Descoberto fóssil de macaco que viveu há 4,2 milhões de anos no Quénia

(dr) Carol Ward

O sítio paleontológico de Kanapoi, no Quénia

Uma equipa internacional de investigadores descobriu restos fósseis de um pequeno macaco que viveu no Quénia há 4,2 milhões de anos.

Os responsáveis pela investigação, que será publicada na revista Journal of Human Evolution, são cientistas do Museu Nacional do Quénia e das universidades de Arkansas, Missouri e Duke, nos Estados Unidos.

Segundo a agência EFE, este novo macaco de pequeno tamanho, Nanopithecus browni, teria o mesmo tamanho que o atual talapoim, a menor espécie de macaco vivo do Mundo.

Estes macacos pesam entre 900 gramas e 1,4 quilogramas e fazem parte de um grupo de macacos chamado guenon; o talapoim vive na África central e ocidental e está confinado às florestas tropicais.

Num comunicado de imprensa divulgado pela Universidade de Arkansas, os investigadores referem que os restos fósseis do pequeno macaco foram encontrados no lado leste do continente, no sítio paleontológico de Kanapoi.

De acordo com o mesmo documento, o habitat daquela zona era seco, coberto de pradarias e bosques abertos, um lugar muito diferente das florestas tropicais dos Camarões e do Gabão no Centro-Oeste de África.

Os cientistas referem que foi em Kanapoi que foram encontrados os restos de alguns dos primeiros antepassados humanos, Australopithecus anamensis, que tinham vivido junto dos Nanopithecus browni.

(dr) Carol Ward

A comparação de tamanho entre o guenon (Allenopithecus), à esquerda, com o Nanopithecus browni, ao centro, e um gato doméstico

Citados pela EFE, os investigadores referem que este macaco é o segundo guenon mais antigo encontrado até hoje – os restos fósseis dos mais antigos foram encontrados há uma década na Península Arábica.

A sua datação, combinada com um habitat tão diferente e tão distante dos talapoines modernos, sugere uma evolução muito mais complexa dos macacos guenon do que se pensava anteriormente, de acordo com o estudo.

Além disso, este “enigmático” novo membro da família revela que o seu nanismo surgiu há muito mais tempo do que os cientistas suspeitavam e pode ter ocorrido mais de uma vez, e em habitats muito diferentes, talvez por diferentes razões.

“A descoberta do Nanopithecus browni reafirma a contribuição do Quénia para a compreensão da evolução e da diversidade da fauna do Plioceno e os contextos ambientais em que viviam”, disse Frederick Kyalo, um dos autores.

O nome Nanopithecus browni é uma homenagem ao falecido Francis Brown, investigador da Universidade de Utah, pela sua contribuição para a compreensão da história geológica da bacia de Omo-Turkana, na qual está localizado o depósito de Kanapoi.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Claro ZAP, o talapoim é o mais pequeno macaco do Velho Mundo (Africa, Europa e Asia).
    O Sagui-Pigmeu (Cebuella pygmaea) é que é a menor espécie de macaco do mundo (encontrado na Floresta Amazônica, no noroeste do Brasil e em áreas da Colômbia e Equador, )

RESPONDER

Investigação portuguesa descobriu 14 espécies marinhas com potencial para produção de antibióticos

Uma investigação conjunta da Universidade de Aveiro e da Universidade Católica descobriu 14 novas espécies e um género de fungos marinhos, com potencial para produção de antibióticos, revelou esta segunda-feira fonte académica. "Neste momento, estão a …

Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de …

Homicídios disparam na maioria das cidades norte-americanas durante a pandemia

O número de homicídios cometidos em solo norte-americano disparou na maioria das cidades do país na primeira metade de 2020, comparativamente com o mesmo período do ano passado, revela uma investigação do New York Times. …

Investigadores desenvolvem robô-cientista (e já descobriu um novo catalisador)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, construiu um robô-cientista móvel inteligente, que realiza experiências sem ajuda humana. O novo robô-cientista toma decisões sozinho e já descobriu um novo catalisador. Segundo a …

Sérgio Figueiredo deixa direção de informação da TVI

Sérgio Figueiredo saiu do cargo de diretor de informação da TVI, anuncia a estação de televisão em comunicado enviado às redações. A cessação de funções é efetiva a partir desta sexta (10) e põe fim a …

Dinamarca lança "passaporte covid-19"

O Governo da Dinamarca lançou o "passaporte covid-19", um documento que atesta que o portador do mesmo não teve um resultado positivo ao novo coronavírus recentemente. Deverá ser utilizado em viagens internas ou externas. De …

Mais oito mortes e 342 novos casos. Mais 305 pessoas dadas como recuperadas

Portugal regista este sábado mais oito mortes por covid-19 e mais 342 casos confirmados em relação a sexta-feira, segundo dados da Direção-Geral de Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, há 46.221 casos …

Ainda há esperança para os gorilas mais raros do mundo. Foram fotografados com crias

Os gorilas do rio Cross, os mais raros do mundo, foram fotografados na Nigéria com algumas crias, aumentando a esperança para esta espécie de primatas. A fotografias foram divulgadas por uma organização não-governamental nigeriana, a …

"Já sofreu muito". Trump comuta pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comutou a pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone, que foi condenado em fevereiro a 40 meses de prisão, anunciou sexta-feira a Casa Branca. Roger …

Armas, droga, sucata e prostituição financiam neonazis portugueses (mas lucros não vão todos para a causa)

Os grupos neonazis portugueses são "bastante desorganizados" e financiam-se com dinheiro obtido em negócios ilícitos, como o tráfico de armas, de droga e de mulheres para prostituição e a sucata. Mas os ganhos obtidos não …