Escultura “perdida” de Salvador Dalí pode valer 20 milhões de dólares

(dr) Harte International Galleries

Cera Perdida, de Salvador Dalí

Salvador Dalí foi um dos artistas mais famosos do século XX e, embora a sua obra tenha sido obsessivamente catalogada por curadores e historiadores, uma das suas esculturas – um raro Cristo de S. João da Cruz feito de cera – estava desaparecida há mais de 40 anos.

A peça foi apresentada pela Harte International Galleries no dia 11 de maio, numa altura em que se comemorou o 118.º aniversário de nascimento do artista catalão.

Segundo a Smithsonian Magazine, a obra permaneceu, durante mais de quatro décadas, na mesma caixa de acrílico na qual terá sido entregue pelo surrealista espanhol a um colecionador privado dos Estados Unidos.

Criada em 1979, a escultura em cera foi utilizada por Dalí como modelo para diferentes edições das esculturas em baixo relevo do Cristo de São João da Cruz, feitas de platina, ouro, prata e bronze.

Esta obra poderia ser considerada uma variação 3-D da pintura do artista, de 1951, atualmente em exibição na Galeria e Museu de Arte de Kelvingrove, em Glasgow.

A peça é agora chamada de “Cera Perdida“, uma referência a um processo antigo chamado “fundição com cera perdida” que ainda é utilizado para criar reproduções das obras tridimensionais de Dalí.

A preservação das esculturas de cera é bastante complexa, pelo que a maioria dos especialistas esperava que o molde original não tivesse sobrevivido. A galeria colaborou com Nicolas Descharnes, um especialista em Salvador Dalí, e Carlos Evaristo, um especialista em iconografia, para autenticar a escultura.

A galeria não tornou público o valor que pagou pela obra de arte, mas avaliou a escultura entre 10 milhões a 20 milhões de dólares.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.