EUA perderam rasto a mil milhões de dólares em armas que foram parar a extremistas

As Forças Armadas norte-americanas perderam o rasto a armamento de valor superior a 900 milhões de euros no Iraque e no Kuwait, parte do qual estará nas mãos de extremistas, segundo um relatório da Amnistia Internacional.

Num inquérito realizado em 2016 pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos que até agora era classificado, afirma-se que faltam “registos exatos e atualizados sobre as quantidade e localização” de equipamento que os norte-americanos mandaram para abastecer o Exército iraquiano.

Essa conclusão é especialmente preocupante dada a “longa história de fuga de armas norte-americanas para vários grupos armados que cometem atrocidades no Iraque, incluindo o auto-denominado Estado Islâmico“, apontou o investigador Patrick Wilcken, da Amnistia Internacional, no relatório hoje divulgado.

As armas, enviadas no âmbito da cooperação entre os Estados Unidos e o Iraque, destinavam-se a equipar o Exército iraquiano e os combatentes curdos das forças Peshmerga na luta contra o grupo extremista. Incluíam dezenas de milhares de espingardas automáticas, centenas de munições de morteiro e veículos blindados.

As Forças Armadas norte-americanass responderam ao inquérito dizendo que iam apertar os controlos de transferências futuras, a mesma resposta que já tinham dado ao Congresso em 2007, quando surgiram preocupações semelhantes.

“Depois de tanto tempo e tantos avisos, repetem-se os mesmos problemas. Isto devia ser um alerta para os Estados Unidos e para todos os países que enviam armas para o Iraque. Mandar milhões de dólares de armas para dentro de um buraco negro e esperar que corra pelo melhor não é uma estratégia de contra-terrorismo viável, é apenas imprudente”, afirmou Patrick Wilcken.

Entre os problemas encontrados pelo Departamento de Defesa estão registos incompletos, confusos e fragmentados, às vezes escritos à mão em papéis a que se perde o rasto.

No inquérito também se assinala que o Departamento de Defesa não se responsabilizava por manter registos sobre as armas depois de entregues, apesar de ter um programa especial para o fazer.

“Qualquer país que venda armas ao Iraque tem que mostrar que há medidas rigorosas aplicadas para garantir que as armas não são usadas na violação de direitos humanos. Sem esta salvaguarda, não devem mandar quaisquer armas”, defendeu Wilcken.

A Amnistia Internacional apela aos Estados Unidos para que cumpram a sua própria lei, que determina que o Departamento de Defesa não pode fornecer armas a unidades militares, policiais ou de segurança que tenham cometido violações de direitos humanos.

// Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Mais um bonito serviços do americanos!…
    É assim que depois aparecem, ‘misteriosamente’, terroristas com armamento americano…

RESPONDER

Matheus: "Não sei o que se passa em Barcelona, nem me trataram como jogador"

Matheus Fernandes tinha contrato com os catalães até 2025 mas, em junho, soube que ia sair do clube... por e-mail. Já assinou pelo Palmeiras mas não esquece o que aconteceu em Espanha. Tinha sido um dos …

Quem são os 91 portugueses nos Jogos Olímpicos (e as 4 medalhas que vão conquistar)

Participação portuguesa em Tóquio arranca neste sábado. Serão 91 atletas espalhados por 17 modalidades. Associated Press fez previsão para todas as especialidades presentes nos Jogos Olímpicos. Portugal teve 17 atletas na cerimónia de abertura dos Jogos …

Encontrada "impressão digital" do megatsunami provocado pelo asteróide que matou os dinossauros

Cientistas encontraram uma "impressão digital" no centro do Luisiana, nos Estados Unidos, do megatsunami provocado pelo asteróide que levou à extinção dos dinossauros. A devastação causada pelo asteróide que exterminou os dinossauros há 66 milhões de …

De que forma é o universo? Astrofísicos acreditam que pode ser um donut 3D gigante

Um novo estudo pode vir mudar a percepção de que o universo é infinito. Será que o universo é infinito? Qual será a forma do cosmos? Já há séculos que estas perguntas andam nas mentes dos …

"Checkmate". Rússia apresenta o seu novo jacto de combate revolucionário

O novo jacto é a aposta do governo russo para as exportações e pode vir a ditar o fim da supremacia (aérea e no mercado) do F-35 norte-americano. A Rússia apresentou o protótipo do novo jacto …

"É demasiado tarde". As palavras dos médicos aos doentes com covid-19 que recusaram a vacina

Estados Unidos da América contam com 48.49% da população totalmente vacinada, apesar de o processo ter estagnado nas últimas semanas. Os números de novas infeções crescem, assim como as mortes face ao crescimento galopante da …

"Pingdemic". Há uma nova "pandemia" a causar escassez de comida e combustível no Reino Unido

As medidas de distanciamento social no Reino Unido caíram e, como consequência, centenas de milhares de pessoas estão a ser notificadas para cumprir isolamento. A partir desta segunda-feira o uso de máscara e outras medidas de …

O lago mais improvável de Roma é um refúgio urbano (que impulsiona o ativismo ambiental)

O lago mais improvável de Roma, que nem sequer devia existir, motivou uma luta pela proteção ambiental do local. No anos 90, num local de construção a apenas alguns quilómetros a leste do Coliseu de Roma, …

Afeganistão. EUA lançam ataques aéreos enquanto Talibãs exigem a renúncia do Presidente

Os Estados Unidos (EUA) entraram num confronto pela cidade de Kandahar, realizando ataques aéreos em apoio às forças afegãs, enquanto os Talibãs apelam ao Presidente Ashraf Ghani para renunciar. O porta-voz do Pentágono, John Kirby, avançou …

A primeira casa impressa em 3D no Canadá é inspirada na sequência de Fibonacci

Depois de ter inspirado inúmeros edifícios, a sequência de Fibonacci serviu de musa à empresa de impressão em 3D Twente Additive Manufacturing (TAM), que criou a primeira casa impressa em 3D do Canadá. A Fibonacci House é …