Leopardos “quase invisíveis” estão a prosperar na China

O número de espécimes de leopardo-do-norte-da-china (Panthera pardus orientalis) que habitam o Planalto de Loess tem aumentando nos últimos anos, contrariando a trajetória da maioria das populações mundiais da espécie.

Os resultados são de um estudo da Universidade de Copenhaga, na Dinamarca, que dão conta que esta subespécie de leopardo está a prosperar no norte da China, ao contrário da maioria das subespécies de leopardo que se encontram em risco de extinção.

Ficamos bastante surpreendidos com o aumento do número de leopardos, pois as suas populações estão a diminuir em muitos outros lugares. Sabíamos que havia leopardos nesta área, mas não tínhamos ideia de quantos ”, diz Bing Xie, aluna de doutoramento de Biologia da Universidade de Copenhaga e um dos cientistas envolvidos do estudo.

Juntamente com cientistas da Universidade de Beijing, em Pequim, Xie analisou cerca de 800 quilómetros quadrados do Planalto de Loess entre 2016 e 2017.

Os resultados do estudo mostram que o número de leopardos aumentou de 88 em 2016 para 110 em 2017 – deu-se um aumento de 25% e os cientistas suspeitam que os números continuem a aumentar nos últimos anos, segundo escreve o portal Futurity.

O crescimento do número de leopardos está relacionado com a implementação de um plano do Governo chinês para restaurara a biodiversidade na região.

“Há cerca de 20 anos, grande parte do habitat florestal do Planalto de Loess foi transformado em terras agrícolas. A atividade humana espantou javalis, sapos e veados – tornando impossível para os leopardos encontrarem comida. Agora que grande parte da floresta foi restaurada, as presas voltaram, assim com os leopardos”, explica Xie.

“Muitos moradores não tinham ideia da existência de leopardos nesta área, então ficaram extremamente entusiasmados e surpresos (…) E foi um sucesso para o Governo, que esperava maior biodiversidade na área”, continuou, citada em comunicado.

Para contabilizar o número de felinos, a equipa de cientistas instalou câmaras na área em causa. Apesar de terem captado imagens de mais felinos do que imaginavam, nenhum cientista conseguiu ver estes animais com os seus próprios olhos.

“Os leopardo são extremamente tímidos com o Homem e escapam-se silenciosamente. É por isso que não é incomum que os estudemos por 10 anos sem observar fisicamente um”.

Xie, que publicou recentemente os resultados da investigação na revista Integrative Zoology, promete continuar a estudar estes felinos: “O fato de 98% do habitat do leopardo ter sido perdido ao longo dos anos deixa-me muito triste. Tenho um grande amor por estes felinos e vou continuar a investigar sobre a melhor forma de protegê-los“.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Já pode ajudar a NASA a batizar o manequim que vai até à Lua

A agência espacial norte-americana está a pedir ajuda para batizar o "Moonikin", o manequim que vai a bordo da nave Orion, durante a missão lunar Artemis I, ainda este ano. Quando a nave espacial Orion, da …

Portugal em Europeus: as últimas três derrotas foram (todas) contra a Alemanha

Em 90 minutos, Portugal não era derrotado numa fase final de um Europeu desde a estreia no Europeu 2012. Recorde as seleções que bateram Portugal, até agora. "Já não posso ver os franceses à frente". Esta …

Spotify lança Greenroom (e abre concorrência ao Clubhouse)

O Spotify lançou na quarta-feira, dia 16 de junho, uma app de conversas por áudio em direto chamada Greenroom, uma resposta do gigante sueco de streaming de música à popular plataforma Clubhouse. O Greenroom permite que …

"Médicos de árvores" em Singapura ajudam a preservar os seus pacientes gigantes

Arboristas como Eric Ong são responsáveis pelo bem-estar das milhares de árvores em Singapura. O seu trabalho é essencial para a preservação da natureza. A Singapura é uma cidade-estado insular situada ao sul da Malásia, com …

Novo primeiro-ministro de Israel dá 14 dias a Netanyahu para deixar residência oficial

O novo primeiro-ministro de Israel, Naftali Benet, deu duas semanas ao antecessor Benjamin Netanyahu para abandonar a residência oficial do chefe de Governo, em Jerusalém, segundo adianta hoje a imprensa local. Benet terá enviado na sexta-feira …

Ponte inca com mais de 500 anos é reconstruída após cair durante a pandemia

Peruanos da comunidade Huinchiri, localizada na região de Cusco, estão a reconstruir uma ponte inca com 500 anos. Esta foi feita a partir de técnicas tradicionais de tecelagem para criar uma passagem sob o Rio …

Portugal 2-4 Alemanha | Reality check ao plano do engenheiro

A seleção portuguesa de futebol, campeã em título, caiu hoje para o terceiro lugar do Grupo F do Euro2020, ao perder por 4-2 com a Alemanha, em encontro da segunda jornada, disputado no Allianz Arena, …

Pandemia mostrou “falta de proteção das mulheres”

A pandemia de covid-19 mostrou “a vulnerabilidade e a falta de proteção das mulheres e quão pouco as sociedades se preocupam realmente em proteger elementos-chave em matéria de segurança”, considera Edit Schlaffer, diretora-executiva da Women …

Portugal vs Alemanha: Portugal perde por 2-4

A seleção portuguesa de futebol pode garantir hoje o apuramento para os oitavos de final do Euro2020, mas terá de vencer a poderosa Alemanha, ainda à procura dos primeiros pontos no Grupo F. O jogo …

Choques elétricos no pescoço podem combater a fadiga

Desde café a rotinas de sono complexas: os seres humanos desenvolveram várias estratégias para evitar o cansaço. Agora, cientistas acreditam ter descoberto uma nova técnica de combate à fadiga através de estimulação elétrica cerebral não …