Doença agonizante afeta milhões de mulheres (e ninguém fala sobre isso)

Duas condições de saúde que afetam milhões de mulheres, a endometriose e o mioma uterino, são pouco debatidas e estudadas, apesar de estimativas indicarem que potenciais tratamentos renderiam 1.6 mil milhões de euros para a indústria.

Essas doenças podem causar muita dor e, em alguns casos, levar à infertilidade e procedimentos cirúrgicos. Felizmente, alguns novos medicamentos estão a ser testados, embora os especialistas acreditem que estes – e outros problemas que atingem exclusivamente o sexo feminino – não recebam a atenção devida.

A endometriose, uma doença inflamatória crónica, afeta cerca de 10% das mulheres em idade reprodutiva (entre 20 e 40 anos) e odiagnóstico é demorado: aproximadamente 12 anos. Nessa condição, o tecido do útero cresce fora do órgão, levando a quistos, sangramento e cicatrizes.

Já os miomas são nódulos que se desenvolvem de células do músculo uterino, o que leva a tumores benignos. Estes tumores crescem dentro e à volta do útero, podendo causar grandes sangramentos e dor nas mulheres.

Metade das mulheres pode desenvolver um mioma em algum ponto da vida, mas nem todas apresentarão sintomas. O tratamento da endometriose e de miomas uterinos envolve a alteração dos níveis hormonais no organismo.

Já existem algumas drogas que fazem isso, incluindo a leuprolide, sendo que alguns contraceptivos também são usados para esse fim. No entanto, alguns desses tratamentos vêm com efeitos colaterais importantes, incluindo perda de densidade óssea e ondas de calor.

As condições também podem ser tratadas por cirurgia, mas a esperança dos novos estudos é precisamente criar tratamentos menos invasivos e com menos efeitos colaterais. Algumas empresas estão atualmente à procura de novas terapias para essas condições.

A Allergan está a desenvolver a Esmya, uma droga para uso em miomas uterinos. Este medicamento funciona modulando a progesterona, uma hormona chave para o útero. É um tipo de droga chamada de “moduladora seletiva de recetor de progesterona”. Bill Meury, diretor comercial da Allergan, disse que espera obter resultados que possam colocar a droga para aprovação comercial em 2018.

A Bayer está a testar a Vilaprisan, uma droga que também funciona modulando os níveis de progesterona. Como Esmya, é uma “moduladora seletiva de receptor de progesterona”. Em julho, a companhia iniciou um estudo de três fases para tratar miomas uterinos. O ensaio clínico deverá demorar três anos.

A Myovant está a estudar a Relugolix, uma droga que funciona suprimindo o estrogénio em níveis baixos e, em seguida, reintroduzindo o suficiente para que não leve à perda de densidade óssea. É um tipo de medicamento chamado de “antagonista do recetor da hormona libertadora de gonadotrofina”. Os ensaios clínicos devem terminar em 2019, mas um teste realizado no Japão já descobriu que a droga não é inferior à leuprolide, um dos tratamentos já disponíveis para miomas uterinos.

A AbbAie, em parceria com a Neurocrine Biosciences, está a trabalhar na Elagolix, uma droga que também funciona alterando os níveis hormonais em mulheres com miomas uterinos e endometriose para reduzir a dor associada às condições. Como a Relugolix, a Elagolix é “antagonista do recetor da hormona libertadora de gonadotrofina”. Em setembro do ano passado, a AbbVie submeteu o medicamento para aprovação comercial nos EUA e aguarda resultados.

Esses tratamentos, embora sejam idealmente capazes de tratar a endometriose e miomas uterinos com menos efeitos colaterais do que os atuais, não são ainda as melhores soluções.

“Quando as pessoas perceberem a diferença que podemos fazer nas vidas das mulheres, outras companhias seguirão”, espera Lynn Seely, CEO da Myovant. Para chegarmos lá, mais pesquisas básicas sobre doenças relacionadas com a saúde das mulheres precisam de ser feitas.

Além dessas condições, existem muitas outras que precisam de mais atenção. A Allergan também está a trabalhar em tratamentos para ajudar mulheres que sentem dor durante relações sexuais, enquanto a Myovant investe numa droga para tratar a infertilidade que ainda está em estágios iniciais.

Ainda outras áreas, por exemplo relacionadas com a saúde mental da mulher, como a depressão pós-parto, desesperadamente precisam de alguma inovação.

PARTILHAR

RESPONDER

Greve dos enfermeiros. “Não posso garantir” que não haja pessoas a morrer, diz bastonário

Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, esteve na segunda-feira reunido com vários diretores clínicos de hospitais afetados pela greve dos enfermeiros da área cirúrgica. À saída, foi questionado: "Pode garantir que não haja doentes a …

Buscas na Inspecção-Geral de Finanças após denúncias de subornos e toupeiras

Inspectores da Unidade de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária (PJ) estão a realizar buscas na Inspecção-Geral de Finanças (IGF) em Lisboa, e em instalações dos ministérios das Finanças e da Defesa e também da …

Empresa que facturou 16 milhões tem sede num casebre sem luz

Uma empresa que facturou 16 milhões de euros em 2012 tem como sede uma casa em ruínas, sem electricidade e quase sem janelas, em Mira. Suspeita-se da ligação a uma fraude fiscal com a exportação …

Bruno de Carvalho suspeito de tirar meio milhão de euros ao Sporting

Duas avultadas transferências de dinheiro, que saíram do Sporting a 24 de junho, estão sob suspeita. Estão em causa cerca de meio milhão de euros que terão sido pagos a duas construtoras. Não se sabe exatamente …

Voyager 2 da NASA já entrou no espaço interestelar

Pela segunda vez na história, um objeto feito pelo homem alcançou o espaço entre as estrelas. A sonda Voyager 2 da NASA saiu da heliosfera - a bolha protetora de partículas e campos magnéticos criada …

Bombeiros não informaram Proteção Civil de 50% das ocorrências

O corte de relações entre os bombeiros voluntários e a Proteção Civil está a fazer-se sentir. Os bombeiros não informaram a Proteção Civil de 50% das ocorrências no país. A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) …

Funcionários públicos que continuem no ativo depois dos 70 não vão perder dinheiro

Os trabalhadores da Função Pública com mais de 70 anos que queiram continuar a trabalhar e, que para isso tenham a autorização do Estado, vão passar a receber, além do salário a que têm direito, …

Viagens podem obrigar deputados a entregar novas declarações de rendimentos

Os deputados podem ter de alterar as declarações de rendimentos para incluírem o reembolso das despesas de transporte como “rendimentos do trabalho”. A notícia foi avançada esta manhã pelo Diário de Notícias e surge depois de, …

Portugal já não deve ao FMI. Pagamento antecipado poupa 100 milhões de euros

O ministro das Finanças, Mário Centeno, anunciou que Portugal concretiza esta segunda-feira o pagamento do total da dívida ao Fundo Monetário Internacional (FMI), com a liquidação de 4,7 mil milhões de euros. Numa conferência de imprensa …

37% dos portugueses rezam diariamente. Somos o 9º país mais religioso da Europa

Portugal é um dos países mais religiosos da Europa, ocupando a nona posição, à frente de Itália (13.º) e de Espanha (16.º), com 44% da população a afirmar a sua crença absoluta em Deus. Estes dados …