Decisão “tomada e fechada”. Fecho da refinaria de Matosinhos é “irreversível”

Esta terça-feira, na reunião da Câmara de Matosinhos, José Carlos Silva, vogal do conselho de administração da Galp, disse que o encerramento da refinaria de Matosinhos “é um caminho irreversível”.

José Carlos Silva, responsável pela refinaria da Galp de Matosinhos, voltou a afirmar esta terça-feira que a decisão de encerramento “está tomada e fechada” e que para o complexo não está previsto “nenhum projeto de refinação de lítio”.

“Esta não é uma decisão reversível pelos fundamentos que foram analisados e valorizados pelo Conselho de Administração. A decisão está tomada e fechada”, afirmou o engenheiro, na reunião da câmara de Matosinhos.

O responsável pela refinaria da Galp de Matosinhos defendeu que a decisão da empresa “não prejudica o interesse nacional” e que continuará a garantir a disponibilidade dos produtos que comercializa aos seus clientes.

Em resposta a questões dos vereadores, José Silva afirmou que não existe “nenhum projeto de refinação de lítio” para o complexo industrial. “Queria deixar uma afirmação muito sintética e clara: não existe nenhum projeto de refinação de lítio para Matosinhos, o que existe é um estudo de cadeia de valor das baterias porque a armazenagem das baterias está no ADN da Galp”, referiu.

Quanto aos trabalhadores, o responsável afirmou que a Galp tem mantido “um diálogo de proximidade com as estruturas representativas dos trabalhadores”, acrescentando que foram realizadas duas reuniões, uma no dia 21 de dezembro (aquando do anúncio do encerramento) e outra hoje.

José Silva garantiu que a empresa vai “procurar encontrar soluções para todas as pessoas” e que “será feita uma avaliação de cada trabalhador”, sendo que essas soluções “pressupõe que muitas poderão ser recolocadas noutras funções ou localizações, mas também ver recapacitadas as suas competências para fazer face a outros desafios”.

O responsável salientou ainda que o encerramento da refinaria está alicerçado a um projeto de desmantelamento que “durará entre três e cinco anos” e que necessitará de mão de obra.

A transição energética, as alterações de padrões de consumo e os investimentos em refinação foram alguns dos principais fatores e desafios futuros que, segundo, José Carlos Silva impactaram a “decisão complexa e difícil” de encerramento da refinaria.

Em 21 de dezembro, a Galp anunciou, num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que “continuará a abastecer o mercado regional mantendo a operação das principais instalações de importação, armazenamento e expedição de produtos existentes em Matosinhos”, e que está a “desenvolver soluções adequadas para a necessária redução da força laboral e a avaliar alternativas de utilização para o complexo”.

A empresa afirmou que as “alterações estruturais dos padrões de consumo de produtos petrolíferos motivados pelo contexto regulatório e pelo contexto covid-19 originaram um impacto significativo nas atividades industriais de ‘downstreaming’ da Galp”, e disse que “o aprovisionamento e a distribuição de combustíveis no país não serão impactados por esta decisão”.

Esta reconfiguração “permitirá uma redução de mais de Euro90m por ano em custo fixos e investimentos e c.900kt das emissões de CO2 e (scope 1 e 2) associadas ao sistema atual”, refere a nota.

Esta decisão já desencadeou várias reações com o Governo a considerar que a decisão da Galp “levanta preocupações” em relação ao destino dos trabalhadores, mas a lembrar que as medidas anunciadas se inserem num processo que visa a descarbonização do setor energético.

  // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

BE e PCP fazem pressão e Carlos César questiona: "Sentem-se melhor a fazer oposição ou a fazer acordos?"

O presidente do PS defendeu, esta quinta-feira, que Bloco e PCP têm de esclarecer "o que os move" nas negociações orçamentais: se preferem fazer oposição a um Governo de direita ou fazer acordos com um …

Apenas 14% das vacinas prometidas aos países mais pobres foram efetivamente entregues

Apesar das promessas deixadas por muitos dos países mais ricos e desenvolvidos, número de vacinas que chegou aos territórios é ainda muito baixo, o que pode comprometer os avanços já conseguidos. Apenas uma em sete doses …

Presidente da Coreia do Sul anuncia fracasso da colocação de satélite em órbita

O primeiro foguetão espacial fabricado pela Coreia do Sul falhou a colocação em órbita da sua carga, um satélite simulado de 1,5 toneladas, apesar de o lançamento ter tido sucesso, disse o Presidente do país. O …

Juízes recusam suspender julgamento de Ricardo Salgado

O juiz que está a julgar o ex-presidente do Banco Espírito Santo (BES), no âmbito da Operação Marquês, recusou suspender o julgamento, depois de a sua defesa ter alegado o facto de ter sido diagnosticado …

Quadro de Van Gogh, que esteve nas mãos dos nazis, vai a leilão. Deverá render 25 milhões de euros

Uma pintura de Vincent van Gogh vai ser leiloada no próximo mês, depois de mais de um século sem ser vista em público. Estima-se que o preço de venda chegue aos 25 milhões de euros. O …

Coreia do Sul lança com êxito o seu primeiro foguetão espacial

A Coreia do Sul lançou hoje o seu primeiro foguetão de fabrico próprio, segundo as imagens transmitidas pela televisão, tornando-se o décimo país do mundo com capacidade para desenvolver e lançar veículos espaciais. O veículo coreano …

"A melhor coisa que pode acontecer a Portugal era o Governo ser derrubado e desaparecer"

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, defendeu hoje que “a melhor coisa que podia acontecer a Portugal”, neste momento, era o executivo liderado por António Costa “ser derrubado e desaparecer”. Miguel Albuquerque afirmou …

Mulher de João Rendeiro tem mais três dias para entregar as obras em falta

O prazo para a entrega das obras acabou esta quarta-feira, mas a juíza do processo em que João Rendeiro foi condenado a dez anos de prisão efetiva deu mais três dias à mulher do ex-banqueiro. Depois …

Uma estrada com alguns automóveis

Sete cidades do Norte podem ir a jogo pela neutralidade carbónica

Gaia, Porto, Matosinhos, Famalicão, Guimarães, Braga e Viana do Castelo poderão ir a jogo na Missão Climate Neutral & Smart Cities, que quer apoiar a redução de emissões em 100 cidades. Uma coligação de sete cidades …

Teste à covid-19

Subvariante da Delta identificada em Israel. Em Portugal há nove casos

Em Portugal, já foram detetados nove casos da variante AY4.2, subvariante da Delta, de acordo com o mais recente relatório do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge sobre diversidade genética do novo coronavírus SARS-CoV-2. O …