Em 2014, em média 4 mulheres foram assassinadas por mês

European Parliament / Flickr

-

Este ano foram assassinadas, em média, quatro mulheres por mês em Portugal no contexto de relações de intimidade, segundo dados que revelam um aumento destes crimes em relação ao ano anterior.

Os dados do relatório anual do Observatório das Mulheres Assassinadas (OMA), da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), dão conta da morte violenta de 40 mulheres, na sua maioria às mãos de atuais ou ex- companheiros, adiantando que outras 46 seis escaparam a tentativas de homicídio.

Estes números representam “um aumento significativo” de mortes em relação a 2013, quando tinham sido assassinadas 37 mulheres na totalidade do ano, segundo o estudo, que sintetiza os femicídios e as tentativas de femicídio ocorridas em Portugal e noticiadas pela imprensa entre 1 de janeiro e 30 de novembro deste ano.

Entre as 40 mortes, o grupo mais expressivo é o das mulheres que mantêm ou mantiveram uma relação íntima com os homicidas, que representam 82% das mortes (33 mulheres).

Em 57% dos casos (23 mulheres) eram conhecidos relatos de violência doméstica.

Os restantes sete homicídios ocorreram no contexto de relações familiares.

O OMA fez ainda uma análise comparativa dos homicídios de mulheres na última década, concluindo que se tem registado em Portugal uma média anual de 40 assassínios de mulheres em relações de intimidade.

Dos 396 homicídios registados pelo OMA na última década, 336 ocorreram neste contexto (85%).

“Se não podemos concluir no sentido do aumento na ocorrência deste tipo de crime, também não podemos inferir que o mesmo diminuiu. A conclusão é que, não obstante o seu maior conhecimento e maior visibilidade, não fomos ainda capazes de diminuir as taxas de prevalência da forma mais letal de violência contra as mulheres nas relações de intimidade”, adianta o estudo.

O ciúme, o não aceitar do fim da relação, a violência doméstica ou ainda os chamados motivos passionais estão entre os principais razões dos crimes, que ocorrem na sua grande maioria em casa (75%) e com recurso a arma branca (35%) ou arma de fogo (32%).

A violência contra mulheres ocorre em todas as faixas etárias, mas o estudo constata que é entre as mulheres com mais de 36 anos, empregadas (34%) e reformadas (16%), que mais homicídios se registam.

Em 19% dos homicídios corriam nos tribunais processos-crime por violência doméstica e em 3% das situações tinha já existido decisão judicial.

Em 70% das situações não existia informação relativamente à existência de queixa-crime, e em 8% dos casos, embora a situação de violência doméstica fosse conhecida, não existia denúncia e a vítima nunca quis denunciar.

O mês de novembro revelou-se, segundo o OMA, como “o mais fatídico” do ano, tendo sido contabilizadas seis mortes de mulheres no contexto de relações de intimidade ou familiares privilegiadas, acima da média mensal de quatro mulheres registada ao longo do ano.

Setúbal foi o distrito que registou mais homicídios de mulheres (7) seguido dos distritos de Lisboa (5) e Porto (4), Coimbra, Santarém, Vila Real e Viseu (3 cada distrito).

Por concelhos, foi o Seixal, distrito de Setúbal, que contabilizou o maior número mortes, num total de quatro mulheres assassinadas, logo seguido pelo concelho de Soure, distrito de Coimbra, que registou três mortes neste contexto.

O estudo contabilizou ainda desde 2012 a existência de 229 filhos de mulheres vítimas de homicídio ou tentativa de homicídio, sendo que destes 122 ficaram órfãos.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Mais cinco minutos? Adiar o despertador não é uma boa ideia

Mais cinco minutos na cama ou acordar mal toque o despertador? Apesar de esse cochilo parecer inofensivo, a verdade é que adiar o despertador não é uma boa ideia. Se faz parte da equipa dos mais …

Há uma planta na Austrália que é masculina, feminina e bissexual

Cientistas da Bucknell University (Austrália) descobriram uma espécie de planta que pode ser masculina, feminina e bissexual. Os investigadores publicaram a descoberta na revista PhytoKeys e chamaram a amostra, que foi descrita em 1970, mas não …

Astrónomos descobrem a mais antiga colisão de galáxias conhecida

Uma equipa internacional de investigadores descobriram o exemplo mais antigo de uma colisão entre duas galáxias. A luz dessa fusão teve de viajar durante 13 mil milhões de anos para chegar até nós, uma vez …

Asteróide do tamanho da Torre Eiffel vai passar pela Terra. É a segunda maior aproximação em 120 anos

Na segunda-feira, dia de S. João no Porto, um asteróide muito grande - que pode ser tão grande como a Torre Eiffel - vai passar pela Terra a mais de 45 mil quilómetros por hora. O …

As eleições foram repetidas em Istambul. Erdogan voltou a perder (e por mais)

O candidato da oposição Ekrem Imamoglu ganhou hoje de novo as eleições municipais em Istambul, após a anulação de uma primeira votação, infligindo ao presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, o pior revés eleitoral em 17 …

No Azerbaijão, há chamas que ardem há quatro mil anos

Chamas altas dançam sem descanso num trecho de 10 metros de encosta. É o Yanar Dag - que significa "montanha em chamas" - na Península Absheron, no Azerbaijão. "Este fogo queimou 4.000 anos e nunca parou", …

A lendária Cidade Perdida do Deus Macaco é um refúgio de espécies "extintas"

A Cidade Branca, imponente sítio arqueológico detetado em 2012 nas selvas das Honduras, é também um "ecossistema prístino e próspero, cheio de espécies raras e únicas". A ONG americana Conservation International chegou a essa conclusão depois …

As mulheres têm mais doenças autoimunes do que os homens. A culpa pode ser da placenta

A hipótese da compensação da gravidez mostra que a evolução pode ter tido um papel importante no sistema imunológico das mulheres. Há cerca de 65 milhões de aos, depois da época dos dinossauros, surgiu o primeiro …

Cientistas conseguiram registar canto de uma das baleias mais raras do mundo

Cientistas conseguiram, pela primeira vez, registar sons de um pequeno grupo de baleias-francas-do-pacífico (Eubalaena japonica). Pela primeira vez, investigadores da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) conseguiram gravar sons de um pequeno grupo de baleias-francas-do-pacífico (Eubalaena …

Único racismo português "é contra os ciganos" (e Portugal devia pedir-lhes desculpa)

O antropólogo e investigador José Pereira Bastos defendeu este domingo que Portugal deveria pedir desculpa aos ciganos e resolver o problema da habitação, apontando que não adianta de nada haver um Dia Nacional do Cigano. O …