Eleições no Brasil podem ter uma novidade: a União Europeia

EPA/Joedson Alves

Jair Bolsonaro

Tribunal Superior Eleitoral convidou observadores da União Europeia para “vigiarem” o próximo acto eleitoral no Brasil.

Poderá haver observadores europeus nas próximas eleições gerais no Brasil.

Pela primeira vez, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) convidou a União Europeia para observar o acto eleitoral deste ano, marcado para o dia 2 de Outubro.

O TSE confirmou esse convite nesta segunda-feira, à agência Reuters, mas ainda não tem resposta por parte dos responsáveis europeus.

Josep Borrell, chefe da diplomacia europeia, lembrou ao tribunal brasileiro que precisa de falar com todos os Estados-membros da União Europeia e com o Parlamento Europeu, antes de responder ao convite, que agradeceu.

Fonte próxima do processo revelou à mesma agência que, no próximo mês, Maio, deverá chegar ao Brasil uma missão composta por observadores europeus, para verificar se é possível acompanharem de perto as eleições gerais.

A União Europeia junta-se às instituições internacionais convidadas para este efeito: Organização dos Estados Americanos, Carter Center, Parlamento do Mercosul e Fundação Internacional para Sistemas Eleitorais.

O actual presidente Jair Bolsonaro, que se vai candidatar novamente nas próximas eleições, já avisou que não confia no sistema de voto electrónico no Brasil e comentou que duvida da independência do Tribunal Superior Eleitoral.

No Verão passado, Bolsonaro disse mesmo que poderá não aceitar os resultados do acto eleitoral de 2022.

As eleições gerais em Outubro servirão para a população no Brasil eleger presidente da República, governadores, senadores e deputados federais, estaduais e distritais. Na corrida presidencial, a eventual segunda volta será no dia 30 de Outubro.

Lula da Silva é o favorito à vitória, segundo as sondagens mais recentes.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.