Em 2014, em média 4 mulheres foram assassinadas por mês

European Parliament / Flickr

-

Este ano foram assassinadas, em média, quatro mulheres por mês em Portugal no contexto de relações de intimidade, segundo dados que revelam um aumento destes crimes em relação ao ano anterior.

Os dados do relatório anual do Observatório das Mulheres Assassinadas (OMA), da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), dão conta da morte violenta de 40 mulheres, na sua maioria às mãos de atuais ou ex- companheiros, adiantando que outras 46 seis escaparam a tentativas de homicídio.

Estes números representam “um aumento significativo” de mortes em relação a 2013, quando tinham sido assassinadas 37 mulheres na totalidade do ano, segundo o estudo, que sintetiza os femicídios e as tentativas de femicídio ocorridas em Portugal e noticiadas pela imprensa entre 1 de janeiro e 30 de novembro deste ano.

Entre as 40 mortes, o grupo mais expressivo é o das mulheres que mantêm ou mantiveram uma relação íntima com os homicidas, que representam 82% das mortes (33 mulheres).

Em 57% dos casos (23 mulheres) eram conhecidos relatos de violência doméstica.

Os restantes sete homicídios ocorreram no contexto de relações familiares.

O OMA fez ainda uma análise comparativa dos homicídios de mulheres na última década, concluindo que se tem registado em Portugal uma média anual de 40 assassínios de mulheres em relações de intimidade.

Dos 396 homicídios registados pelo OMA na última década, 336 ocorreram neste contexto (85%).

“Se não podemos concluir no sentido do aumento na ocorrência deste tipo de crime, também não podemos inferir que o mesmo diminuiu. A conclusão é que, não obstante o seu maior conhecimento e maior visibilidade, não fomos ainda capazes de diminuir as taxas de prevalência da forma mais letal de violência contra as mulheres nas relações de intimidade”, adianta o estudo.

O ciúme, o não aceitar do fim da relação, a violência doméstica ou ainda os chamados motivos passionais estão entre os principais razões dos crimes, que ocorrem na sua grande maioria em casa (75%) e com recurso a arma branca (35%) ou arma de fogo (32%).

A violência contra mulheres ocorre em todas as faixas etárias, mas o estudo constata que é entre as mulheres com mais de 36 anos, empregadas (34%) e reformadas (16%), que mais homicídios se registam.

Em 19% dos homicídios corriam nos tribunais processos-crime por violência doméstica e em 3% das situações tinha já existido decisão judicial.

Em 70% das situações não existia informação relativamente à existência de queixa-crime, e em 8% dos casos, embora a situação de violência doméstica fosse conhecida, não existia denúncia e a vítima nunca quis denunciar.

O mês de novembro revelou-se, segundo o OMA, como “o mais fatídico” do ano, tendo sido contabilizadas seis mortes de mulheres no contexto de relações de intimidade ou familiares privilegiadas, acima da média mensal de quatro mulheres registada ao longo do ano.

Setúbal foi o distrito que registou mais homicídios de mulheres (7) seguido dos distritos de Lisboa (5) e Porto (4), Coimbra, Santarém, Vila Real e Viseu (3 cada distrito).

Por concelhos, foi o Seixal, distrito de Setúbal, que contabilizou o maior número mortes, num total de quatro mulheres assassinadas, logo seguido pelo concelho de Soure, distrito de Coimbra, que registou três mortes neste contexto.

O estudo contabilizou ainda desde 2012 a existência de 229 filhos de mulheres vítimas de homicídio ou tentativa de homicídio, sendo que destes 122 ficaram órfãos.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Jorge Jesus vence prémio "Bola de Prata" para melhor treinador do Brasileirão

Jorge Jesus volta a fazer história. O treinador recebeu, esta segunda-feira, o prémio Bola de Prata da ESPN Brasil para melhor treinador. Jorge Jesus, o técnico português que se sagrou campeão da liga brasileira de futebol …

Denunciantes são "essenciais para combater a corrupção", mas em Portugal há "falta de sensibilidade"

Esta segunda-feira, a ex-eurodeputada Ana Gomes disse que em Portugal "existem falhas de sensibilidade" face aos denunciantes, que "não são protegidos", apesar de serem "absolutamente essenciais para combater a corrupção", frisando o exemplo de Rui …

Produtores de vinagre italiano perdem batalha pela exclusividade do termo "balsâmico"

Os produtores de vinagre italiano de Modena reclamavam a exclusividade do termo "balsâmico". O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) não lhes deu razão. Segundo a BBC, o Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) …

Catarina Martins desvaloriza críticas internas. BE "é o partido mais plural da sociedade portuguesa"

Catarina Martins disse ser natural que sejam apresentadas várias moções à convenção do partido. Alguns membros apontam falta de debate interno, críticas relativizadas pela coordenadora. Catarina Martins considerou natural que se apresentem várias moções à convenção …

Homens e mulheres já podem entrar juntos em restaurantes na Arábia Saudita

A Arábia Saudita acabou com a exigência de entradas separadas em restaurantes para homens e mulheres e com a separação entre sexos à mesa. Até agora era obrigatório ter uma entrada para famílias e mulheres …

Exército japonês pediu uma escrava sexual para cada 70 soldados na II Guerra Mundial

Durante a Segunda Guerra Mundial, o exército do Japão pediu ao Governo que fornecesse uma escrava sexual para cada 70 soldados, de acordo com documentos históricos analisados pela agência de notícias nipónica Kyodo News. Os 23 …

Centeno apresenta linhas gerais do Orçamento aos partidos na terça-feira

Mário Centeno apresenta aos partidos, esta terça-feira, as linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado. Só o Livre fica de fora por "impedimento de agenda". O Governo apresenta amanhã, dia 10 de dezembro, as linhas …

Amianto. Fenprof vai apresentar queixa em Bruxelas

A Fenprof acusa o Governo português de não cumprir a diretiva comunitária que impõe a retirada de amianto de edifícios públicos, incluindo escolas. A Federação Nacional de Professores (Fenprof) vai apresentar uma queixa à Comissão Europeia …

Luís Maximiano: "Battaglia levou com o garrafão de água e o Misic com um cinto na cara"

O guarda-redes do Sporting disse esta segunda-feira que ficou “bloqueado e sem reação” durante o ataque à Academia de Alcochete, descrevendo as agressões aos colegas de equipa, após a entrada no balneário de mais de …

Peritos da Ordem admitem práticas ilícitas na venda de produtos no BES e Banif

Os peritos da Ordem dos Advogados que analisaram as reclamações de lesados do BES e do Banif disseram esta segunda-feira aos jornalistas que encontraram indícios de práticas ilícitas na venda de produtos financeiros por aqueles …