Aumentam especulações sobre o paradeiro do Presidente da Tanzânia, negacionista em relação à covid-19

paulkagame / Flickr

John Magufuli, Presidente da Tanzânia

As especulações sobre o paradeiro do Presidente da Tanzânia estão a aumentar, após John Magufuli não aparecer em público há mais de uma semana. O chefe de Estado, negacionista em relação à covid-19, foi visto pelo última vez a 27 de fevereiro, numa cerimónia de tomada de posse, em Dar es Salaam.

Políticos da Tanzânia e do Quénia sugeriram que Magufuli pode ter adoecido depois da morte do seu secretário-chefe, John Kijazi, em fevereiro, noticiou na quarta-feira a Sky News. A sua ausência da vida pública é invulgar, visto que é conhecido pelas declarações que faz na televisão estatal várias vezes por semana.

Citando fontes governamentais anónimas, o jornal queniano Nation avançou na quarta-feira que Magufuli foi levado para um hospital em Nairóbi, onde estava a ser tratado. Contudo, um porta-voz do Governo queniano disse não ter conhecimento da presença do líder tanzaniano no país.

Em junho de 2020, Magufuli declarou o país “livre” do vírus, após três dias de oração, resistindo a implementar medidas de contenção e encorajando o turismo internacional, enquanto os estados africanos vizinhos aplicavam restrições rígidas.

A Tanzânia declarou o primeiro caso de coronavírus a 16 de março de 2020, mas o Presidente insistiu que isso não poderia prejudicar a população cristã do país. “O coronavírus, que é um demónio, não pode sobreviver no corpo de Cristo. Ele queimará instantaneamente”, disse durante a visita a uma igreja em Dodoma, a 22 de março.

Magufuli condenou as medidas de prevenção, como o encerramento de lojas e restaurantes e a prática do distanciamento social. Determinado a manter a economia, afirmou: “Tivemos várias doenças virais, incluindo a sida e o sarampo. A nossa economia deve vir em primeiro lugar. Não deve dormir. A vida deve continuar”.

Quando kits de teste chegaram à Tanzânia, Magufuli rapidamente descartou-os, indicando que tinham defeitos e que estes tinham dado positivo em amostras de cabras e patas.

O chefe de Estado defendeu igualmente que as vacinas não funcionam. “As vacinas não são boas. Se fossem, o homem branco teria trazido vacinas para o VIH”, referiu, acrescentando que se deve inalar vapor e comer milho e batatas para tratar a covid-19.

O Presidente indicou ainda um tratamento à base de plantas para tratamento da covid-19, desenvolvido em Madagáscar. “Enviaremos um avião para trazer os fármacos para que os tanzanianos também possam se beneficiar”, disse em maio do ano passado.

Várias pessoas sugeriram que Magufuli adoeceu, possivelmente com coronavírus. O líder exilado da oposição tanzaniana, Tundu Lissu, questionou o seu paradeiro no Twitter, sugerindo que este tenha viajado para Nairóbi para tratamento hospitalar.

Outro político, que falou sob anonimato, disse que conversou com pessoas próximas ao Presidente, que lhe contaram que este está gravemente doente e hospitalizado.

 

A 10 de fevereiro, a embaixada dos Estados Unidos alertou para um aumento significativo no número de casos de covid-19 no país. Dias depois, a 21 de fevereiro, Magufuli admitiu que a Tanzânia tinha um problema de coronavírus, o primeiro reconhecimento público do vírus desde que alegou que este havia desaparecido, em junho do ano passado.

Taísa Pagno //

PARTILHAR

RESPONDER

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …

Morreu aos 98 anos o historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França

O historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França morreu este sábado, aos 98 anos, na casa de saúde de Jarzé, perto da cidade francesa de Angers, disse à Lusa a pintora Emília Nadal, sua …

Ventura: "Não vejo outra possibilidade senão a ministra da Saúde ou pedir desculpa ou ser afastada"

O Chega vai questionar formalmente o Governo pelo “facto de a ministra da Saúde ter utilizado um carro do Estado” para ir a uma ação de campanha no Porto na sexta-feira, anunciou este sábado André …

Ouvir 30 segundos de uma sonata de Mozart pode reduzir ataques de epilepsia

Ouvir a Sonata para Dois Pianos em Ré Maior (K448), de Wolfgang Amadeus Mozart, durante pelo menos 30 segundos, ajuda a reduzir a atividade elétrica cerebral associada à epilepsia resistente a medicação. Os resultados também sugerem …

Astrónomos resolvem mistério cósmico com 900 anos

Um mistério cósmico com 900 anos, em torno das origens de uma famosa supernova observada pela primeira vez na China no ano 1181, foi finalmente resolvido. Uma nova investigação, publicada dia 15 de setembro no The …

Bons hábitos alimentares podem reduzir a probabilidade de contrair covid-19

Um novo estudo indica que as pessoas que comem muitas frutas e vegetais podem ter menos probabilidades de contrair covid-19. Num pesquisa que envolveu 590 mil adultos, os investigadores descobriram que as pessoas que eram adeptas …

Inteligência Artificial está a "alimentar" a violação dos direitos humanos, alerta ONU

Num novo relatório, a Organização das Nações Unidas (ONU) alertou os países que o uso imprudente de Inteligência Artificial (IA) pode estar a pôr em causa o respeito pelos direitos humanos. Michelle Bachelet, Alta Comissária das …

Foi viajar e não voltou. O misterioso desaparecimento de Gabby Petito (e do namorado)

Gabrielle Petito, uma jovem norte-americana de 22 anos, desapareceu misteriosamente. Gabby foi viajar com o namorado, que voltou para casa sozinho e não quis contar o que aconteceu — e agora também está desaparecido. Gabby Petito, …

Aos 101 anos, Ginny é a "Senhora Lagosta" e não planeia reformar-se

Virginia Oliver continua a trabalhar na pesca da lagosta, apesar de já ter 101 anos de idade. 'Ginny' não planeia reformar-se e já se tornou um meme na internet. Virginia 'Ginny' Oliver tem 101 anos e …

Dinamarca. Reclusos condenados a prisão perpétua proibidos de iniciar novos romances

Os reclusos que cumprem prisão perpétua na Dinamarca serão proibidos de iniciar novos relacionamentos amorosos, decisão proposta pelo governo após uma jovem de 17 anos se apaixonar por Peter Madsen, que assassinou a jornalista Kim …