Encontrados descendentes vikings enterrados há 800 anos na Sicília

Sławomir Moździoch / Polish Academy of Sciences

Um dos esqueletos encontrados perto de Sicília

Um grupo de arqueólogos descobriu recentemente túmulos medievais com cerca de 800 anos na Sicília e apontam que há uma forte possibilidade dos esqueletos encontrados pertencerem a descendentes de vikings.   

A pesquisa, liderada por investigadores polacos, encontrou acidentalmente dez sepulturas perto da igreja medieval de San Michele del Golfo, perto de Palermo, na Sicília, nas quais encontraram restos de esqueletos de descendentes vikings.

Segundo os investigadores, os indivíduos encontrados eram oriundos da Normandia. Os normandos – povo medieval descendente na sua grande maioria de vikings – surgiram depois de os nórdicos se estabeleceram no norte da França, onde conquistaram terras e criaram o seu próprio ducado.

“Alguns dos mortos enterrados no cemitério eram, sem dúvida, membros da elite ou do clero, como indica a forma dos túmulos”, disse Sławomir Moździoch, arqueólogo no Instituto de Arqueologia e Etnologia da Academia Polaca de Ciências em Varsóvia e líder da escavação.

Após examinar os restos mortais das 10 pessoas encontradas, os investigadores concluíram que três das sepulturas pertenciam a mulheres e a duas crianças. As análises aos restos mortais ainda não estão concluídas e não foram determinadas as causas das mortes.

Não foram encontrados quaisquer bens enterrados junto dos esqueletos, mas uma análise de um antropólogo ajudou os arqueólogos a determinar que os mortos eram provavelmente oriundos da Europa Ocidental. Ou seja, muito provavelmente eram normandos do norte de França.

“De acordo com o antropólogo local, a altura e estrutura maciça dos esqueletos aqui encontrados apontam para esse origem”, explicou Moździoch.

Não é considerado assim tão surpreendente encontrar normandos na Sicília. Este povo medieval de navegadores enviou no século IX e XX várias expedições ao sul da Itália e à Sicília, bem como à Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda.

Sławomir Moździoch / Polish Academy of Sciences

Equipa de arqueólogos durante as escavações

“Na segunda metade do século XI, a ilha foi reconquistada aos árabes por um nobre normando, Roger de Hauteville“, apontou o líder da escavação.

O “cemitério” encontrado foi associado a um hospital da igreja, que foi mencionado num documento datado do século XII. A construção da catedral terá começado ainda antes da cidade de Palermo ser reconquistada dos muçulmanos. E, por isso mesmo, foi fortificada e construída numa colina, que funcionava como um lugar estratégico durante as batalhas.

“A forma da Europa Ocidental está patente na igreja – não só na sua arquitetura, mas também em moedas encontradas cunhadas das regiões de Champanhe, na França, e Lucca, na Itália -, indicam que os seus construtores e os próprios frequentadores podem ter vindo da Normandia e do norte da Península de Apeninos”, concluiu Moździoch.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. “Este povo medieval de navegadores enviou no século IX e XX várias expedições ao sul da Itália e à Sicília, bem como à Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda.”

    No século passado ainda havia Vikings? O que a gente aprende todos os dias…

RESPONDER

Médicos alertam: técnica de tapar a boca com fita-cola para dormir melhor é perigosa

Chama-se "buteyko" e consiste em encontrar formas de respirar melhor pelo nariz, entre as quais fechar a boca enquanto dormimos. A tendência está a gerar um debate entre os médicos, que consideram esta técnica perigosa. Foi …

Incentivos financeiros ajudam pessoas a deixar de fumar

Fumar mata um em cada dois fumadores ávidos, mas desistir leva a grandes melhorias na saúde, aumento da esperança de vida e poupança de custos com cuidados de saúde. Pagar às pessoas para pararem de …

Há uma coisa simples que podemos fazer para combater as alterações climáticas: falar sobre o problema

A preocupação com as alterações climáticas pode ser muitas vezes um fardo solitário, mas a verdade é que não precisa de ser assim. De acordo com um novo estudo, simplesmente falar sobre o assunto com …

Em busca das duas princesas alemãs. Vaticano analisa ossários após encontrar túmulos vazios

Os trabalhos começaram esta manhã no cemitério que fica dentro das muralhas do Vaticano e foram analisados os restos dos dois ossários, explicou o porta-voz interino da Santa Sé, Alessando Gisotti. Os ossários estavam perto dos …

Miguel Pinto Lisboa é o novo presidente do Vitória de Guimarães

Miguel Pinto Lisboa foi eleito, este sábado, o novo presidente do Vitória de Guimarães, avança a imprensa portuguesa. Os números ainda não são oficiais, mas as primeiras projeções indicam que o candidato de 47 anos da …

Incêndios em Castelo Branco e Santarém. Há quatro bombeiros feridos, um em estado grave

Dois incêndios em Castelo Branco estão a mobilizar mais de 500 operacionais e 15 meios aéreos. Há estradas cortadas e aldeias evacuadas. Dois incêndios em povoamento florestal, todos no distrito de Castelo Branco, um no município …

"É contra a vontade de Deus". Família que se recusou a pagar impostos é condenada na Austrália

Uma família cristã australiana recusou-se a pagar impostos, alegando que é "contra a vontade de Deus". Em tribunal, o juiz obrigou a pagar 1,3 milhões de euros. Em 2017, na Tasmânia, uma família cristã não pagou …

David guardou uma pedra durante anos pensando que era ouro. Afinal, era bem mais raro que isso

Em 2015, David Hole estava a explorar Maryborough Regional Park, perto de Melbourne, na Austrália. Com um detetor de metais, descobriu algo fora do comum: uma rocha avermelhada muito pesada que repousava em argila amarela. Maryborough …

Quadro roubado por soldado nazi é devolvido a museu de Florença

O quadro de natureza-morta tinha sido roubado do museu por um soldado nazi como um presente para a sua esposa. Agora, o quadro foi devolvido ao museu pelos alemães. Um soldado nazi em retirada de Itália …

Um segundo. Foi o tempo que a Inteligência Artificial precisou para resolver um cubo mágico

Investigadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, desenvolveram o DeepCubeA, um algoritmo capaz de resolver o desafio do Cubo de Rubik em pouco mais do que um segundo.  De acordo com a equipa de investigadores …