Fazer exercício físico antes do pequeno-almoço é melhor para a saúde

Fazer exercício antes do pequeno-almoço é, segundo uma investigação recente, melhor para a nossa saúde. Contudo, esta prática não ajuda na perda de peso.

O exercício físico é recomendado para pessoas com excesso de peso ou obesidade, como forma de reduzir o risco de diabetes tipo 2 e outras doenças cardiovasculares. Mas as pessoas nem sempre têm tempo para exercitar tanto quanto gostariam. Portanto, é importante encontrar maneiras de aumentar os benefícios do exercício para a saúde.

Um estudo publicado no mês passado na revista JCEM encontrou uma maneira de fazer exatamente isso, e tem a ver com o timing. Isto significa que poderá fazer menos exercício se outros compromissos, como família e trabalho, sempre parecerem atrapalhar.

Para explicar como é que isto funciona, é importante perceber um pouco mais sobre a insulina. A insulina é uma hormona que ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue. Um dos principais efeitos da insulina após uma refeição é permitir que o açúcar no sangue seja transportado para os músculos, onde pode ser armazenado ou usado como combustível para obter energia.

Quando as pessoas não fazem exercício físico suficiente e ficam com excesso de peso ou obesas, os seus corpos precisam de produzir mais insulina para que a hormona tenha esse efeito importante. Por outras palavras, tornam-se menos sensíveis à insulina. Esta é uma das razões pelas quais o excesso de peso aumenta o risco de contrair diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares.

Um dos principais benefícios para a saúde do exercício físico é que ele melhora a nossa resposta à insulina e podemos controlar melhor os níveis de açúcar no sangue. Fica agora mais claro que a altura que comemos, em relação à hora que praticamos exercício, pode ser importante para essa resposta à insulina.

Os investigadores analisaram as respostas a seis semanas de exercício, que foi supervisionado por 50 minutos, três vezes por semana. Num grupo, homens com excesso de peso ou obesos exercitaram antes pequeno-almoço (em jejum) e mostraram uma melhor resposta à insulina após o treino.

Ou seja, eles tiveram que produzir menos insulina para controlar os níveis de açúcar no sangue. Isto sugere que eles tiveram um risco menor de doenças como diabetes tipo 2 após o treino. Contudo, os homens que realizaram o mesmo exercício após o pequeno almoço não mostraram uma melhor resposta à insulina no sangue.

Os homens que treinaram antes do pequeno-almoço também queimaram cerca do dobro da quantidade de gordura durante o exercício em comparação com o grupo que fez exercício após comer.

Não fique à espera de perder mais peso

Uma típica ideia errada sobre o exercício em jejum é que o aumento da queima de gordura leva a uma maior perda de peso. Mas para a perda de peso, o fator importante é o balanço energético — a quantidade de energia consumida, menos a quantidade de energia gasta pelo corpo.

Há algumas evidências de que, num curto período (24 horas), não tomar o pequeno-almoço e fazer exercícios pode criar um balanço energético mais negativo, em comparação com comer e fazer exercício. No entanto, as evidências também sugerem que, quando é apenas o horário das refeições, em relação ao exercício, que é alterado, a quantidade de peso perdido será semelhante, mesmo que a queima de gordura seja diferente.

Portanto, o aumento da queima de gordura durante o exercício não leva a uma maior perda de peso, a menos que o balanço energético seja diferente.

Agora é importante repetir o estudo em mulheres, embora seja provável que o mesmo efeito seja verificado. Isto ocorre porque homens e mulheres que tomam pequeno-almoço antes do exercício reduzem a queima de gordura durante o exercício.

Esta investigação também foi feita para exercícios de resistência de intensidade moderada, como ciclismo e corrida, e os resultados não se aplicam necessariamente a exercícios de alta intensidade ou levantamento de peso.

Encontrar maneiras de aumentar os benefícios de saúde do exercício físico pode ajudar a reduzir a crescente prevalência de doenças como o diabetes tipo 2. Este novo estudo sugere que, para bem da sua saúde, seria melhor mexer os pés antes de abrir a boca.

PARTILHAR

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …