Encontrados possíveis sinais de vida 10 quilómetros abaixo do fundo do mar

Oliver Plümper / Universidade de Utrecht

-

Uma equipa internacional de cientistas encontrou possíveis sinais de vida 10 quilómetros abaixo do fundo do mar na fossa das Marianas, no oceano Pacífico.

No artigo publicado na revista “Proceedings of the National Academy of Sciences”, a equipa afirma que recolheu amostras de serpentina – minerais de filossilicato hidratado de magnésio e ferro – que revelam provas de seres vivos que habitam mais abaixo da superfície do que se pensava.

A fossa das Marianas é a zona mais profunda de qualquer um dos oceanos do mundo. O seu ponto mais baixo fica aproximadamente 11 quilómetros abaixo do nível do mar.

A região fica a sudoeste do Japão e tem sido explorada constantemente desde o desenvolvimento do veículo submarino operado remotamente ou ROV (remotely operated vehicle).

Nesta último estudo, a equipa de cientistas, liderada por Oliver Plümper, da Universidade de Utrecht, usou um ROV para extrair 46 amostras de serpentina do fundo do oceano perto do vulcão de lama Chamorro do Sul.

Sinais de vida

A serpentina é um mineral que se forma quando a olivina no manto superior encontra a água que é empurrada para cima a partir de uma zona de subducção. Essas reações produzem gás metano e hidrogénio, o que, observam os cientistas, poderia ser usado como fonte de alimento por micróbios.

A serpentina é empurrada para a superfície do fundo do mar por respiradouros hidrotermais, onde os cientistas descobriram as amostras usadas na investigação.

Após a análise das amostras, os cientistas encontraram vestígios de material orgânico que era muito semelhante ao produzido por micróbios que vivem em lugares mais acessíveis. Segundo a equipa, é possível que as amostras de serpentina sejam provas de que existe vida muito abaixo da superfície.

Foram usados dados de estudos anteriores para calcular quão abaixo do fundo do mar é que a serpentina foi formada, o que possibilitou estimar até que ponto os possíveis micróbios poderiam viver – aproximadamente 10 quilómetros abaixo do fundo do mar.

Essa distância, somada à profundidade da fossa das Marianas, faz com que esses sinais de vida estejam localizados 20 quilómetros abaixo da superfície do mar.

A equipa reconhece que estas descobertas confirmam se realmente há vida abaixo do fundo do mar, porque existem outros processos que produzem tanto a serpentina como a matéria orgânica.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

    • Caro Abílio,
      Obrigado pelo seu reparo.
      Na realidade, “abaixo do fundo do mar” está correcto.
      Os “possíveis sinais de vida” foram encontrados 10 quilómetros abaixo do fundo do mar, que, no seu nível mais baixo (o fundo) se encontra a cerca de 11 abaixo do nível médio das águas do mar (isto é, da superfície).
      Ou seja, os “possíveis sinais de vida” foram encontrados a 10+11 km abaixo do nível do mar.

RESPONDER

Orçamento sem favas contadas. Governo depende mais do PCP (que aproveita para apertar o cerco)

A aprovação do Orçamento do Estado para 2021 na generalidade, que contou com o voto contra do Bloco de Esquerda e a abstenção do PCP, deixou o Governo mais dependente da apreciação final do documento …

Oito em cada 10 portugueses é a favor do recolher obrigatório. Metade rejeita novo confinamento

Uma sondagem da Aximage para o Jornal de Notícias e TSF concluiu que a maioria dos portugueses é favor de que Portugal adote o recolher obrigatório, mas é contra um novo confinamento. De acordo com a …

Pinto da Costa avança com queixa-crime contra Frederico Varandas

O presidente do FC Porto anunciou, esta quarta-feira, que vai avançar com uma queixa-crime contra o seu homólogo do Sporting devido às declarações proferidas a 23 de outubro. "Não costumo falar de processos judiciais e como …

Nutriente encontrado no vinho tinto, chá e maçã pode reduzir a pressão arterial

Um composto natural, chamado flavan-3-ol, presente no vinho tinto, no chá e nas maçãs, pode contribuir para a redução da pressão arterial. Uma equipa de cientistas da Universidade de Reading, no Reino Unido, recolheu amostras de …

Maduro acusa EUA e Europa de atacar refinaria (e diz que só há gasolina para 20 dias)

O Presidente Nicolás Maduro acusou esta quarta-feira os Estados Unidos e a Europa de terem atacado "com uma arma poderosa" a refinaria venezuelana de Amuay e anunciou que a Venezuela conta apenas com reservas de …

Ataque em Nice faz pelo menos 2 mortos e vários feridos. Autarca fala em "terrorismo"

Duas pessoas morreram e várias ficaram feridas esta quinta-feira em Nice, no sudeste da França, após serem atacadas com uma faca por um homem que já foi detido pela polícia, de acordo com a agência …

Novas restrições serão circunscritas a territórios. Rui Moreira vai aguardar pelo Conselho de Ministros

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde defendeu esta quinta-feira que as novas restrições para combater a pandemia no país serão a nível territorial e mais circunscritas, num modelo que ainda terá que ser …

Portugal sai da "lista negra" da Suíça de países com chegadas condicionadas

As autoridades federais suíças decidiram esta quarta-feira levantar as restrições à entrada de pessoas provenientes da maior parte de países e regiões que estavam na sua lista negra, incluindo Portugal. Os nacionais ou viajantes provenientes desses …

Estudo sugere que os macacos podem ter-se domesticado como os humanos

Um novo estudo sugere que os macacos, tal como os humanos, podem envolver-se no processo de auto-domesticação, alterando o curso da sua própria evolução e fisiologia através da forma como se comportam uns com os …

A estrela morta que emitiu ondas de rádio no interior da Via Láctea voltou a fazê-lo

O magnetar SGR 1935+2154, que em abril emitiu a primeira explosão de rádio conhecida de dentro da Via Láctea, explodiu mais uma vez. A pequena estrela morta responsável pela primeira deteção de explosões rápidas de rádio …