 100.000 anos-luz de diâmetro. Mas 90% deles surgem até 300 milhões de anos-luz da Via Láctea porque os raios cósmicos poderosos a distâncias ainda maiores são muito enfraquecidos pela interacção com a radiação cósmica de fundo – o brilho fraco do Big Bang, afirma Charlie Jui, professo de física e astronomia da Universidade do Utah.

O raio cósmico ultra-energético mais poderoso alguma vez medido foi detectado neste estado americano em 1991 pelo Observatório Fly’s Eye da mesma Universidade – um predecessor do Telescope Array actual. Essa partícula de raio cósmico transportava uma energia de 3×10^20 eV.

John Matthews, Universidade do Utah

Este detector a energia solar do Telescope Array, parecido com uma mesa, mede a força e a direcção da "chuva de ar" de partículas que caem para a Terra após os raios cósmicos atingirem moléculas de gás na atmosfera.

Este detector a energia solar do Telescope Array, parecido com uma mesa, mede a força e a direcção da “chuva de ar” de partículas que caem para a Terra após os raios cósmicos atingirem moléculas de gás na atmosfera.

O Telescope Array usa dois métodos para detectar e medir raios cósmicos. Em três locais espalhados pelo deserto, conjuntos de espelhos chamados detectores de fluorescência observam o céu em busca de “flashes” fracos e azuis, criados quando os raios cósmicos atingem as moléculas de azoto na atmosfera.

Estas colisões criam uma cascata de outras colisões com gases atmosféricos, resultando em “chuvas de ar” de partículas detectadas por 523 detectores de cintilação parecidos a mesas, espalhados por mais de 300 quilómetros quadrados de deserto. No novo estudo, afirma John Matthews, professor de física e astronomia da Universidade do Utah, foram usados 507 detectores de cintilação para investigar os raios cósmicos ultra-energéticos. Os detectores de fluorescência ajudaram a determinar a energia e a composição química das partículas de raios cósmicos.

Um “hotspot” de raios cósmicos

A equipa de pesquisa do Telescope Array, para o novo estudo, procurou raios cósmicos altamente energéticos. Thomson diz que este corte elevado foi escolhido porque os raios cósmicos mais energéticos são menos “dobrados” pelos campos magnéticos no espaço – flexão esta que oculta as direcções de onde surgem e, assim, as direcções das suas fontes.

Estes raios cósmicos muito poderosos foram registados pelo Telescope Array entre 11 de Maio de 2008 e 4 de Maio de 2013. Durante os cinco anos, apenas 72 destes raios cósmicos foram detectados, confirmados e analisados para determinar a sua energia e direcção da fonte.

Mas 19 desses raios cósmicos foram detectados vindos da direcção do “hotspot”, em comparação com apenas 4,5 que seria de esperar caso os raios cósmicos surgissem aleatoriamente de todas as partes do céu, afirma Jui.

O “hotspot” é um círculo com um diâmetro de 40 graus, que representa 6% do céu do Hemisfério Norte. “Temos um-quarto dos nossos eventos naquele círculo, em vez de 6%,” comenta Jui.

Este mapa do céu norte mostra a concentração de raios cósmicos ultra-energéticos, com um "hotspot" desproporcional na área amarela e vermelha.

Este mapa do céu norte mostra a concentração de raios cósmicos ultra-energéticos, com um “hotspot” desproporcional na área amarela e vermelha.

Thomson diz que o “hotspot” está centrado no canto sudoeste da constelação de Ursa Maior. “Está um par de ‘mãos’ (com o braço esticado) abaixo da ‘pega’ da Ursa Maior,” realça.

Mais precisamente – embora não seja visível através de telescópios normais – o “hotspot” está centrado na ascensão recta de 146,6 graus e 43,2 graus de declinação.

Está perto do “plano supergaláctico” – o superenxame galáctico de Virgem, bastante achatado. A nossa Via Láctea encontra-se na periferia deste aglomerado gigante.

A probabilidade deste “hotspot” ser um acaso estatístico, em vez de real, é de apenas 1,4 em 10.000, calculam os cientistas.

As observações por Pierre Auger do observatório de raios cósmicos na Argentina fornecem evidências de um “hotspot” mais fraco no Hemisfério Sul. A ser real, Thomson diz que os raios cósmicos nos “hotspots” norte e sul devem vir de fontes diferentes. (…)

O Telescope Array, construído por 17 milhões de dólares, começou operações em 2008 e mais tarde foi actualizado, elevando o custo até cerca de 25 milhões de dólares, dos quais dois-terços foram financiados pelo Japão e o restante um-terço pelos EUA, principalmente por meio da Universidade do Utah, conclui Matthews.

CCVAlg

PARTILHAR

RESPONDER

China constrói centro de quarentena em Hebei para quatro mil pessoas

Um centro de quarentena com capacidade para mais de quatro mil pessoas está a ser construído na cidade de Shijiazhuang, com 10 milhões de habitantes, na província de Hebei, afetada por um surto de covid-19. Imagens …

Especialistas preveem mais birras e frustrações nas crianças durante o novo confinamento

A falta das brincadeiras e da socialização, aliadas a um aumento da exposição aos ecrãs, podem originar mais birras, desentendimentos e frustrações das crianças e jovens que regressam a casa para um novo confinamento, asseguram …

Musk oferece prémio de 100 milhões por tecnologia para capturar carbono

Elon Musk lançou um novo desafio: O CEO da Tesla e da SpaceX vai oferecer um prémio de 100 milhões de dólares a quem projetar uma tecnologia eficaz de captura de carbono. Elon Musk sabe que, …

PSP multou 406 pessoas (e deteve 16) este fim de semana

A PSP deteve, durante o passado fim de semana, 16 pessoas e multou 406 por incumprimento do dever geral de recolhimento, num total de 621 operações de fiscalização. Dos detidos, “dez foram por desobediência ao …

SpaceX envia recorde de 143 satélites e cinzas humanas num único foguete

A SpaceX enviou no domingo um recorde de 143 satélites num único foguete, como parte do novo programa de carga partilhada entre empresas a um custo mais baixo, entre elas a funerária Celestis, que mandou …

Viagens de residentes caíram 84,8% para fora e 18,5% em Portugal no 3.º trimestre de 2020

As viagens turísticas de residentes em Portugal diminuíram 84,8% com destino ao estrangeiro e 18,5% em território nacional, no terceiro trimestre de 2020, em termos homólogos, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE). Segundo as …

Santander encerrou 60 balcões em 2020 e prevê fechar mais 30 até março

O Santander encerrou 60 balcões em 2020 e estima fechar mais cerca de 30 este trimestre, numa adaptação ao modelo de negócio que diz obrigatória para sobreviver. A Comissão Executiva do Santander, que assina a carta enviada …

Instituto Pasteur interrompe desenvolvimento de vacina

O Instituto Pasteur anunciou esta segunda-feira ter parado o desenvolvimento do seu principal projeto de vacina contra a covid-19, porque os primeiros ensaios demonstraram ser menos eficaz do que se esperava. Um outro agente francês, o …

Maduro anuncia "gotas milagrosas" 100% eficazes contra a covid-19

Este domingo, o Presidente venezuelano Nicolás Maduro apresentou um suposto medicamento desenvolvido no país que descreveu como "gotas milagrosas", 100% eficazes contra a covid-19. O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, apresentou este domingo umas gotas que …

Associação de Juízes pede urgência na aprovação de lei sobre suspensão de prazos processuais

A Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) pediu esta segunda-feira ao Governo e ao parlamento a "maior urgência" na aprovação da proposta de lei que determina a suspensão dos prazos nos processos judiciais não urgentes. Segundo …