Erro no discurso do padre durante anos invalida milhares de batismos nos EUA

9

Erro foi detetado em julho de 2021, com a diocese de Phoenix a contactar o Vaticano sobre quais os procedimentos que deveria adotar para o corrigir.

Milhares de batizados realizados numa igreja católica do Arizona, Estados Unidos, foram invalidados depois de se descobrir que o padre responsável pelas cerimónias usava há anos as palavras erradas para as realizar. O erro levou mesmo Andres Arango a apresentar a demissão da paróquia de St. Gregory. Em causa está a confusão da frase “nós batizamos-te” por “eu batizo-te”, sendo a segunda a formulação correta.

O erro foi perpetuado em milhares de batizados, que terão de ser realizados novamente, e alguns casamentos também poderão ser invalidados como consequência. De acordo com a igreja Católica, o batismo é um sacramento essencial e a sua ausência impossibilita os subsequentes, como o crisma e o casamento. Este é também um esclarecimento que agora está presente na página da internet da diocese, com o objetivo de ajudar os fieis.

Aquando do anúncio, o bispo de Phoenix, Thomas Olmsted apelou a que todos os crentes o acompanhassem nas “orações pelo padre Andrés e por todas os que, de alguma forma, foram impactados por esta infeliz situação”.

Já o padre Andres Arango, por sua vez, tem tentado encontrar o perdão na mensagem que deixou aos crentes que frequentavam a sua igreja. “Entristece-me saber que realizei batismos inválidos ao longo do meu ministério como padre, ao utilizar regularmente uma formulação incorreta”, começou por escrever. “Lamento profundamente o meu erro e como isto tem afetado numerosas pessoas na nossa paróquia e noutros lugares.” Ainda assim, esclareceu que continua a ser sacerdote a dedicar “energia e o seu ministério a tempo inteiro a ajudar a remediar isto e a curar os afetados”.

O erro foi reconhecido pela congregação 2020 do Vaticano para a doutrina da fé. O organismo afirma que “os batismos administrados com fórmulas modificadas são inválidos, incluindo a frase: “Nós batizamos-te no nome do Pai, do Filho e do Espírito do Santo”, estabeleceu.

A declaração do Vaticano era vista como necessária depois das muitas questões que surgiram sobre se estavam envolvidas no sacramento três entidades dividas ou apenas uma. “O problema em usar “Nós” é que remete para que seja a comunidade a batizar uma pessoa, em vez de Cristo e apenas ele, o responsável por presidir a todos os sacramentos, por isso é Jesus Cristo quem batiza”, esclareceu o bispo de Phoenix.

“Não acredito que o padre Andres tenha tido alguma intenção de beliscar a fé ou privar alguém da graça do batismo ou dos sacramentos. Em nome da nossa igreja local, também eu lamento muito este erro que resultou na disrupção a vida sacramental de muitos fiéis”, continua o bispo em comunicado.

O documento diz ainda que a decisão de anular os batismos foi feita no seguimento de “estudos cuidadosos” levados pela diocese e a consulta de líderes católicos em Roma.

Atualmente, a site da diocese tem ainda uma página com um formulário para quem se queira inscrever para um novo batismo, com um porta-voz a avançar que já há alguns inscritos – apesar de não se saber qual a real dimensão do erro em termos de sacramentos atribuídos de forma inválida. O organismo pede ainda a todos os fieis que tenham casado após serem batizados pelo padre em questão para procederem a um contacto urgentemente.

“Se o vosso batismo foi inválido e receberam outros sacramentos, talvez tenha que repetir alguns ou todos esses sacramentos depois de se batizar legalmente”, detalha o comunicado.

  ZAP //

9 Comments

  1. Se é dado credível que a fé é que nos salva, como se compreende que tenha sido gerada esta encrenca.
    Nosso Senhor Jesus Cristo por certo que não iria considerar inválido os sacramentos em causa.

  2. O espírito do ensinamento de saber perdoar os pecados não é suficiente para perdoar esta singela afirmação de “nós” em vez de “eu”? ENTÃO NÃO É A DIFUSÃO DO CRISTIANISMO QUE IMPORTA SALVAGUARDAR E DILATAR?

  3. Respondam-me a uma questão:
    Quem se tentou divorciar e a igreja não consentiu, agora pode ser considerado não casado?
    Portanto pode mandar o cônjuge ás ortigas, porque o seu casamento foi anulado e basta divorciar-se no registo, né?
    rsrsrsrsrs

  4. E os batismos celebrados por padres pedófilos são válidos??? Ridículo!!!
    No artigo é dito que o bispo justificou que “(…) é Cristo quem batiza”. Ora, segundo é dito pelos teólogos da religião cristã – Deus são três pessoas unificadas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Logo, com as palavras do padre, Cristo não deveria dizer “eu te batizo” mas, “nós te batizamos”. Logo, este padre é que estava correcto e os outros errados!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.