Especialistas preocupados com propagação da “doença dos cervos zombie” aos humanos

(CC0/PD) Markus B / pexels

Os cervos afectados podem parecer saudáveis. Os sintomas só se manifestam nos estágios finais da doença

Em 24 estados dos EUA e províncias do Canadá foram registados casos de caquexia crónica em cervos, alces e veados, informou o Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, CDC. Esta doença neurológica mortal é também conhecida como doença de cervos “zombie”.

Os cervos dos Estados Unidos e do Canadá estão a morrer. Uma enfermidade neurológica, a caquexia crónica, transforma cervos, alces e veados numa espécie de zombies. Segundo o The New York Post, o transtorno afeta o cérebro e a medula espinal, provocando perda de peso e coordenação, bem comportamento agressivo dos animais.

Identificada pela primeira vez no fim da década de 1960 num cervo do Colorado, a caquexia crónica está a espalhar-se lentamente para outros locais, e atualmente já foi registada em 251 condados e 24 estados dos Estados Unidos. O CDC revelou que a doença já atingiu o Canadá, a Noruega, Finlândia e Coreia do Sul.

Mesmo que não se conheçam ainda casos desta condição mortal entre seres humanos, alguns especialistas estão a manifestar a preocupação de que possa atingir-nos também. Cientistas da Universidade de Minnesota suspeitam mesmo que a doença pode vir a tornar-se um problema de saúde pública.

Michael Osterholm, especialista desta universidade, sustenta que “é provável que nos próximos anos se documentem casos de seres humanos com caquexia crónica, ligados ao consumo de carne contaminada”. Segundo Osterholm, o número de tais casos poderia ser significativo, para além de eventos isolados.

O especialista comparou a doença com a encefalopatia espongiforme bovina, conhecida também como doença das vacas loucas, realçando que durante algum tempo as pessoas não acreditavam que esta enfermidade pudesse espalhar-se entre os seres humanos.

Os cientistas acreditam que a caquexia crónica se transmite através da presença de proteínas especiais, chamadas priões, nos fluídos corporais, produzidas pela saliva, sangue ou urina, e que podem permanecer no ambiente durante muito tempo.

Segundo The New York Post, estudos anteriores mostraram que primatas não humanos, como os macacos, podem contrair a doença através da alimentação ou pelo contacto com o cérebro ou fluidos corporais de um animal infectado. Não há vacina ou cura para a doença, e os seus sintomas podem aparecer apenas um ano após a contaminação.

ZAP // Sputnik News / NYPost / CDC

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Os gorilas têm amigos para toda a vida (e fazem grandes festas anuais)

Cientistas concluíram que os gorilas têm amizades que duram para toda a vida, inclusive entre animais que não são parentes, e celebram grandes reuniões anuais. De acordo com o ABC, uma equipa de cientistas concluiu que …

Bengala que guiou bote salva-vidas após o naufrágio do Titanic leiloada por 44 mil euros

Quando o Titanic afundou em águas geladas perto de Newfoundland em 1912, um bote salva-vidas de sobreviventes usou a luz operada por bateria na bengala de uma mulher para iluminar o caminho para a segurança. Essa …

Amostras de sangue de animais de zoológicos ajudam a prever doenças em humanos

Os cientistas querem usar padrões genéticos similares, que estão presentes no sangue de humanos e animais há milhares de anos, para melhorar o prognóstico da doença assistida por computador. Os jardins zoológicos de Saarbrücken e Neunkirchen, …

Encontrado no topo dos Alpes um lago que não devia existir

Um montanhista capturou a formação de um lago "alarmante" no alto dos Alpes franceses depois de a neve glacial ter derretido durante a intensa onda de calor que atingiu a Europa central no final de …

Fogo na Sertã reacendeu e há aldeias cercadas pelas chamas

O incêndio no concelho da Sertã reacendeu à tarde depois de sido dado como dominado durante a madrugada, continuando os fogos no distritos de Castelo Branco a mobilizar mais de mil bombeiros e 15 meios …

Há uma cidade onde o dinheiro cresce das árvores

Morador da remota cidade de Skagway, no Alaska, há cerca de um ano, John Sasfai entra na cervejaria Skagway Brewing Co. e pede uma cerveja artesanal local à base de broto de abeto (árvore conífera …

Os gatos são um problema na Austrália. Matam mais de dois mil milhões de animais selvagens por ano

Quando os gatos vagueiam livremente, pequenos animais selvagens morrem. Na Austrália, a contagem de corpos já excede os dois mil milhões de animais nativos por ano. Na Austrália, investigadores ambientais analisaram centenas de estudos sobre os …

Morreu a antiga apresentadora da RTP Isabel Wolmar

Morreu a antiga apresentadora da RTP Isabel Wolmar. A cara histórica da estação pública tinha 86 anos. A notícia foi avançada pelo amigo Júlio Isidro na sua página oficial de Facebook. No Facebook, o apresentador da …

Cidade americana usa músicas infantis para afastar os sem-abrigo

https://vimeo.com/349252020 A cidade de West Palm Beach, no estado americano da Flórida, está a usar músicas infantis em loop para evitar que os sem-abrigo durmam no parque da cidade durante a noite. Numa tentativa desesperada e bizarra …

Nicolás Maduro acusa EUA de usarem sanções para se apoderarem do petróleo da Venezuela

O Presidente Nicolás Maduro acusou sábado os EUA de usarem as sanções contra a Venezuela como uma maneira de dominar o país para se apoderarem dos recursos petrolíferos venezuelanos. "Os EUA querem dominar-nos para controlar o …