Agências de espionagem dos EUA cedem informações a investigação sobre interferência russa

secdef / Flickr

Ex-Secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, conversa com o diretor dos serviços secretos Dan Coats

Trump ordenou às agências de espionagem norte-americanas que deem os dados que têm sobre interferência da Rússia nas presidenciais de 2016 ao Departamento da Justiça.

O diretor dos serviços secretos nacionais norte-americanos, Dan Coats, afirmou este sábado que as agências de espionagem irão fornecer ao Departamento de Justiça informações para revisão das atividades de inteligência relacionadas com a alegada interferência russa nas eleições de 2016.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, alega que a sua campanha foi vítima de “espionagem” e deu ao procurador-geral William Barr plena autoridade para divulgar publicamente informações secretas reunidas durante a investigação sobre as origens do caso do alegado conluio entre a campanha presidencial de Trump, em 2016, e a Rússia.

Numa declaração divulgada na sexta-feira, Dan Coats disse estar confiante de que Will Barr trabalhará com “normas estabelecidas há muito tempo para proteger informações altamente sensíveis e classificadas, que, se divulgadas publicamente, colocariam em risco a segurança nacional dos Estados Unidos”.

Donald Trump já disse que vai desclassificar os documentos relacionados com as origens da investigação sobre as ligações russas à campanha.

Antes de partir para o Japão, onde inicia este sábado uma visita oficial, Donald Trump disse aos jornalistas que a investigação foi “uma tentativa de golpe”. O Presidente disse que poderia correr até “milhões de páginas” e que queria desclassificar os documentos do FBI e da CIA, incluindo os que podem pertencer a contactos no exterior, no Reino Unido.

Os comentários de Trump acontecem um dia depois de ter concedido ao procurador-geral William Barr novos poderes para rever e potencialmente desclassificar os documentos relacionados com a investigação

A 14 de maio, Barr escolheu um procurador de Connecticut, John Durham, para analisar as origens da investigação à alegada conspiração entre Donald Trump e a Rússia nas eleições presidenciais de 2016. Trump tem vindo a afirmar que a sua campanha foi vítima de espionagem, embora os serviços secretos insistam que agiram de acordo com a lei.

Apesar de Mueller não ter encontrado nenhuma prova sobre o alegado conluio, o relatório documentou extensos esforços de Moscovo para interferir na campanha de 2016 e a disposição por parte de pessoas próximas de Trump em aceitar a ajuda russa.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Departamento de Justiça nos EUA investiga alegado esquema de "dinheiro por indultos" na Casa Branca

O Departamento da Justiça dos Estados Unidos está a investigar possíveis subornos em troca de indultos presidenciais na Casa Branca. De acordo com documentos judiciais a que a agência Reuters teve acesso, o Departamento da Justiça …

Confinamento, covid-19, discriminação. Eis as 10 candidatas a Palavra do Ano de 2020

A Porto Editora revelou esta terça-feira as dez candidatas a Palavra do Ano de 2020. Este ano, a iniciativa lançada em 2009 decorre, pela primeira vez, em simultâneo com Angola e Moçambique. De acordo com o …

Mais mortes e menos nascimentos. Portugal está com o maior saldo natural negativo do século

Como avança o Público esta quarta-feira, há 12 anos consecutivos que há mais mortes do que nascimentos em Portugal, mas este ano o país a bateu o recorde do saldo natural negativo. Desde 2009 que o …

"Não há plano B". Costa deixa avisos e recados a Hungria e Polónia

O primeiro-ministro português, António Costa, alertou, em Bruxelas, que não há um plano B ao bloqueio na aprovação do orçamento da União Europeia (UE) e do novo Fundo de Recuperação criado para responder à pandemia, …

Santos deu "nega" ao Benfica e Lucas Veríssimo ameaçou não jogar

O Conselho Fiscal do Santos "negou" a transferência de Lucas Veríssimo para o SL Benfica. O jogador ameaçou mesmo não entrar em campo contra o LDU Quito, na noite passada. O Conselho Fiscal do Santos emitiu …

Governo britânico substitui confinamento por restrições (com oposição interna no Partido Conservador)

Boris Johnson conseguiu ver aprovado o novo plano de restrições. Dos votos contra, 56 foram de deputados conservadores e 16 de deputados do Partido Trabalhista. O Governo britânico conseguiu ver aprovado o novo plano de restrições …

Sporting tem sete jogadores na porta de saída e outro para trazer Matheus Reis

O Sporting CP quer livrar-se de sete jogadores excedentários que estão a treinar com a equipa B. O clube quer também trazer Matheus Reis já neste mercado de inverno. Aproxima-se o mercado de inverno e o …

Sindicato acusa TAP de manipulação e diz que não há "trabalhadores a mais"

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava) acusou a TAP de “manipulação, falta de ética e desonestidade” e defendeu que a empresa não tem “trabalhadores a mais” e deve procurar os “sorvedouros de …

Menos de 1% dos infetados estavam registados na app StayAway Covid

Menos de 1% das pessoas infetadas com covid-19 desde a disponibilização da app StayAway Covid notificaram a sua infeção. Já mais de 2,6 milhões de pessoas têm a aplicação. Desde o lançamento da aplicação de rastreio …

Guardiola lança farpas ao FC Porto, mas até isso Marchesín defendeu

Pep Guardiola mostrou-se frustrado com a forma como o FC Porto disputou o jogo. Entre os postes, Marchesín foi defendendo (praticamente) tudo o que havia para defender. O FC Porto está nos oitavos de final da …