/

EUA trocaram “guerra implacável” por “diplomacia implacável” no Afeganistão, diz Biden

gageskidmore / Flickr

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, disse esta terça-feira à Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) que o país se está a concentrar na “diplomacia implacável” e no encerramento de uma era de “guerra implacável” no Afeganistão, após ter retirado as tropas do território.

“Ao invés de continuar a lutar em guerras do passado, estamos a fixar os nossos olhos em dedicar os recursos aos desafios que contêm as chaves para o futuro coletivo: acabar com esta pandemia, abordar a crise climática, administrar as mudanças na dinâmica de poder global, moldar as regras do mundo em questões vitais como comércio, tecnologias cibernéticas e emergentes e enfrentar a ameaça do terrorismo”, referiu Biden.

“Terminamos com 20 anos de conflito no Afeganistão e ao encerrarmos este período de guerra implacável, estamos a abrir uma nova era de diplomacia implacável”, continuou, citado pelo Independent.

Embora a retirada das tropas norte-americanas tenha sido criticada, Biden insistiu que os EUA e o mundo enfrentam desafios que o conflito militar não pode amenizar.

“Muitas das nossas maiores preocupações não podem ser resolvidas ou mesmo abordadas com a força das armas. Bombas e tiros não podem proteger contra a covid-19 ou as suas variantes futuras. Para combater esta pandemia, precisamos de um ato coletivo de ciência e vontade política”, declarou o Presidente.

Ao mesmo tempo, apontou os critérios para o uso da força caso os EUA e os seus aliados sejam ameaçados, inclusive contra o terrorismo. “A missão deve ser clara e realizável, feita com o consentimento informado do povo norte-americano e, sempre que possível, em parceria com os nossos aliados”, sublinhou.

O Presidente norte-americano acrescentou que, juntamente com a comunidade internacional, continuará a buscar a proteção dos direitos humanos no Afeganistão, mesmo sob o novo regime dos Talibãs, destacando os direitos das mulheres.

Sobre as declarações do secretário-geral da ONU, António Guterres, que alertou para um conflito entre a China e os EUA, Biden afirmou que os norte-americanos “não estão em busca de uma nova Guerra Fria ou de um mundo dividido em blocos rígidos”.

“Os EUA estão prontos para trabalhar com qualquer nação, mesmo que tenhamos divergências intensas noutras áreas”, frisou Biden, que durante a sua intervenção falou também sobre a crise climática.

  Taísa Pagno //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.