Cientistas inseriram com sucesso “falsas” sensações no cérebro

Uma equipa de cientistas conseguiu modificar a atividade de vários neurónios ao mesmo tempo com um dispositivo que permitirá, no futuro, moldar a memória, suprimir a dor e introduzir imagens no nosso cérebro.

Uma técnica desenvolvida para “editar” as sensações sentidas pelo nosso cérebro por cientistas da Universidade de Berkeley abre caminho a equipamentos capazes de eliminar a dor, inserir padrões de atividade cerebral e adicionar aspetos inexistentes às nossas memórias.

O “modulador cerebral holográfico“, descrito na revista Nature Neuroscience, usa projeções para ativar ou, pelo contrário, suprimir neurónios específicos. O objetivo da equipa é conseguir, desta forma, modificar a atividade do cérebro e inserir falsas sensações.

Uma potencial aplicação, apontada pelos investigadores, é o uso desta tecnologia para ajudar o paciente a controlar um membro prostético. “Esta tecnologia tem um grande potencial para próteses neurais, já que tem a precisão necessária para o cérebro interpretar o padrão de ativação”, sublinha Alan Mardinly, professor assistente de biologia molecular e celular na Universidade de Berkeley.

“Este é um dos primeiros passos num longo caminho para desenvolver uma tecnologia que poderá ser uma espécie de implante cerebral virtual com sentidos adicionais ou sentidos aprimorados”, explica ainda.

No entanto, o modulador está ainda numa fase inicial. No estudo, os cientistas estudaram em particular uma pequena parte do cérebro de um rato, composta por cerca de 2.000 a 3.000 neurónios.

Através da optogenética, os neurónios foram equipados com uma proteína, usando um vírus geneticamente alterado, o que significava que a célula poderia ser ligada ou desligada com um flash de luz.

Para fazer com que essa luz atingisse apenas alguns neurónios, a equipa usou a holografia gerada por computador, que permitiu a criação de um holograma 3D de pontos de luz, que era projetado através de uma camada de tecido na superfície do córtex somatossensorial dos ratinhos.

“O principal avanço desta experiência é a capacidade de controlar neurónios no espaço e no tempo”, afirmou o co-autor do estudo Nicolas Pégard.

Os cientistas não notaram nenhuma mudança comportamental. Aliás, a atividade cerebral dos animais foi semelhante ao que seria de esperar se os ratos respondessem a estímulos sensoriais reais.

O próximo passo desta investigação passa por melhorar a tecnologia, de modo a que consiga trabalhar também com a camada externa do cérebro. Além disso, o tamanho do equipamento precisa de ser reduzido. O objetivo dos cientistas é que caiba numa mochila.

ZAP // alphr

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Na esquizofrenia e doenças mentais as pessoas sentem realmente coisas no corpo que não estão a acontecer, por malfuncionamento do cérebro. Talvez possa ser uma solução para novos tratamentos. Bom estudo e boa sorte.

RESPONDER

NASA revela novos fatos espaciais que os astronautas vão levar para a Lua (e são pura ficção científica)

A NASA apresentou na terça-feira, na sua sede, em Washington, Estados Unidos, os novos fatos espaciais que os astronautas da missão Artemis vão usar em 2024, quando voltarem à Lua. Fatos feitos em modelos 3D, à …

Panama Papers. Mossack Fonseca não gostou do filme e processou Netflix por difamação

A dupla de sócios do escritório de advogados Mossack Fonseca, envolvido no caso “Panama Papers”, moveu um processo em tribunal por difamação contra a Netflix. A plataforma anuncia a estreia, para esta sexta-feira, do filme “Laundromat: …

Porsche e Boeing unem-se em projeto de táxi aéreo premium

A Porsche e a Boeing estão a unir esforços para explorar o mercado de mobilidade área urbana. Aproveitando os seus pontos fortes, as duas empresas prometem desenvolver um táxi aéreo para o futuro. Numa verdadeira fusão …

Fotografia com pombos? Na Tailândia, há "profissionais" contratados para assustá-los

A área de uma das portas da cidade, Tha Pae, parte do que resta da muralha vermelha que protegia a cidade antiga em Chiang Mai, na Tailândia, é uma das maiores atrações turísticas locais. Os turistas …

Sky News lança canal sem qualquer notícia sobre o Brexit

O canal Sky News Brexit-Free foi esta quarta-feira para o ar às 17h horas, sendo que os seus programas serão transmitidos até às 22h, de segunda a sexta-feira. O grupo de televisão britânico Sky vai lançou …

Vacina contra o cancro da mama pode estar disponível dentro de 8 anos

Investigadores da Clínica Mayo desenvolveram uma vacina contra o cancro ovário e da mama que poderá estar disponível comercialmente dentro de apenas oito anos. A ideia da vacina é estimular o próprio sistema imunológico dos pacientes …

Busca pelo avião de Amelia Earhart só encontrou chapéus, detritos de um naufrágio e uma lata de refrigerante

A mais recente busca pelos restos do avião de Amelia Earhart, a famosa aviadora americana que desapareceu sobre o Pacífico em 1937, terminou sem resultados. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, a investigação …

Protestos em Hong Kong. LeBron acusado de apoiar regime chinês

A super estrela do basquetebol LeBron James juntou-se à polémica entre a NBA e a China, após apelidar de “mal-informado” o treinador dos Houston Rockets, Daryl Morey, que expressou apoio aos manifestantes em Hong Kong …

Acordo para o Brexit está "prestes a ficar fechado"

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, disseram esta quarta-feira que um acordo para o Brexit está em finalização e poderá ser apresentado quinta-feira para aprovação no Conselho Europeu. "Quero acreditar que …

Em Chernobyl, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram para trás"

Chernobyl é, atualmente, a maior atração internacional da Ucrânia e o novo presidente, Volodymyr Zelenski, já apresentou um projeto para trazer ainda mais turistas. No entanto, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram …