Director da OMS elogia Portugal. “Reagiu prontamente à pandemia”

Jean-Christophe Bott / EPA

Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus

O líder da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, considera que “Portugal reagiu prontamente à pandemia de covid-19”, mas alerta que o país precisa de manter uma “vigilância contínua para garantir que não haja uma segunda onda”.

Declarações prestadas por Tedros Adhanom Ghebreyesus numa entrevista ao jornal Sol. Em respostas enviadas por escrito ao semanário, o líder da OMS analisa que, em Portugal, “em termos de dados epidemiológicos, temos visto um número decrescente de casos nas últimas semanas, o que reflecte as medidas que as autoridades e a população implementaram”.

“Mas é necessária vigilância contínua para garantir que não haja uma segunda onda e ressurgimento de casos”, alerta, contudo, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Numa entrevista onde nega pressões da China e onde reconhece, diplomaticamente, que os EUA são um forte aliado da Saúde mundial, o líder da OMS reforça “a importância de investir em sistemas de saúde”.

“Os governos devem investir de forma adequada e inteligente nos seus sistemas de saúde, para que as sociedades estejam mais preparadas para prevenir surtos e outras emergências de saúde e para promover a saúde dos seus cidadãos antes que adoeçam”, salienta Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Sistemas de saúde fortes e resilientes são a melhor defesa, não apenas contra surtos e pandemias, mas também contra as múltiplas ameaças que as pessoas de todo o mundo enfrentam todos os dias”, destaca o responsável da OMS.

Neste âmbito, Tedros Adhanom Ghebreyesus lamenta que “prevê-se que mais de 5 mil milhões de pessoas não vão ter acesso a serviços essenciais de saúde até 2030”, incluindo nestas dificuldades a “possibilidade para consultar um profissional de saúde, o acesso a medicamentos essenciais, ou a água corrente em hospitais“.

Ora, este tipo de lacunas “não prejudicam apenas a saúde dos indivíduos, famílias e comunidades; colocam em risco a segurança global e o desenvolvimento económico”, alerta.

Sobre a pandemia de covid-19, Tedros Adhanom Ghebreyesus refere que quando a OMS teve conhecimento do surto a 31 de Dezembro, “sabia que o mundo estava mais bem preparado para surtos de grande dimensão do que em emergências anteriores”. “Mas também sabia que ainda havia grandes lacunas em todo o mundo em termos de preparação”, diz.

Nesta altura, o “foco principal é garantir que os países estão preparados e equipados para impedir que as pessoas sejam infectadas e para cuidar dos que são infectados”, nota.

Tedros Adhanom Ghebreyesus aponta que “precisamos de uma estratégia abrangente para responder a esta doença”, “baseada em vigilância, intervenção em saúde pública, detecção de casos, testes, rastreamento, isolamento e quarentena”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Por George Floyd, milhares de portugueses manifestam-se contra o racismo

Milhares de portugueses manifestaram-se, este sábado, contra o racismo em Lisboa, Porto, Braga, Coimbra e Viseu. Em causa está a morte de George Floyd, nos Estados Unidos. Mais de cinco mil pessoas participaram hoje à tarde …

Touradas regressam quando "estiverem aprovadas regras" pela DGS

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, disse hoje que os espetáculos tauromáquicos vão poder ser retomados “assim que as regras” para esse reinício “estiverem aprovadas pela Direção-Geral da Saúde”, devido à pandemia da Covid-19. Numa visita …

Maddie terá entrado em veículo de matrícula alemã em Espanha após o desaparecimento

Uma testemunha diz ter visto uma criança parecida com Madeleine McCann a entrar numa carrinha de matrícula alemã, em Espanha, acompanhada de um homem, poucas semanas após o seu desaparecimento. A informação consta de um arquivo …

Primeiro dia das eleições do FC Porto com mais de quatro mil votantes

O primeiro dia das eleições do FC Porto não podia ter sido "melhor", estimou Matos Fernandes, presidente da Mesa da Assembleia Geral do clube, relevando que este sábado 4.036 sócios que se dirigiram ao Dragão …

Novo dispositivo produz energia a partir das sombras

Em dias chuvosos e com pouca luz solar, seria uma mais-valia se pudéssemos usar a sombra dos objetos para obter energia elétrica. A solução desenvolvida por Swee Ching Tan, cientista de materiais na Universidade Nacional …

Estômago de dinossauro preservou a sua última refeição durante 110 milhões de anos

Cientistas canadianos analisaram a última refeição de um anquilossauro nodossóide, com 110 milhões de anos, ainda na sua barriga fossilizada. De acordo com o site Science Alert, este dinossauro herbívoro de 1300 quilos – Borealopelta markmitchelli – descoberto …

"Evento raro". Nasceu uma baleia-branca no maior aquário do mundo (e o momento foi gravado)

Whisper, uma baleia-branca de 20 anos, deu à luz uma cria saudável em 17 de maio após uma gravidez de 15 meses, marcando a chegada do mais novo cetáceo do Georgia Aquarium, numa altura em …

Telemóveis são uma ferramenta poderosa contra a desigualdade de género em África

Ao dar às mulheres acesso a informação que, de outra forma, era quase impossível de obter, os telemóveis estão a salvar e a transformar vidas. De acordo com o site IFLScience, o estudo responsável por esta …

Desde março, morreram mais de 100 elefantes no Botsuana. Ninguém sabe porquê

As autoridades do Botsuana estão a investigar a morte de 110 elefantes na região do Delta do Okavango desde março, anunciou esta semana o Ministério do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo daquele …

Um robô aprendeu a fazer uma omelete. E ficou melhor do que o esperado

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, treinou um robô a preparar uma omelete. Para os investigadores, avaliar se um robô cozinhou uma refeição com sucesso é uma fonte interessante de …