Físicos criam algoritmo para captar a primeira imagem de um buraco negro

Físicos encontraram um novo algoritmo que os poderá ajudar a captar a primeira imagem alguma vez vista de um buraco negro.

Se pesquisarmos no motor de busca do Google a expressão “buraco negro”, é certo que vamos ser engolidos por um sem número de imagens inspiradoras e incríveis desse fenómeno.

No entanto, a triste verdade é que essas imagens não passam de representações de como os buracos negros poderiam ser porque, na verdade, nunca vimos um verdadeiro.

Tal como as bruxas, nós sabemos que eles andam por aí mas, graças ao seu enorme tamanho e à distância a que se encontram da Terra, torna-se impossível vê-los.

Felizmente, físicos do MIT e da Universidade de Harvard não estão assim tão dispostos a desistir e desenvolveram um novo algoritmo que poderá ajudar a produzir a primeira imagem real do buraco negro Sagittarius A.

O buraco negro em questão tem cerca de 24 milhões de quilómetros de diâmetro, o que significa que é 17 vezes maior do que o nosso Sol. Além disso, está a mais de 25 mil anos-luz de distância.

“Um buraco negro está muito, muito distante de nós e é muito compacto. Tirar uma fotografia de um seria o equivalente a capturar uma toranja na Lua, mas com um radiotelescópio”, conta a líder da investigação, Katie Bouman, citada pelo Science Alert.

“Para conseguir ver algo deste género, seria preciso um telescópio com um diâmetro de praticamente 10 mil quilómetros, o que não seria nada prático, uma vez que o diâmetro da Terra não chega aos 13 mil”, explica.

Por isso, a investigadora criou um novo método que utiliza nove radiotelescópios espalhados à volta do mundo para, de seguida, combinar as suas imagens até criar uma realmente coesa.

Segundo Bouman, os comprimentos de onda de rádio trazem “uma série de vantagens”.

“Tal como as frequências de rádio passam por paredes, também perfuram poeira galáctica. Nós nunca seriamos capazes de ver o centro da nossa galáxia em comprimentos de onda visíveis porque há muita coisa pelo meio”, explica.

Um algoritmo desenvolvido pela mesma equipa irá preencher as lacunas e filtrar a interferência e ruído causados pela nossa própria atmosfera, com o objetivo de conseguir uma imagem o mais clara possível.

O projeto, conhecido por Event Horizon Telescope, concluiu recentemente a maior parte dos seus preparativos técnicos e pode começar a produzir a sua primeira imagem de um buraco negro a partir de 2017.

ZAP / Hypescience

PARTILHAR

RESPONDER

Astrónomos descobrem uma super-Terra perto de uma estrela gelada

Uma equipa de investigadores descobriu uma super-Terra a orbitar GJ 740, uma estrela anã fria localizada a cerca de 36 anos-luz do nosso planeta. Nos últimos anos, os cientistas têm levado a cabo uma busca exaustiva …

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …