“Engarrafamento” no Evereste. Já morreram cinco pessoas

Nimsdai / Twitter

A foto do “engarrafamento” tirada por Nirmal Purja, que está a tentar subir aos 14 picos de mais de oito mil metros dos Himalaias em sete meses

Um norte-americano de 54 anos e uma mulher indiana morreram na quarta-feira na descida do monte Evereste, num dia que ficou marcado por um “engarrafamento” na montanha mais alta do mundo.

O alpinista Nirmal Purja publicou no Twitter uma imagem na qual é visível uma fila que terá tido mais de 200 pessoas para chegar ao cume. No dia seguinte, as filas continuaram e houve mais três mortos, noticiou esta sexta-feira o Diário de Notícias.

“Já vi engarrafamentos nas montanhas antes, mas não com tantas pessoas a uma altitude tão alta”, disse Nirmal Purja. Se o tempo tivesse piorado, “poderia ter sido um verdadeiro desastre”, acrescentou, citado pelo New York Times.

Mas mesmo com bom tempo pode ser perigoso, devido à falta de oxigénio ou a possibilidade de queimaduras pelo gelo – a zona acima dos oito mil metros é conhecida como a Zona da Morte. Pelo menos dois alpinistas morreram após atingir o cume de 8848 metros na quarta-feira.

As autoridades nepalesas emitiram 381 autorizações para a subida para esta temporada. Cada uma custa cerca de 11 mil dólares (quase dez mil euros).

O gurkha (soldados de origem nepalesa recrutados para uma força especial dentro do exército britânico), galardoado pela rainha em 2018 pelas suas conquistas em alpinismo, está a tentar subir aos 14 picos mais altos dos Himalaias em apenas uma época de sete meses. O atual recorde é de sete anos, 11 meses e 14 dias, do polaco Jerzy Kukuczka.

Nirmal Purja lançou o Projeto Possível e uma campanha de crowdfunding para o conseguir fazer. Na quarta-feira, anunciou que tinha subido ao Evereste apesar do “engarrafamento”, publicando a imagem da fila de alpinistas à espera da oportunidade para fazerem o mesmo. O bom tempo terá estado na origem da fila, que tinha mais de 200 pessoas. No mesmo dia, subiu ainda ao vizinho pico de Lhotse.

Cinco mortos

Uma das vítimas mortais de quarta-feira é o norte-americano de 54 anos, Donald Cash, que morreu depois de colapsar enquanto tirava fotografias no cume do Evereste, segundo a Pioneer Adventures, responsável pela expedição. Apesar de os sherpas que o acompanhavam terem conseguido reanimá-lo, tiveram que o tentar arrastar até ao acampamento 4, mas no caminho acabaria por perder novamente a consciência.

A outra vítima foi Anjali Kulkarni, uma indiana de 54 anos que fez a subida ao Evereste com o marido, junto com a Atun Treks and Expedition. “Por causa do engarrafamento e da demora em regressar, não conseguiu manter a energia”, indicou o responsável do grupo.

Na quinta-feira, com a continuação do bom tempo e dos “engarrafamentos”, houve mais três mortos, entre os quais dois indianos. Kalpana Das, de 52 anos, e Nihal Bagwan, de 27, informou a imprensa local. Uma terceira vítima mortal é um austríaco de 65 anos.

Em 2018, houve um número recorde de pessoas a conseguir alcançar o cume do Evereste: 563 fizeram a subida a partir do Nepal, enquanto outros 239 chegaram a partir do Tibete, num total de 802 pessoas. Cinco morreram.

TP, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Marcelo promulga diploma sobre sistema nacional de gás (mas alerta para os custos)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou esta sexta-feira o diploma que estabelece o funcionamento do sistema nacional de gás, mas chamou à atenção para as observações do regulador, nomeadamente quanto aos custos …

UE avança com sanções contra Bielorrússia. Candidata da oposição apela a "massivas manifestações"

Os chefes de diplomacia da União Europeia (UE) acordaram esta sexta-feira impor sanções ao regime de Minsk na sequência das eleições presidenciais de domingo passado, visando os responsáveis pela alegada fraude nos resultados e pela …

Estratégia para abrandar envelhecimento pode estar escondida nos golfinhos

Uma equipa de investigadores está a estudar o envelhecimento em golfinhos da marinha norte-americana para tentar aprender estratégias para aplicar em humanos. Como os golfinhos envelhecem de maneira semelhante aos humanos, uma equipa de investigadores está …

Anãs negras, explosões na escuridão e um grito final. Astrónomo explica como o Universo vai acabar

Há muito tempo que os astrónomos estudam como será o fim do cosmos. Um novo estudo concluiu que o Universo dará um último grito antes de tudo escurecer para sempre. As leis conhecidas da física sugerem …

A NASA tem estado a disparar lasers para a Lua. Finalmente, recebeu uma resposta de volta

A NASA esteve nos últimos anos a disparar raios laser em direção ao Lunar Reconnaissance Orbiter, nave que está desde 2009 em órbita da Lua. Agora, pela primeira vez, o satélite respondeu. O Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) …

Ljubomir Stanisic rescindiu contrato “de forma unilateral” com a TVI

A caminho da SIC, o apresentador rescindiu o contrato com a estação de Queluz, avança a TVI. Ljubomir Stanisic tinha contrato até dezembro de 2020. “O Chef Ljubomir Stanisic rescindiu hoje [esta sexta-feira], unilateralmente, o contrato …

Netflix tem uma nova funcionalidade. Os cegos e os surdos agradecem

A nova funcionalidade da Netflix permite alterar a velocidade de reprodução dos seus filmes e séries. Esta é uma novidade bem recebida por espetadores cegos e surdos. A Netflix tem uma nova funcionalidade que permite que …

Cientistas transformam tijolos em dispositivos de armazenamento de eletricidade

Uma equipa de investigadores descobriu como converter o pigmento vermelho dos tijolos num plástico condutor de eletricidade. Esse processo permitiu transformar os tijolos em dispositivos de armazenamento de eletricidade. Esses supercapacitores de tijolo podem ser …

Primeiro Museu do Godzilla abre no Japão (e os visitantes podem entrar na boca do monstro)

O primeiro Museu do Godzilla do mundo está agora aberto no Japão e tem uma estátua enorme do icónico monstro, em cuja boca se pode entrar de slide. De acordo com a Newsweek, atualmente, os visitantes …

Hubble faz a primeira observação de um eclipse lunar total

Tirando vantagem de um eclipse lunar total, astrónomos usaram o Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA para detetar ozono na atmosfera da Terra. Este método serve como um substituto de como vão observar planetas semelhantes à Terra …