Há emigrantes com casas de luxo a receber o apoio de 60 euros destinado a famílias carenciadas

7

A lista de quem recebe o apoio foi feita com base em que beneficia da tarifa social de eletricidade, o que levou a que vários emigrantes com altos rendimentos no estrangeiro tenham recebido os 60 euros indevidamente.

Há emigrantes com salários altos no estrangeiro que estão a receber o apoio de 60 euros destinado às famílias carenciadas. O caso já foi denunciado ao Governo e aos partidos e a Segurança Social justifica o sucedido afirmando que se baseou na lista de beneficiários da tarifa social de eletricidade para escolher quem recebe o apoio.

António Manuel Costa, de 66 anos, vai enviar uma carta ao Presidente da República onde relata casos de três vizinhos emigrantes que receberam os 60 euros duas vezes, revela o JN.

“Sinto-me revoltado por estarem a dar dinheiro a muitos emigrantes que nunca trabalharam nem fizeram qualquer desconto em Portugal, porque têm o contador da luz em seu nome e [beneficiam] da tarifa económica, por estarem cá pouco tempo. Isto é tão absurdo quanto ridículo, pois eu, com 636 euros de reforma, paguei 876 euros de IRS. É um roubo para quem trabalhou a vida toda“, denuncia.

Um presidente de junta de freguesia em Pombal afirma que há “pessoas sem escrúpulos, com reformas de 2000 e mais euros, que se vêm gabar que receberam 60 euros” e lembra que alguns emigrantes que têm vidas luxuosas de também estão isentos de IRS e do IMI.

Outro presidente de junta de freguesia do concelho de Penafiel revela ainda que há mulheres de emigrantes que entregam o IRS como separadas de facto para receberem mais benefícios.

A Segurança Social responde ao sucedido afirmando que “a lista de beneficiários da tarifa social de eletricidade é elaborada pela Direção-Geral de Energia e Geologia”, mas não esclarece se estão a ser tomadas medidas para impedir que os apoios sejam dados a quem não precisa.

  ZAP //

7 Comments

  1. “Sinto-me revoltado por estarem a dar dinheiro a muitos emigrantes que nunca trabalharam nem fizeram qualquer desconto em Portugal, porque têm o contador da luz em seu nome e [beneficiam] da tarifa económica, por estarem cá pouco tempo. Isto é tão absurdo quanto ridículo, pois eu, com 636 euros de reforma, paguei 876 euros de IRS. É um roubo para quem trabalhou a vida toda “, denuncia.

    Assino por baixo. É o que faz as políticas de porta aberta a estes abutres. Este compatriota tem toda a razão. As pessoas trabalham 50 anos e no fim, mandam-nos para casa com 600€ de reforma, e depois vêm para cá estes mafiosos viver à custa dos nossos descontos. PS Nunca mais.

  2. E a lista de beneficiários da tarifa social de eletricidade elaborada pela Direção-Geral de Energia e Geologia é baseada em quê?
    Pelo que sei, em dados da SS, e é automatizada, isto é, uma pessoa não se candidata nem se inscreve.
    Pela minha experiência, esse automatismo só ocorre quando se altera o contrato com um fornecedor de energia e quando se faz qualquer coisa que o despoleta.

  3. Este tipo de situações só evidencia o desnorte e a falta de coneção entre os vários organismos do estado.

    Além disso a “pressa” em fazer algo para contentar a opinião publica dá nisto…

    Só por esta noticia se vê 2 situações escandalosas: dar a tarifa social apenas porque consomem pouca eletricidade independentemente da habitação ser de luxo ou não e depois usar este tipo de listagens para atribuir subsidios. Esta atribuição não devia ser baseada pelo menos nas declarações de IRS ou só as usam para não dar apoios aos filhos…

  4. Os emigrantes a que a pessoa se refere são os portugueses que emigraram para trabalhar no estrangeiro.
    Esses emigrantes foram um grande contributo para as reservas e riqueza do país.
    Apesar de não pagarem IRS, pagam impostos em tudo o que adquirem com dinheiro que recebem no estrangeiro.
    Há situações bem mais escandalosas em Portugal e que deveriam denunciar.
    Se está certo receberem ajudas por terem tarifa social, é claro que está errado.
    Mas o que deixa realçar aqui é mais a inveja que outra coisa.
    Eu não sou emigrante…

  5. Se o povo se revoltasse era com Salgados, Socrates, TAP, Novo Banco e afins, que roubam milhares de vezes estes apoios do estado dados indevidamente… mas não, só se revoltam com a raia miúda e deixam os tubarões a comer tudo na mesma… assim não vamos lá e vamos continuar a ser um Portugal cada vez mais pobre!…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.