Espanhol condenado a 15 anos por matar a mãe e se alimentar dos restos mortais

Um espanhol de 28 anos foi condenado a 15 anos de prisão por matar a mãe e se alimentar dos restos mortais, que partilhou com o cão.

Em maio deste ano, um júri do tribunal da província de Audiencia, em Madrid, Espanha, ouviu o relato de Alberto Sánchez Gómez, que estrangulou a mãe, Maria Soledad Gomez, de 68 anos, após uma discussão. O réu contou igualmente como se alimentou dos seus restos mortais, noticiou o Independent.

De acordo com a acusação, o homem cortou a mãe com uma serra e duas facas de cozinha, com “o objetivo de a fazer desaparecer”. Em tribunal, alegou que tinha passado por um episódio psicótico quando cometeu o crime, declarando que ouvia vozes na televisão que lhe diziam para “matar a sua mãe”.

O júri rejeitou essas alegações e considerou-o culpado, condenando-o a 15 anos de prisão por homicídio e mais cinco meses por profanação de cadáver. Foi ainda condenado a indemnizar o seu irmão em 60.000 euros, pela perda da mãe.

Em fevereiro de 2019, uma amiga de Maria Soledad Gomez ficou preocupada por não a ver há um mês. Quando as autoridades chegaram ao apartamento onde aquela vivia, o filho terá dito: “Sim, a minha mãe está aqui, morta”. A polícia encontrou partes do corpo em recipientes de plástico no frigorífico e em gavetas.

Alberto Sánchez Gómez foi detido e contou aos agentes que se tinha alimentado de partes do corpo da mãe “pouco a pouco”, dando também ao cão algumas partes dos seus restos mortais, situação que durou cerca de duas semanas. O homem ficou em prisão preventiva até ao julgamento, em maio.

Segundo os media espanhóis, o homem já tinha cadastro por violência doméstica contra a mãe, estando no momento da detenção a violar uma ordem de restrição.

  Taísa Pagno //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.