Milhares de exoplanetas da Via Láctea podem ser feitos de diamantes

No Sistema Solar, os planetas, mas estão limitados pela composição do Sol, uma vez que os corpos espaciais são feitos do que resta quando o Sol se acaba de formar. Porém, nem todas as estrelas são feitas do mesmo material que o nosso Sol, o que significa que, na Via Láctea, há exoplanetas totalmente diferentes.

Estrelas que são ricas em carbono em comparação com o nosso Sol – com mais carbono do que oxigónio – podem ter exoplanetas feitos principalmente de diamante, com um pouco de sílica, se as condições forem adequadas. Agora, em laboratório, cientistas esmagaram e aqueceram carboneto de silício para descobrir quais seriam essas condições.

“Estes exoplanetas são diferentes de tudo no nosso Sistema Solar”, disse o geofísico Harrison Allen-Sutter, da Escola de Exploração da Terra e do Espaço da Universidade do Estado do Arizona, em comunicado.

A ideia de que estrelas com uma relação carbono-oxigénio mais alta do que o nosso Sol podem produzir planetas de diamante surgiu pela primeira vez com a descoberta do exoplaneta 55 Cancri e, uma super-Terra que orbita uma estrela considerada rica em carbono a 41 anos-luz de distância. Porém, foi descoberto depois que a estrela não era tão rica em carbono como se pensava, o que pôs fim a essa ideia.

No entanto, entre 12% e 17% dos sistemas planetários podem estar localizados em torno de estrelas ricas em carbono. Os cientistas já exploraram e confirmaram a ideia de que estes planetas são provavelmente compostos principalmente de carbonetos, compostos de carbono e outros elementos.

Os investigadores hipotetizaram que, se o planeta fosse rico em carboneto de silício e se houvesse água para oxidar o carboneto de silício e convertê-lo em silício e carbono, então, com calor e pressão suficientes, o carbono poderia tornar-se diamante.

Os cientistas pegaram em pequenas amostras de carboneto de silício e mergulharam-nas em água. Em seguida, as amostras foram colocadas na célula da bigorna de diamante, que as comprimiu a pressões de até 50 gigapascais – cerca de 500 mil vezes a pressão atmosférica da Terra ao nível do mar. Depois de espremidas, a equipa aqueceu-as com lasers.

No total, os investigadores conduziram 18 experiências e descobriram que, assim como tinham previsto, em altas temperaturas e alta pressão, as amostras de carboneto de silício reagiram com água para se converter em sílica e diamante.

Assim, concluíram que, em temperaturas de até 2.500 Kelvin e pressões de até 50 gigapascais, na presença de água, os planetas de carboneto de silício podem oxidar e ter as suas composições internas dominadas por sílica e diamante.

Se os cientistas conseguissem identificar estes planetas, poderiam excluí-los como planetas que poderiam hospedar vida. Segundo os investigadores, os seus interiores seriam muito difíceis para a atividade geológica e a sua composição tornaria as suas atmosferas inóspitas para a vida como a conhecemos.

Este estudo foi publicado em agosto na revista científica The Planetary Science Journal.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"Adiem a Liga dos Campeões", pede o Borussia Dortmund

Sorteio está marcado para esta quinta-feira mas Michael Zorc avisa: "Faltam requisitos legais para a fase de grupos arrancar". A fase de grupos da Liga dos Campeões vai começar, pela primeira vez, em outubro. A primeira …

Artista "ressuscita" 54 Imperadores Romanos com ajuda da Inteligência Artificial

Artista canadiano usou um ramo da Inteligência Artificial para criar retratos ultra-realistas de antigos Imperadores Romanos como, por exemplo, Calígula, Nero e Adriano. A aparência física destes antigos Imperadores Romanos foi preservada em centenas de esculturas …

Cantar pode ser uma má ideia durante a pandemia

Uma nova pesquisa revelou que cantar em grupo pode ser perigoso em termos de propagação de patógenos. Esta é só mais uma prova de que 2020 chegou para pôr um travão na diversão. A Universidade de …

Emirados Árabes Unidos anunciam missão espacial à Lua para 2024

Um alto responsável dos Emirados Árabes Unidos disse hoje que o país tenciona enviar para a Lua uma nave com um veículo não tripulado em 2024. O desejo de pisar a lua é uma ambição de …

Exército norte-americano quer ter acesso à rede de satélites da SpaceX

O exército dos Estados Unidos está de olho na Starlink, a constelação de satélites da SpaceX, cujo CEO é o multimilionário Elon Musk e que tem como objetivo levar Internet de banda larga a todos …

Portugal tem cada vez menos água disponível

Portugal tem cada vez menos água disponível e nos próximos cem anos a precipitação em certas regiões do país, como o Algarve, pode sofrer uma redução de até 30%, alertou esta terça-feira a Associação Natureza …

Tel Aviv vai ter estradas elétricas que recarregam autocarros em movimento

Tel Aviv, em Israel, está a trabalhar na criação de estradas elétricas sem fios para carregar e fornecer energia aos transportes públicos da cidade. As estradas elétricas são parte de um programa piloto liderado pelo município …

Suicídio entre militares norte-americanos aumenta 20% em época de covid-19

Os suicídios entre os militares subiram 20% este ano em comparação com o mesmo período de 2019, registando-se um aumento nos incidentes de comportamento violento à medida que as tropas lutam contra a covid-19 e …

Turista apanhado a gravar as suas iniciais no Coliseu de Roma. Arrisca ser condenado a prisão

Um turista foi apanhado a gravar as suas iniciais no Coliseu de Roma, em Itália, e arrisca ser punido com um até um ano de prisão. De acordo com o diário italiano La Repubblica, o turista, …

Função Pública. Fesap exige subida de remuneração mínima para 693 euros

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) exige que a primeira posição da Tabela Remuneratória Única avance para 693,13 euros em 2021 e uma atualização do subsídio de refeição para seis euros. Estas duas medidas …