O “efeito Mona Lisa” nem sequer existe no quadro que lhe deu nome

Musée du Louvre / Wikimedia

Mona Lisa, por Leonardo Da Vinci

Em ciência, o “efeito Mona Lisa” refere-se à impressão de que os olhos da pessoa retratada numa imagem parecem seguir o espetador em movimento.

Dois investigadores do Cluster of Excellence CITEC da Universidade de Bielefeld demonstram que, ironicamente, este efeito não ocorre na mundialmente famosa pintura de Leonardo da Vinci, “Mona Lisa” – desmentindo uma lenda científica. Os cientistas apresentaram os resultados na revista científica i-Perception.

“As pessoas são muito boas a avaliar se estão ou não a ser vistas por outras pessoas. A psicologia percetiva demonstrou isso nos anos 60”, disse Gernot Horstmann em comunicado. Horstmann é especialista em movimento e atenção ocular e membro do grupo de estudo em Psicologia Neuro-Cognitiva do Departamento de Psicologia.

“As pessoas podem sentir como se estivessem a ser vistas de ambas as fotografias e pinturas – se a pessoa retratada olha para frente e para fora da imagem, isto é, a um ângulo de observação de 0 graus”, explica Horstmann. “Com um olhar ligeiramente lateral, ainda se pode sentir como se estivesse a ser observado”.

“Curiosamente, não temos de estar na frente da imagem para ter a impressão de ser olhado – mesmo que a pessoa na imagem olhe para a frente”, referiu Sebastian Loth, da Faculdade de Tecnologia e do CITEC. “Esta impressão surge se nos posicionarmos à esquerda ou à direita e a diferentes distâncias da imagem. A sensação robusta de ser observado é precisamente o efeito da Mona Lisa.”

No estudo sobre comunicação com robôs, Loth repetidamente encontrou o termo “Efeito Mona Lisa”, cunhado após a famosa pintura a óleo do século XVI. “O efeito em si é inegável e demonstrável. Mas com a Mona Lisa não tivemos essa impressão.”

Para testar esta observação, Horstmann e Loth tiveram 24 participantes do estudo a olhar para a Mona Lisa na tela do computador e a avaliar a direção do seu olhar. Uma simples régua foi posicionada entre eles e a tela em várias distâncias. Os participantes indicaram onde o olhar de Mona Lisa encontrou a régua.

A fim de testar se as características individuais do rosto de Mona Lisa influenciaram a perceção do olhar dos espetadores, os investigadores usaram 15 secções diferentes do retrato – começando de toda a cabeça até os olhos e nariz. Cada imagem foi mostrada três vezes em ordem aleatória. Na metade da sessão, os investigadores também mudaram a distância da régua do monitor.

Horstmann e Loth reuniram mais de duas mil avaliações – e quase todas as medições indicaram que o olhar de Mona não é reto, mas sim para o lado direito do espetador.

O resultado: “Os participantes do nosso estudo tiveram a impressão de que o olhar de Mona Lisa estava voltado para o lado direito. Mais especificamente, o ângulo do olhar era de 15,4 graus em média“, disse Gernot Horstmann. “Assim, está claro que o termo efeito Mona Lisa não é nada além de um equívoco. Ilustra o forte desejo de ser olhado e ser o centro das atenções de outra pessoa”.

MC, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A primeira exolua alguma vez descoberta vai ficar escondida durante a próxima década

Uma boa exolua é difícil de encontrar e provar que a primeira lua em torno de um exoplaneta realmente existe pode levar até uma década. "Estamos a enfrentar alguns problemas difíceis em termos da confirmação da …

Por um euro, é possível comprar casa na cidade italiana do "Esplendor"

O município italiano de Sambuca, localizado na região italiana da Sicília, está a vender casas por um euro (1,14 dólares), visando travar o declínio populacional que a zona tem sofrido nos últimos anos.  A pequena cidade, cheia …

Pela felicidade dos professores, escola chinesa cria “licença do amor”

A escola secundária de Dinglan, localizada na cidade chinesa de Hangzhou, apresentou esta terça-feira a "licença do amor", que visa melhorar o humor dos seus professores e, consequentemente, o trabalho que fazem com os alunos. …

60% das espécies de café estão em risco de extinção

Pela primeira vez, o café integra a Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza como espécie em vias de extinção. De acordo com um estudo publicado esta quarta-feira nas revistas ScienceAdvances e Global …

Norte-americanos morrem mais por overdose do que por acidente de carro

Pela primeira vez na História, os norte-americanos estão mais propensos a morrer por 'overdose' de opióides do que por acidente de carro, sendo a morte devido ao consumo excessivo destas substâncias considerada uma epidemia que …

Choques elétricos e chicotadas: relatório denuncia tortura de mulheres sauditas

Um relatório da Human Rights Watch ​​​​​denuncia que a Arábia Saudita prendeu e torturou ativistas e dissidentes, nomeadamente mulheres que lutam pelos seus direitos. Segundo o "Relatório Mundial 2019" da organização não governamental Human Rights Watch …

"Robôs" podem eliminar um milhão de empregos (e criar outros tantos) até 2030

A adoção da automação em Portugal pode levar à perda de 1,1 milhões de empregos na indústria e comércio até 2030, mas criar outros tantos na saúde, assistência social, ciência, profissões técnicas e construção. Segundo um …

Hacker Rui Pinto admite ser denunciante no Football Leaks

Os advogados de Rui Pinto, o alegado 'hacker' que terá acedido ilegalmente a e-mails do Benfica, defenderam esta quinta-feira a sua conduta, por denunciar "práticas criminosas", e vão opor-se à sua extradição da Hungria, onde …

Duarte Lima recorre para plenário do Constitucional e suspende ida para a prisão

Duarte Lima recorreu esta quinta-feira para o plenário do Tribunal Constitucional (TC) evitando que comece a cumprir a pena de seis anos de prisão a que foi condenado no caso BPN/Homeland, disse à agência Lusa …

Coreia do Norte pede assinatura de tratado de paz antes de nova cimeira com EUA

A imprensa norte-coreana pediu a assinatura do tratado de paz inter-coreano, numa altura em que é esperado nos Estados Unidos um alto dirigente norte-coreano, no âmbito da preparação de uma segunda cimeira bilateral. No editorial, o …