Ecologistas e abstenção “histórica” ganham eleições municipais em França. Macron sofre pesada derrota

Cugnot Mathieu / EPA

O presidente francês, Emmanuel Macron.

A segunda volta das eleições municipais em França, realizada no domingo, ficou marcada por uma presença expressiva da esquerda ecologista e por uma elevada abstenção do eleitorado, na ordem dos 60%. O partido de Emmanuel Macron sofreu uma pesada derrota numa altura em que o presidente francês é severamente contestado.

A abstenção registou um “nível histórico”, como escreveu a Agência France Press (AFP), com mais de 60% dos eleitores a faltarem na chamada às urnas em tempos de pandemia de covid-19, o que levou o presidente francês Emmanuel Macron a manifestar-se “preocupado com a baixa taxa de participação”.

Dos resultados apurados, Os Verdes impuseram-se na votação como a principal força política de esquerda em França, “sinal de um reposicionamento político que está a acontecer em vários países da Europa, onde os partidos ecologistas, à boleia das questões climáticas, têm tido mais votos”, refere a AFP.

Um dos exemplos aconteceu no município de Paris, onde a presidente da Câmara, a socialista Anne Hidalgo, foi reeleita com mais de 50% dos votos na segunda volta, depois de se ter aliado aos Verdes. Já a ex-ministra da Saúde Agnès Buzyn, a candidata do República em Marcha de Macron, ficou-se pelo terceiro lugar com apenas 13,56% dos votos.

O partido que elegeu Macron em 2017, deverá manter o poder em Toulouse, enquanto a extrema-direita elegeu Louis Aliot, ex-companheiro de Marine le Pen em Perpignan.

Já os ecologistas ganharam em Lyon e em Marselha.

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, ganhou a segunda volta em Havre, com quase 60% da preferência dos votos, num teste de popularidade que pode não chegar para se manter no Governo. Philippe deu a entender que quer manter-se no Governo e que dará o lugar de presidente de Câmara ao número 2 da sua lista, mas especula-se que Macron poderá promover uma remodelação governamental, dadas as fortes críticas à forma como está a ser gerida a pandemia de covid-19.

A crise de Saúde Pública veio agravar o desagrado dos franceses e aumentar a impopularidade de Macron que já era visível aquando dos protestos dos Coletes Amarelos. Os resultados eleitorais deste domingo são a prova desse descontentamento.

Nenhum dos candidatos do Républica em Marcha conseguiu vencer nas grandes cidades e o jornal francês Le Monde fala de “uma falha amarga” para o partido de Macron que foi formado há apenas quatro anos.

A primeira volta das eleições municipais aconteceu a 15 de Março e a segunda volta teve de ser adiada devido à pandemia de Covid-19, fruto dos meses de confinamento imposto no país.

Na segunda volta estavam aptos a votar cerca de 16,5 milhões de eleitores, ou seja, cerca de 39% dos inscritos nos cadernos eleitorais no país, para decidirem sobre os novos executivos municipais em Paris, Marselha, Lyon e Bordéus, entre outras grandes cidades francesas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Pizza para Itália e salmão para a Noruega. Emissora pede desculpa por imagens usadas nos Jogos Olímpicos

O canal de televisão sul-coreano MBC pediu desculpa publicamente após usar imagens para representar países durante a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Fotos de pizza para a comitiva italiana, de salmão para a …

"Quanto mais cedo, melhor". A dona da Marlboro apoia a proibição dos cigarros até 2030

O CEO da Philip Morris Internacional, dona da Marlboro, apoia a proibição da venda de cigarros, mas os activistas anti-tabaco já acusaram a empresa de hipocrisia por tentar comprar uma farmacêutica enquanto lucra com o …

Bezos e Branson não são astronautas, clarifica Administração da Aviação norte-americana

Dúvida instalou-se depois dos voos que levaram os dois bilionários ao espaço. Novas diretrizes da Administração Federal de Aviação vêm esclarecer.  Após os voos que os tornaram nos primeiros turistas espaciais, Jeff Bezos e Richard Branson …

Soldados afegãos buscam refúgio no Paquistão após perderem postos na fronteira

Quase meia centena de soldados afegãos buscaram asilo no Paquistão após perderem para os Talibãs o controle das posições militares na fronteira, informou o exército paquistanês esta segunda-feira. Centenas de soldados do exército afegão e oficiais …

Portugal ultrapassa Estados Unidos em população com vacinação completa

EUA vivem atualmente um planalto no seu processo de vacinação, com pouco mais de meio milhão de cidadãos a serem vacinados diariamente. Desaceleração no ritmo de inoculações é atribuída a motivações pessoais da população e …

Mulher que vestia camisola com capa do Charlie Hebdo ferida em Londres

Uma mulher que vestia uma camisola estampada com uma capa da revista satírica francesa Charlie Hebdo foi ferida levemente com arma branca no domingo em Hyde Park, em Londres, informou a polícia, que pediu colaboração …

Novo Banco. Comissão de inquérito aprova que resolução do BES foi "fraude política"

A comissão de inquérito ao Novo Banco aprovou uma proposta do PCP de alteração ao relatório referindo que a resolução do BES e a sua capitalização inicial, de 4.900 milhões de euros, foi "uma fraude …

BCP prevê saída de mais de 800 trabalhadores e admite despedimento coletivo

O presidente do BCP disse esta segunda-feira que deverão sair do banco mais de 800 trabalhadores, abaixo da meta inicial de 1.000, mas que depende dos funcionários que aceitarem rescindir e mantém a possibilidade de …

Jogos Olímpicos. Ouro e prata para atletas de...13 anos

Pódio muito jovem na estreia do skate feminino. A espreitar o pódio ficou uma norte-americana com quase o triplo da idade. O skate está a "viver" os seus primeiros dias na história dos Jogos Olímpicos. Inserido …

SEF e PSP reforçam fiscalização às regras aplicáveis nas viagens de avião

O SEF e a PSP reforçaram a fiscalização nos aeroportos às regras do tráfego aéreo devido às variantes de covid-19 e ao aumento do número de voos previsto para as próximas semanas, segundo um despacho …