Ecologistas e abstenção “histórica” ganham eleições municipais em França. Macron sofre pesada derrota

Cugnot Mathieu / EPA

O presidente francês, Emmanuel Macron.

A segunda volta das eleições municipais em França, realizada no domingo, ficou marcada por uma presença expressiva da esquerda ecologista e por uma elevada abstenção do eleitorado, na ordem dos 60%. O partido de Emmanuel Macron sofreu uma pesada derrota numa altura em que o presidente francês é severamente contestado.

A abstenção registou um “nível histórico”, como escreveu a Agência France Press (AFP), com mais de 60% dos eleitores a faltarem na chamada às urnas em tempos de pandemia de covid-19, o que levou o presidente francês Emmanuel Macron a manifestar-se “preocupado com a baixa taxa de participação”.

Dos resultados apurados, Os Verdes impuseram-se na votação como a principal força política de esquerda em França, “sinal de um reposicionamento político que está a acontecer em vários países da Europa, onde os partidos ecologistas, à boleia das questões climáticas, têm tido mais votos”, refere a AFP.

Um dos exemplos aconteceu no município de Paris, onde a presidente da Câmara, a socialista Anne Hidalgo, foi reeleita com mais de 50% dos votos na segunda volta, depois de se ter aliado aos Verdes. Já a ex-ministra da Saúde Agnès Buzyn, a candidata do República em Marcha de Macron, ficou-se pelo terceiro lugar com apenas 13,56% dos votos.

O partido que elegeu Macron em 2017, deverá manter o poder em Toulouse, enquanto a extrema-direita elegeu Louis Aliot, ex-companheiro de Marine le Pen em Perpignan.

Já os ecologistas ganharam em Lyon e em Marselha.

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, ganhou a segunda volta em Havre, com quase 60% da preferência dos votos, num teste de popularidade que pode não chegar para se manter no Governo. Philippe deu a entender que quer manter-se no Governo e que dará o lugar de presidente de Câmara ao número 2 da sua lista, mas especula-se que Macron poderá promover uma remodelação governamental, dadas as fortes críticas à forma como está a ser gerida a pandemia de covid-19.

A crise de Saúde Pública veio agravar o desagrado dos franceses e aumentar a impopularidade de Macron que já era visível aquando dos protestos dos Coletes Amarelos. Os resultados eleitorais deste domingo são a prova desse descontentamento.

Nenhum dos candidatos do Républica em Marcha conseguiu vencer nas grandes cidades e o jornal francês Le Monde fala de “uma falha amarga” para o partido de Macron que foi formado há apenas quatro anos.

A primeira volta das eleições municipais aconteceu a 15 de Março e a segunda volta teve de ser adiada devido à pandemia de Covid-19, fruto dos meses de confinamento imposto no país.

Na segunda volta estavam aptos a votar cerca de 16,5 milhões de eleitores, ou seja, cerca de 39% dos inscritos nos cadernos eleitorais no país, para decidirem sobre os novos executivos municipais em Paris, Marselha, Lyon e Bordéus, entre outras grandes cidades francesas.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Entre "bomba atómica" e "cozinhado" de última hora, Marcelo recebeu Rangel (para irritação de Rio)

O Presidente da República recebeu Paulo Rangel numa altura em que tenta ainda "cozinhar" um entendimento de última hora para aprovação do Orçamento de Estado para 2022, de modo a evitar a "bomba atómica" da …

Sarabia (2E) do Sporting disputa a bola com Ricielli (2D) do Famalicão durante jogo da Taça da Liga

Sporting 2-1 Famalicão | Leões roubaram a bola e não deram hipóteses

O Sporting venceu o Famalicão 2-1, em jogo do grupo B da Taça da Liga, no qual, apesar da diferença mínima, não deu hipóteses ao adversário e controlou-o desde o primeiro ao último minuto. Finalmente Rúben …

Cidade australiana está a dar terrenos de graça para atrair novos moradores

Uma cidade em Queensland, na Austrália, está a doar terrenos numa tentativa de aumentar a sua população de apenas 800 pessoas. Em declarações ao site news.com.au, as autoridades da cidade australiana de Quilpie explicaram que estão …

Princesa Mako e o marido Komuro Kei

Entre escândalos na imprensa e stress pós-traumático, nada deteve o amor da Princesa Mako pelo plebeu Kei Komuro

A monarca japonesa vai abandonar a vida real e viver nos EUA com o marido, um advogado plebeu que conheceu em 2012 na Universidade. A imprensa tem escrutinado a vida de Komuro Kei, que consideram …

Depressão: o relato de Vanessa Fernandes

Escrava do seu sucesso, a vencedora de uma medalha nos Jogos Olímpicos confessa que teria ficado destruída, caso não tivesse pedido ajuda. A ideia era sempre "ganhar e ser a melhor" mas, nos bastidores, Vanessa Fernandes …

Squid Game. Coreia do Norte ataca Coreia do Sul com base no novo sucesso da Netflix

A série "Squid Game", que é a mais vista de sempre na Netflix, tornou-se tão popular que nem a Coreia do Norte ficou indiferente — mas por maus motivos. Enquanto a série sul-coreana tem conquistado espectadores …

O jogador do Santa Clara, Chindris, festeja um golo contra o FC Porto

Santa Clara 3-1 FC Porto | Eficácia atira dragões para fora da Taça da Liga

O Santa Clara recebeu e venceu hoje o FC Porto por 3-1, atirando os portistas para fora da Taça da Liga, num jogo em que a eficácia açoriana fez a diferença. Os golos do triunfo açoriano …

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque

Albuquerque mostrou-se disponível para negociar o OE, mas Rio diz que "a Madeira não está à venda"

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, manifestou hoje disponibilidade para conversar com o Governo sobre o OE, mas Rui Rio garantiu que os deputados madeirenses não vão contrariar o partido. “Se for para …

Golpe de Estado no Sudão. Confrontos nas ruas causam sete mortos e 140 feridos

Milhares de sudaneses têm saído às ruas para protestarem a tomada do poder pelos militares. A comunidade internacional tem sido unânime na condenação ao golpe de Estado. Na sequência do golpe de Estado de segunda-feira, os …

Amnistia Internacional pede que EUA retirem acusações a Assange e a Londres que evite extraditá-lo

A Amnistia Internacional (AI) pediu aos Estados Unidos que retirem as acusações contra o fundador da Wikileaks, Julian Assange, e ao Reino Unido que evite extraditá-lo, pedido feito hoje antes do início, quarta-feira, de nova …