/

Dieta com poucos hidratos de carbono pode acabar com as enxaquecas

Pessoas que têm enxaquecas frequentes sabem que qualquer dica é bem-vinda. Aqui vai uma nova: uma dieta com poucos hidratos de carbono pode ser uma boa arma para evitar estas crises.

Desde 1920 que os cientistas têm evidências de que a dieta cetogénica — com altos níveis de gordura, proteína moderada e poucos hidratos de carbono — poderia ajudar a prevenir enxaquecas. No entanto, ainda não era claro se esse efeito estava ligado aos hidratos de carbono em particular ou à consequente perda de peso.

Para investigar esta teoria, uma equipa de cientistas liderada por Cherubino Di Lorenzo, da Fundação Don Carlo Gnocchi, em Itália, comparou os resultados desta dieta com outra com poucas calorias, mas rica em hidratos de carbono. Os resultados foram publicados, no final de julho, na revista Nutrients.

A equipa monitorizou 35 adultos com peso a mais que sofriam enxaquecas frequentes. Numa ordem aleatória, cada um deles passou quatro semanas a seguir uma das duas dietas. Os participantes receberam refeições, como batidos e sopas, que tinham a mesma quantidade de gordura e calorias, mas diferentes proporções de proteínas e hidratos de carbono, dependendo da dieta.

No geral, os participantes perderam a mesma quantidade de peso ao longo do estudo. No entanto, a dieta cetogénica foi muito mais eficaz na prevenção das enxaquecas. Quase 75% dos participantes que seguiram esta dieta viram reduzir o número de enxaquecas, no mínimo, para metade. Enquanto isso, apenas 9% dos indivíduos experimentaram esse nível de melhoria na dieta que era rica em hidratos de carbono.

Em declarações à New Scientist, Di Lorenzo explicou que a dieta cetogénica pode funcionar porque o cérebro está a usar cetonas como combustível ao invés da glicose. Em estudos com cobaias, acrescentou, corpos com estes compostos orgânicos reduziram a inflamação do cérebro e pararam a propagação das ondas elétricas que se acredita serem as causadoras da dor da enxaqueca.

Christina Sun-Edelstein, da Universidade de Melbourne, na Austrália, disse à mesma revista que são necessárias mais pesquisas antes de esta dieta vir a ser recomendada para prevenir este problema.

“Há muitos tratamentos para as enxaquecas que inicialmente parecem funcionar, mas que depois acabam por dececionar. Se se demonstrar que é efetiva e segura em estudos maiores, então acredito que é algo que muitas pessoas estariam dispostas a tentar”.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 30% ou mais da população mundial entre os 18 e os 65 anos dizem ter enxaquecas. Por causa das influências hormonais, afetam três vezes mais as mulheres do que os homens.

Além de ajudar na perda de peso, estudos já mostraram que a dieta cetogénica também é uma boa arma contra condições neurológicas como epilepsia e esquizofrenia.

  ZAP // HypeScience

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.