/

Espanhola morre após tratamento com picada de abelhas

9

Uma espanhola de 55 anos morreu depois de se ter submetido a um tratamento de apiterapia, semelhante à acupuntura mas, em vez de agulhas, utiliza picadas de abelhas vivas.

O caso aconteceu em 2015, mas só agora foi revelado ao ser explicado num artigo científico publicado no Journal of Investigational Allergology and Clinical Immunology.

A espanhola, de 55 anos, cuja identidade não foi revelada, não resistiu a uma complicação severa depois de se ter submetido ao tratamento de apiterapia – semelhante à acupuntura mas que, em vez de agulhas, usa picadas de abelhas vivas – que vinha a desenvolver há dois anos.

De acordo com o Diário de Notícias, a paciente teve uma reação alérgica depois da picada da abelha e começou a sentir dificuldade em respirar, acabando mesmo por desmaiar.

Semanas depois de complicações associadas a um derrame cerebral provocado pela falta de oxigenação no cérebro, a paciente acabou por falecer. Segundo os investigadores, o choque anafilático deveu-se à injeção repetida de veneno de abelha, que fez aumentar o risco de reação alérgica.

“Este é o primeiro caso conhecido de morte por apiterapia devido a complicações de uma anafilaxia grave num paciente sensível que era, até aí, tolerante”, escrevem os alergologistas que tentaram salvar a paciente no Hospital Universitário Ramón e Cajal, em Madrid.

“Uma tolerância prévia às picadas de abelha não impede obrigatoriamente que possam posteriormente surgir reações de hipersensibilidade”, explicam os especialistas.

A apiterapia é uma terapia não comprovada cientificamente que envolve várias técnicas relacionadas com abelhas. Além das picadas, são usados também produtos como mel e cera dos favos.

O tratamento é antigo, mas tornou-se popular quando a atriz Gwyneth Paltrow assumiu usá-lo como recurso contra inflamações, dores no corpo, nas articulações e contra o stress.

  ZAP //

9 Comments

  1. Em milhares de aplicações de abelhas em apiterapia haver um hipotético choque que nem sequer está segura essa relação uma vez que não foi na sequência imediata de, mas semanas depois de…

    Era interessante saber quantos morrem por dia nos hospitais de choques anafiláticos de medicamentos, são seguramente em todo o mundo aos milhares por ano.

    O que significa que mesmo que em milhares de aplicações só esta senhora tivesse tido este problema a técnica seria mais do que segura!

  2. quem escreveu este artigo ou é ignorante ou então é malicioso! A apiterapia é feita com ferroadas de abelhas vivas que injectam veneno. Ora isso não tem qualquer semelhança com a acupunctura e,que eu saiba não segue qualquer critério de diagnóstico ou principio terapêutico minimamente semelhante à acupunctura!
    Este site deveria apresentar um pedido de desculpas a todos os acupunctores!
    Já agora porque não comparar a tal apiterapia às milhares de injecções dadas em hospitais que, ao contrário da acupunctura, injectam produtos (medicamentos) nos doentes? Será mais uma tentativa de assustar o público em relação à acupunctura?

    • xigue eu já foi picado toneladas de vezes e nunca fiz alergia e a uns dois anos depois de uma picada fiquei com o corpo cheio de borbulhas com uma reacção bem agressiva…. O meu pai tem problemas nas mãos e usa muitas vezes as suas abelhas para ser picado e fica melhor das articulações. É preciso ter cuidado… Porque eu corri para todo o lado e apenas me mandaram tomar um anti alérgico. Que fosse comprar na farmácia que não tinham.

  3. Pois eu há dois anos fui picado por uma grande quantidade de vespas e se não fosse tão depressa ao hospital onde levei duas injecções pois a respiração já começava a apertar devido ao inchaço interno o caso poderia ter dado mau resultado enquanto outros se divertem à procura do mal como esta ignorante.

    • Pois é Vasco, eu tive um amigo que morreu devido a picadas de abelhas e, por isso, me indigno quando o articulista tenta comparar a apiterapia com a acupunctura!
      Já ouvi falar várias vezes da apiterapia, particularmente para dores provocadas por artrite, porém desconheço a técnica ou os seus fundamentos.
      Não penso que seja algo que se faça de ânimo leve,

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.