Há uma espécie de árvore praticamente imortal (e o seu segredo foi descoberto)

Uma equipa de investigadores descobriu o segredo da Ginkgo biloba, a espécie de árvore que é praticamente imortal. Esta espécie existe desde o tempo dos dinossauros.

A Ginkgo biloba, também conhecida popularmente por nogueira-do-japão, é uma árvore quase considerada um fóssil vivo, existindo já desde o tempo dos dinossauros, há mais de 200 milhões de anos. No Japão, é considerado ainda um símbolo de paz e longevidade, tendo sobrevivido às explosões das bombas atómicas de Hiroshima e Nagasaki.

Esta espécie de árvore é praticamente imortal, com uma destas árvores a conseguir viver até aos 3 mil anos. Um novo estudo publicado esta semana na revista científica PNAS sugere que a longevidade desta espécie é bastante maior, sendo teoricamente infinita.

A Ginkgo biloba mostra poucos sinais de envelhecer. Embora estas árvores cresçam com anéis mais pequenos com o passar dos anos, a equipa de investigadores encontrou poucas diferenças na sua capacidade de fotossíntese, gerar sementes, crescer folhas ou resistir a doenças.

“Nos humanos, à medida que envelhecemos, o nosso sistema imunológico começa a não ser tão bom”, disse ao New York Times o biólogo Richard Dixon. “O sistema imunológico das árvores, mesmo que tenham mil anos de idade, parecem ter 20 anos“, acrescentou.

Dixon e a sua equipa concentraram-se num tecido do tronco que contém células meristemáticas, o equivalente às células estaminais nos animais.

De acordo com o Science Alert, os cientistas não encontraram grandes diferenças na atividade genética ou na resistência às doenças em árvores com diferentes idades.

“Como o aumento da área basal é um indicador confiável do crescimento das árvores, parece que o câmbio vascular da Ginkgo biloba pode reter a capacidade de crescimento contínuo por centenas de anos ou mesmo milénios“, escreveram os autores do estudo.

Isto não quer dizer que a árvore seja imortal, mas o provável é que nunca morra por causa da idade. O mais habitual é que acabe por morrer devido a fatores externos, como incêndios ou pela ação humana.

O envelhecimento não é um problema para esta espécie. O problema mais importante com o qual elas precisam de lidar é o stress”, explicou o fisiologista Sergi Munné-Bosch, citado pelo Science Alert, que não participou no estudo.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Novas evidências apontam eventual localização dos destroços do MH370. Jornalista sugere que foi abatido

O chefe da busca fracassada pelo voo MH370 da Malaysia Airlines está a pedir um novo inquérito com base em novas evidências que podem finalmente resolver o mistério do desaparecimento da aeronave há sete anos. De …

Cidade nos EUA testou o rendimento básico universal. "Os números foram incríveis"

Além de a percentagem de pessoas que tinham um emprego a tempo inteiro ter subido, os participantes da iniciativa também relataram sentir-se menos ansiosos. De acordo com o estudo publicado esta quarta-feira, citado pela agência …

Belenenses 0-3 Benfica | Vendaval suíço após o descanso

O Benfica venceu o dérbi com a Belenenses SAD, em jogo a contar para 22ª jornada da Liga NOS, por 3-0. Uma partida que teve uma primeira parte mal jogada e com muitas dificuldades para as …

Investigador apresenta nova geração de drones minúsculos e ágeis. São inspirados em mosquitos

Os mosquitos são insetos incrivelmente acrobáticos e resistentes durante o voo, o que os ajuda a navegar entre rajadas de vento, obstáculos e incertezas. Agora, uma equipa de investigadores construiu um sistema que se aproxima …

OMS considera que a pandemia podia ter sido evitada se alguns países não tivessem sido lentos a reagir

O diretor-geral da OMS afirmou esta segunda-feira que alguns países reagiram lentamente à declaração de emergência sanitária global em janeiro de 2020, desperdiçando-se uma "janela de oportunidade" para evitar a pandemia de covid-19. "A 30 de …

Louvre recupera armadura do século XVI roubada há quase 40 anos

O peitoral e o capacete elaboradamente decorados, que estavam desaparecidos desde 1983, datam do século XVI e voltaram finalmente ao museu do Louvre, em França. Quase quatro décadas depois, um peitoral e um capacete do século …

Queixas por cibercrime disparam. Fraude com MB Way foi o crime mais denunciado

O Ministério Público (MP) da Comarca de Lisboa registou 6676 denúncias por crimes informáticos em 2020, um aumento de 15% (mais 998) face a 2019. MB Way é um dos sistemas onde estão associadas mais …

Centro Hospitalar Lisboa Norte vai alargar uso de medicamento para fibrose quística a mais cinco doentes

O diretor clínico do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN), Luís Pinheiro, disse hoje que a instituição já usa há cerca de um mês um novo medicamento para a fibrose quística, que poderá chegar em …

No Porto, haverá transporte para vacinação disponível para todos a partir de terça-feira

Todos os munícipes do Porto que forem convocados no âmbito do plano de vacinação contra a covid-19 vão poder usufruir de um programa de transporte em colaboração com as centrais de táxis, anunciou hoje a …

Mina que produziu diamante para Isabel II investigada por abuso de direitos humanos

Uma mina da Tanzânia, que produziu um diamante rosa para um dos alfinetes de peito favoritos da rainha Isabel II, está a ser investigada por haver suspeitas de que os seguranças do local agrediram e …