ERS “puxa orelhas” a hospitais após casos graves que levaram à morte de doentes

A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) deixa reparos a vários hospitais que causaram danos a doentes, nomeadamente devido aos tempos de espera e a tratamentos fora de prazo, num retrato assustador do que se passa no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Até ao final de Junho, a ERS concluiu um conjunto de deliberações e pareceres resultantes da análise das queixas apresentadas pelos utentes à entidade, deixando recomendações às unidades envolvidas para que estes casos não se repitam.

O Público cita alguns dos casos abordados no relatório da ERS, realçando em particular o de uma idosa que morreu, em 2015, no Centro Hospitalar da Universidade de Coimbra (CHUC), com um aneurisma abdominal grave, porque a prótese necessária para a operação só chegaria no dia seguinte, vinda do Porto.

O jornal cita que o CHUC alegou que não tinha próteses de reserva devido ao seu elevado custo e à “grande variedade de tamanhos possível, consoante o doente”.

A unidade também frisou que a doente não quis ser operada, três anos, para resolver o problema, numa cirurgia considerada de risco, notando a “liberdade de escolha” que o SNS proporciona aos utentes. “E a liberdade tem um preço”, conclui o CHUC.

Estas alegações merecem um duro “puxão de orelhas” da ERS que salienta que “o centro hospitalar deve abster-se de formular juízos valorativos das opções exercidas” pelos doentes, acrescentando que isso em nada reduz “a obrigação da unidade de lhe prestar os cuidados de saúde necessários a tempo e horas“.

Homem com enfarte esperou quase 4 horas pela médica

Outro caso abordado pela ERS ocorreu em 2016, com um homem que teve um enfarte e que esperou 3 horas e 45 minutos para ser visto por uma médica no Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, depois de ter recebido uma fita amarela, na triagem, correspondente a um grau médio de emergência. O homem morreu três semanas depois.

“O meu pai gritava deitado numa maca (a única maca) na sala em frente à médica. De cada vez que lhe fui pedir, implorar, que o visse estava a escrever mensagens no telemóvel e nem para mim olhava. Apenas respondia: ‘Já o chamo’””, conta a filha deste utente, citada pelo jornal.

A ERS conclui que “os procedimentos relativos à triagem e subsequente atendimento médico não terão sido correctamente seguidos”.

Tratamentos oncológicos fora de tempo

O relatório da ERS evidencia ainda a realização de uma intervenção cirúrgica que foi efectuada de forma diferente à prescrita e sem o consentimento da doente.

Em mais um caso ocorrido no CHUC, esta paciente foi colocada na lista de inscritos para cirurgia de uma mastectomia subcutânea bilateral.

Esgotado o tempo de espera para a operação, foi emitido um vale e a doente acabou por ser operada na Confraria de Nossa Senhora da Nazaré, onde “foi feita uma intervenção cirúrgica diferente da inicialmente proposta e sem o consentimento” da utente.

A instrução da ERS à Confraria Nossa Senhora da Nazaré e a recomendação ao CHUC foram no sentido de garantirem que “o atendimento dos utentes se processe dentro do estrito cumprimento das regras de funcionamento” do programa de combate às listas de espera (SIGIC).

A ERS emitiu também uma instrução ao Centro Hospitalar Barreiro Montijo no âmbito do caso de três doentes que não fizeram quimioterapia porque a unidade deixou passar o tempo útil previsto para que o tratamento fizesse efeito, após cirurgia.

Assim, a ERS recomenda que se garanta “o acesso a tratamentos oncológicos em tempo útil”, adequados às necessidades dos doentes e que “devem ser prestados humanamente, com prontidão e respeito pelo utente”.

Os centros hospitalares Lisboa Norte e Cova da Beira também foram alvo de procedimento da ERS devido “a constrangimentos na aplicação do regime jurídico das taxas moderadoras“.

Em causa estavam um doente oncológico e uma grávida que, apesar de isentos, tiveram de pagar taxas moderadoras, reclamando agora a devolução dos montantes pagos indevidamente.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Rulotes vão ser proibidas de vender álcool em zonas do Porto, Lisboa e Albufeira

O Governo anunciou, esta sexta-feira, que está a articular com as câmaras de Lisboa e Albufeira a proibição de vendas alcoólicas por rulotes "nas zonas de diversão noturna identificadas como problemáticas pelas forças de segurança". A …

Condenada a mais oito. Ex-Presidente Park arrisca agora 32 anos de prisão

Esta sexta-feira, o Tribunal Distrital de Seul condenou a ex-Presidente sul-coreana Park Geun-hye a mais oito anos de prisão. Park Geun-hye, ex-Presidente da Coreia do Sul, já tinha sido condenada a 24 anos de prisão por …

Viagem de deputados contra supressão de comboios cancelada (porque o comboio foi suprimido)

Uma comitiva de deputados e autarcas que pretendia viajar de comboio entre as Caldas da Rainha e Lisboa, para exigir soluções para a Linha do Oeste, ficou apeada e foi obrigada a fazer o percurso …

12 feridos em ataque com arma branca em autocarro na Alemanha

12 pessoas ficaram feridas, duas delas em estado grave, no ataque perpetrado por um homem, armado com arma branca, no interior de um autocarro na cidade alemã de Lübeck, norte do país, segundo a televisão …

É um "emprego de sono". 1000 euros para dormir 8 horas por dia

Um salário de 1000 euros ao fim do mês para dormir oito horas por dia. Eis a oferta de emprego da marca portuguesa Desonno, especializada em colchões e almofadas, que é, acima de tudo, uma …

Marinha Portuguesa vai receber 7 novos navios (para cumprir acordo com a NATO)

O primeiro-ministro anunciou, esta sexta-feira, a construção, nos próximos seis a oito anos, de sete novos navios para a Marinha portuguesa, no âmbito da revisão da Lei de Programação Militar (LPM). António Costa falava nos estaleiros …

Por dia, são assassinadas pelo menos 3 crianças no México

Pelo menos três crianças são assassinadas todos os dias no México, país que fechou o ano passado com o número mais elevado de homicídios das últimas duas décadas, lamentaram esta quinta-feira as autoridades do país. “Temos …

Macron despede colaborador que agrediu manifestante

O Presidente francês viu-se obrigado a despedir o colaborador que tinha sido filmado a agredir um manifestaste no 1º de maio, alegando terem surgido "dados novos" sobre o caso. Segundo o Público, o colaborador de Emmanuel Macron que foi …

Há uma empresa neozelandesa em que se trabalha 4 dias por semana (e ganha-se o mesmo)

Os trabalhadores da Perpetual Guardian trabalham apenas quatro dias por semana e recebem o mesmo salário. A empresa neozelandesa decidiu fazer a experiência e os resultados não poderiam ser melhores. Mantendo o mesmo salário e sem …

Enorme sarcófago negro tinha 3 múmias (e nenhuma maldição)

O enorme sarcófago negro encontrado em Alexandria foi finalmente aberto e o mistério foi desvendado. Nem maldição nem restos mortais de Alexandre, o Grande. Na verdade, o túmulo tinha 3 múmias e água de esgoto. O …