//

Douro pode deixar de ser Património Mundial devido a hotel de Cinco Estrelas

A Comissão Nacional da UNESCO alerta que a aprovação do projecto de construção de um hotel de Cinco Estrelas em Mesão Frio põe em risco o estatuto do Douro como Património Mundial da Humanidade.

O alerta consta de um documento enviado à Comissão de Avaliação de Impacto Ambiental do projecto da autoria do empresário Mário Ferreira, accionista da Media Capital, a empresa que detém a TVI.

O procedimento de Avaliação Ambiental está em consulta pública até 29 de Janeiro próximo.

A UNESCO avisa que a construção da unidade hoteleira, denominada Douro Marina Hotel, abre caminho para “uma futura exclusão” do Douro “da lista de património mundial”, como cita o Público.

O projecto é um sonho antigo de Mário Ferreira e visa a construção de um hotel de 180 quartos e seis pisos, com um campo de golfe e a classificação de Cinco Estrelas.

O empresário procura licenciar o projecto há 22 anos, mas já o viu recusado por duas vezes, a última das quais em 2018.

A UNESCO entende que a construção prevista é “fora de escala e significativamente dissonante com a paisagem do Alto Douro Vinhateiro“, como transcreve o referido jornal.

“A intervenção proposta afecta directamente os critérios que serviram de base à conscrição do bem na lista” do Património Mundial da Humanidade, frisa ainda a Comissão da UNESCO, segundo o Público.

A entidade recomenda, desta forma, que o Estado “não conceda a licença ao empreendimento” e que “se restrinja às recomendações apresentadas na revisão técnica no que respeita aos projectos futuros”.

Para já, Mário Ferreira recusa pronunciar-se sobre o aviso da UNESCO, constatando que está à espera da decisão da Comissão de Avaliação Ambiental.

“Quem esperou 22 anos, também espera mais uns dias”, conclui em declarações ao Público.

  Susana Valente, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.