“Enforquem os brancos”. Rapper francês vai ser julgado por incitar à violência

O rapper francês Nick Conrad, autor do tema “Pendez les blancs”, que provocou uma enorme polémica no país, foi chamado a comparecer em tribunal em janeiro de 2019 para ser julgado, afirmou esta sexta-feira o seu advogado.

O músico é acusado de “incitação directa a crimes contra a vida” e pode sofrer uma pena de cinco anos de prisão e € 45.000 de multa. Nick Conrad era desconhecido em França até à divulgação do seu último vídeo, há alguns dias, que provocou imediatamente diversas reações.  “Há um processo, e espero ser ouvido”, disse o artista.

“Um texto deve ser interpretado com profundidade, não apenas superficialmente. Não volto atrás e não me arrependo do que disse, não acho que seja violento“, sustenta o rapper francês.

Na canção, Nick Conrad incita a matar “bebês brancos”. “Peguem eles, enforquem os seus pais”, canta o artista.

O vídeo – que começou a ser retirado das diferentes plataformas de vídeo online – começa pelo que seria a cena final, com um homem branco enforcado e pendurado durante a noite, num bairro da periferia de Paris.

Nas cenas seguintes, o homem aparece sequestrado com um saco de lixo na cabeça. Começam então alguns minutos de tortura, com dois homens negros a colocar o cano do revólver na boca da vítima. Eles deixam o homem fugir, e riem-se enquanto dizem que “os brancos correm depressa”, antes de o alvejar pelas costas.

“Cortem os membros, para divertir as crianças negras, grandes ou pequenas. Quero sentir o cheiro da morte e ver o sangue escorrer”, relata o vídeo enquanto mostra um homem com a cabeça esmagada na calçada, uma referência ao filme American History X.

(cv)

“Enforquem os brancos”. Nick Conrad

A classe política francesa criticou duramente o vídeo. O representante do partido de direita Os Republicanos no Senado, Bruno Retailleau, afirmou que “se algumas pessoas têm este discurso, é porque existe há certa forma de impunidade. É esta violência que alimenta o terrorismo“, realçou o político.

O ministro do Interior, Gérard Collomb, realçou também que artistas como Nick Conrad têm um público jovem. “É assim que pervertemos a sociedade, da pior forma possível”, afirmou o político francês.

Em entrevista ao jornal Le Parisien, o rapper afirma que “quis inverter os papeis do homem branco e do homem negro”, e salientou que “tinha previsto algum choque, mas não a este ponto”.

RFI // RFI

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Então Srs. ZAP… o grunho lá na França pode vomitar o que quiser da boca p’ra fora e nós aqui nada? qualquer boca + forte a censura corta? vai lá vai…

  2. Que pena me faz ver a França num estado destes e a passividade dos políticos, possivelmente este gajo continuará livre e a expressar todo o seu ódio racista. A continuarem-se a por de cocaras perante esta gente como irá terminar a Europa? Caso isto se tivesse passado com um branco já teria havido por essa Europa fora dezenas de manifestações dos esquerdopatas contra tal atitude e o caso levado a parlamento europeu.

RESPONDER

Grande Crise do Ketchup. A pandemia atacou um mercado improvável (e já há um mercado negro para o molho)

Os problemas da cadeia de suprimentos estão a chegar a um canto distante do universo empresarial: os pacotes de ketchup. O ketchup é o molho de mesa mais consumido nos restaurantes dos Estados Unidos, com cerca …

Autoridades brasileiras ilibam João Loureiro

João Loureiro já não é suspeito no processo que envolve a apreensão de um avião com 500 quilos de cocaína, segundo as autoridades brasileiras. As autoridades brasileiras descartaram, este sábado, qualquer ligação do advogado português João …

No Canadá, há dois rios que se encontram (mas não se misturam)

Em Nunavut, no Canadá, há dois rios que se encontram, mas não perdem a sua aparência individual enquanto se movem sinuosamente pela tundra. O Back River flui para o norte em direção ao Oceano Ártico. Ao …

Russos acusados de explosão na República Checa são suspeitos de envenenar Skripal

Os dois suspeitos russos, envolvidos na explosão que matou duas pessoas em 2014 na República Checa, têm os mesmos passaportes que os dois homens acusados de envenenar, com o agente nervoso novichok, o espião Sergei …

Numa cidade na Nova Zelândia, a Páscoa resume-se a exterminar coelhos

Em Alexandra, na região de Otago, os coelhos são considerados pragas, uma espécie que ameaça a biodiversidade do país e a agricultura. Elle Hunt, correspondente do The Guardian em Auckland, na Nova Zelândia, escreveu um artigo …

Reavaliação de barragens da EDP ficou por fazer, depois de Governo ter recuado na decisão

No início do ano passado, o ministério do Ambiente considerou ser necessário reavaliar as barragens da EDP, mas a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a Parpública disseram não ter competências para fazer a avaliação …

Portugal bateu recorde de vacinação no sábado. Foram administradas 120 mil vacinas

Este sábado, Portugal registou um recorde diário de pessoas vacinadas contra a covid-19. No total, foram administradas 120 mil doses da vacina. De acordo com os números avançados pela task force responsável pelo plano de vacinação, …

Os milionários estão a fugir de Nova Iorque

A cidade de Nova Iorque está a preparar-se para enfrentar para um êxodo dos seus residentes mais ricos após as autoridades terem aprovado um orçamento que fará com que paguem a maior taxa de impostos …

Costa recusa responder a Sócrates. Carlos César reafirma "tristeza" e "raiva"

O primeiro-ministro António Costa recusou responder às críticas feitas por José Sócrates. Carlos César, presidente do PS, reafirma o que disse em 2018. Este sábado, António Costa recusou responder às críticas feitas por José Sócrates e …

Cientistas sugerem que os gorilas não batem no peito apenas para se exibir

Os cientistas sugerem que o ato de bater no peito permite aos gorilas machos sinalizar o seu tamanho e assim evitar brigas desnecessárias. De acordo com o jornal The Guardian, cientistas que estudam gorilas-das-montanhas (Gorilla beringei …