/

Doença desconhecida está a tornar os ursos “simpáticos” como os cães (e é perigosa)

Os ursos pretos da Califórnia estão a sofrer uma misteriosa doença cerebral que os faz comportarem-se de forma amigável, tal como cães. Contudo, a doença é muito perigosa.

O Departamento de Pesca e Vida Selvagem da Califórnia (CDFW) documentou alguns dos primeiros casos em 2014, depois de ter sido alertado sobre uma série de jovens ursos negros na Bacia de Tahoe com aparentes anomalias neurológicas. Vários casos semelhantes foram documentados em vários condados da Califórnia, conta o IFLScience.

Um relatório de Pollock Pines, no condado de El Dorado, no mês passado, parece descrever bem a situação. Um pequeno urso preto foi visto sozinho num canteiro de obras. Além de parecer letárgico e possivelmente doente, o animal quase não se incomodava com as pessoas que o tentavam espantar com palmas e gritos.

O CDFW acabou por receber outra chamada com um relato semelhante no seu quintal.

“Quando um biólogo e diretor de vida selvagem do CDFW foi investigar, conclui que a situação é mais comum na Bacia de Tahoe e noutras partes do estado. Foi encontrado um urso demasiado jovem para sair por conta própria, com o comportamento “de um cachorro”, completamente confortável perto das pessoas, a pegar numa maçã para comer à sua frentes no pátio do quintal. Fisicamente e mentalmente, o urso simplesmente não parecia normal, andando de forma estranha, monótona e não reagindo como um urso, escreveu o CDFW, em comunicado.

O urso preto foi levado para observação e avaliação por veterinários, que revelaram que era pequeno e estava drasticamente abaixo do peso para a sua idade.

Uma semana mais tarde, o urso teve de ser abatido. Os resultados post-mortem preliminares e as tomografias computadorizadas dos ursos afetados sugerem que estão a sofrer de encefalite, uma inflamação do tecido cerebral normalmente causada por agentes infecciosos como vírus, fungos ou bactérias.

Biólogos de vida selvagem no CDFW dizem que a causa da doença é atualmente desconhecida, mas descobriram algumas pistas intrigantes, nomeadamente a presença de cinco vírus nunca antes vistos dentro dos ursos.

Uma equipa de investigadores do CDFW e da University of California sugerem que os novos vírus pertenciam a cinco géneros: Circoviridae, Parvoviridae, Anelloviridae, Polyomaviridae e Papillomaviridae. Além disso, os vírus foram detetado no fígado, baço e tecido cerebral.

Todos os sintomas da doença apresentam algumas semelhanças com a doença debilitante crónica observada em veados, alces e alces em muitas partes dos Estados Unidos. Conhecida como “doença zombie”, faz com que várias espécies sofram de perda drástica de peso, desiquilíbrio, baba, falta de coordenação, agressão e outros comportamentos pouco habituais.

Acredita-se que essa doença neurológica seja causada por priões, uma proteína que atua como um agente infeccioso.

Enquanto os cientistas tentam entender o surto de ursos, o público está a ser alertado para manter uma distância respeitável de qualquer urso preto, especialmente dos que que exibem comportamento suspeito e amigável.

Ainda não é claro se a doença é uma ameaça para os humanos ou outros animais selvagens. O estudo foi publicado em dezembro na revista científica PLOS One.

  Maria Campos, ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE