Cientistas inseriram com sucesso “falsas” sensações no cérebro

Uma equipa de cientistas conseguiu modificar a atividade de vários neurónios ao mesmo tempo com um dispositivo que permitirá, no futuro, moldar a memória, suprimir a dor e introduzir imagens no nosso cérebro.

Uma técnica desenvolvida para “editar” as sensações sentidas pelo nosso cérebro por cientistas da Universidade de Berkeley abre caminho a equipamentos capazes de eliminar a dor, inserir padrões de atividade cerebral e adicionar aspetos inexistentes às nossas memórias.

O “modulador cerebral holográfico“, descrito na revista Nature Neuroscience, usa projeções para ativar ou, pelo contrário, suprimir neurónios específicos. O objetivo da equipa é conseguir, desta forma, modificar a atividade do cérebro e inserir falsas sensações.

Uma potencial aplicação, apontada pelos investigadores, é o uso desta tecnologia para ajudar o paciente a controlar um membro prostético. “Esta tecnologia tem um grande potencial para próteses neurais, já que tem a precisão necessária para o cérebro interpretar o padrão de ativação”, sublinha Alan Mardinly, professor assistente de biologia molecular e celular na Universidade de Berkeley.

“Este é um dos primeiros passos num longo caminho para desenvolver uma tecnologia que poderá ser uma espécie de implante cerebral virtual com sentidos adicionais ou sentidos aprimorados”, explica ainda.

No entanto, o modulador está ainda numa fase inicial. No estudo, os cientistas estudaram em particular uma pequena parte do cérebro de um rato, composta por cerca de 2.000 a 3.000 neurónios.

Através da optogenética, os neurónios foram equipados com uma proteína, usando um vírus geneticamente alterado, o que significava que a célula poderia ser ligada ou desligada com um flash de luz.

Para fazer com que essa luz atingisse apenas alguns neurónios, a equipa usou a holografia gerada por computador, que permitiu a criação de um holograma 3D de pontos de luz, que era projetado através de uma camada de tecido na superfície do córtex somatossensorial dos ratinhos.

“O principal avanço desta experiência é a capacidade de controlar neurónios no espaço e no tempo”, afirmou o co-autor do estudo Nicolas Pégard.

Os cientistas não notaram nenhuma mudança comportamental. Aliás, a atividade cerebral dos animais foi semelhante ao que seria de esperar se os ratos respondessem a estímulos sensoriais reais.

O próximo passo desta investigação passa por melhorar a tecnologia, de modo a que consiga trabalhar também com a camada externa do cérebro. Além disso, o tamanho do equipamento precisa de ser reduzido. O objetivo dos cientistas é que caiba numa mochila.

ZAP // alphr

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Na esquizofrenia e doenças mentais as pessoas sentem realmente coisas no corpo que não estão a acontecer, por malfuncionamento do cérebro. Talvez possa ser uma solução para novos tratamentos. Bom estudo e boa sorte.

RESPONDER

Vénus é um "planeta russo", diz o diretor da Roscosmos

O diretor da agência espacial russa (Roscosmos), Dmitry Rogozin, disse na semana passada que Vénus é um "planeta russo", aludindo às expedições bem sucedida do seu país no planeta em meados dos anos 60, 70 …

Entrevista a Bruno Cunha, que quase morreu 7 vezes numa jogada

Postura descontraída, sorriso permanente, adora o voleibol e não procura maior reconhecimento. Bruno Cunha, 23 anos, internacional português. Reforçou a Fonte do Bastardo para a nova época e já foi uma das figuras no «jogo grande» …

Inventor português e Huawei chegam a acordo

O jornal Público avança esta sexta-feira que a produtora de telemóveis inteligentes Huawei chegou a acordo com Rui Pedro Oliveira, o empresário português que a acusava de lhe ter roubado uma ideia. Em causa estava …

OLX regista queda na procura de casas, mas oferta de imóveis subiu 228% em relação a 2019

A pandemia afetou várias áreas da economia e o setor imobiliário não fugiu à regra. De acordo com o Público, a procura de casas para alugar na plataforma OLX teve uma queda abrupta entre os …

Recurso de Sócrates distribuído a Rangel foi redigido por Fátima Galante

Um recurso de José Sócrates, no âmbito da Operação Marquês, distribuído em 2015 ao juiz Rui Rangel, foi, afinal, redigido pela desembargadora Fátima Galante, sua mulher, revela a acusação da Operação Lex. Segundo a acusação do processo …

Filme sobre Snu Abecassis e Francisco Sá Carneiro estreia na RTP1

Snu, a produção realizada por Patrícia Sequeira e lançada nos cinemas portugueses em março do ano passado, chega à RTP1, esta segunda-feira (21), às 22h30. O filme retrata a história romântica de Snu Abecassis e …

Há mais recuperados do que apontam os dados oficiais

A diretora-geral da Saúde admitiu esta segunda-feira que o número de doentes recuperados de covid-19 é superior ao apontado pelos dados oficiais, disponibilizados no boletim diário da DGS, por atrasos na notificação. “Sabemos que há mais …

E agora, o Famalicão-Benfica em versão musical

Senhoras e senhores, bem-vindos à CoronaLiga 2020/2021. Não é ao mambo número cinco. O Lou Bega não sabe o que está a dizer. Ou a cantar. David Lubega. Talvez muita gente não saiba que nasceu em …

StayAway Covid conta mais de um milhão de utilizadores

StayAway Covid, a aplicação móvel que permite rastrear as redes de contágio de covid-19, já foi descarregada por mais de um milhão de pessoas, 19 dias após o seu lançamento. O administrador do Instituto de Engenharia …

Bielorrússia. 440 pessoas detidas violentamente após se juntarem na "marcha da justiça"

Mais de 440 pessoas foram detidas no domingo em várias cidades da Bielorrússia por participarem em protestos contra o Presidente do país, Alexander Lukashenko, informou esta segunda-feira o Ministério do Interior bielorrusso. Em todo o país, …