Descoberta de cientistas portugueses permite entender melhor formação das galáxias

ESO/WFI; MPIfR/ESO/APEX/A.Weiss et al.; NASA/CXC/CfA/R.Kraft et al.

Imagem de Centaurus-A composta com as imagens de três instrumentos a operar a comprimentos de onda diferentes

Investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) fizeram novas descobertas que permitem compreender melhor a natureza e a formação do núcleo das galáxias espirais, como a Via Láctea, “um enigma de longa data na astronomia extragalática”.

“O conhecimento atual mostrava a existência de dois tipos de bojo (conjunto de estrelas encontrado no núcleo da maioria das galáxias espirais): os bojos clássicos e os pseudo-bojos”, disse à Lusa a investigadora do IA Iris Breda, uma das responsáveis pelo estudo, em conjunto com Polychronis Papaderos.

Segundo a teoria vulgarmente aceite, referida pela cientista, os bojos clássicos foram formados antes do disco e são compostos por estrelas antigas, com cerca de dez mil milhões de anos, enquanto os pseudo-bojos são formados muito lentamente a partir do disco, ao longo da evolução da própria galáxia.

Estes dois cenários, indicou o IA em comunicado, implicam que bojos clássicos e pseudo-bojos tenham “propriedades radicalmente diferentes”. No entanto, apesar de inúmeros estudos realizados nos últimos anos, “este contraste acentuado nunca foi observado”, refere a nota informativa.

Os resultados deste trabalho do IA, publicado o mês passado na revista científica Astronomy & Astrophysics, revelam “fortes indícios” de que os dois tipos diferentes de bojos “não resultam de processos distintos”, contrariando a teoria de formação que prevalecia até à data.

Research Gate

Iris Breda é investigadora do Departamento de Física e Astronomia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

“Ao estimar as propriedades de uma amostra muito representativa de galáxias espirais, a teoria até à data estudada indicava que devíamos encontrar propriedades que se agregassem em dois tipos completamente diferentes”, indicou Iris Breda, também investigadora da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP).

Contudo, o que a equipa encontrou “foi uma continuidade clara e significativamente forte em qualquer uma das propriedades medidas nos bojos”, o que “contradiz fortemente o modelo dos dois cenários distintos de formação”.

“A evolução do bojo é influenciada por uma mistura de processos rápidos e lentos, cuja importância é governada pela massa e densidade de cada galáxia”, contou a cientista.

As conclusões demonstram que “o tempo de formação de bojos é inversamente proporcional à massa total da galáxia: nas galáxias massivas, a formação do núcleo acontece nos primeiros quatro mil milhões de anos, enquanto nas de menor massa a formação ainda está a decorrer, a um ritmo lento”, explicou ainda Iris Breda.

Para a obtenção destes resultados, o grupo analisou 135 galáxias, o que equivale a aproximadamente meio milhão de espectros, de modo a ter resolução suficiente para verificar a história de formação estelar do disco e do núcleo, separadamente.

A equipa recorreu a ferramentas computacionais e a um instrumento desenvolvido no âmbito do projeto espanhol CALIFA, que permite registar simultaneamente milhares de espetros por galáxia, produzindo assim uma visão tridimensional das estrelas e gás ionizado de cada galáxia, acrescenta o comunicado.

ZAP // Lusa / IASTRO

PARTILHAR

RESPONDER

Um dos maiores sites de dados sobre a covid-19 na Austrália é, afinal, gerido por adolescentes

Aproveitando o momento em que passaram a integrar as estatísticas que os próprios fazem chegar diariamente à população australiana, o grupo de três jovens revelou a sua identidade para surpresa de muitos dos seus seguidores. …

Mais cinco mortes e 713 casos confirmados em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais cinco mortes e 713 casos confirmados de covid-19, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este sábado registaram-se mais cinco mortes e 713 novos casos …

Dirigente da Huawei detida no Canadá pode voltar à China após acordo com EUA

A justiça dos EUA aceitou hoje o acordo entre o Departamento da Justiça e a Huawei, que vai permitir à filha do fundador e diretora financeira do conglomerado chinês de telecomunicações regressar à China. Uma juíza …

Depois do coro de críticas, brasões da Praça do Império passam do jardim para a calçada

Os brasões florais que representam as capitais de distrito e as ex-colónias portuguesas vão mesmo ser retirados da Praça do Império, em Lisboa, mas passarão a estar representados em pedra da calçada. É a solução …

Vulcão, La Palma

Aeroporto de Las Palmas inoperacional devido à acumulação de cinzas

O aeroporto de La Palma, na Ilha de Tenerife, nas Canárias, está inoperacional por acumulação de cinzas, resultante da erupção do vulcão Cumbre Vieja, informou hoje a empresa gestora dos aeroportos e do tráfego aéreo …

Siza Vieira reforça que é "trabalho" dos Bancos discutir com os clientes o reembolso das moratórias

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, reforça que cabe aos Bancos "discutir com os seus clientes que têm moratórias nos sectores mais afectados" pela pandemia o reembolso das dívidas após o fim destes mecanismos …

Domingos Soares de Oliveira de saída do Benfica

Além de João Varandas Fernandes e José Eduardo Moniz, o administrador Domingos Soares de Oliveira também não vai integrar a lista de Rui Costa para as próximas eleições. Rui Costa confirmou na terça-feira que é candidato …

Depois do Bayern, Barcelona também está atento a Luis Díaz

Luis Díaz continua a somar boas exibições e clubes interessados na sua contratação. Agora fala-se do desejo do Barcelona em contratar o colombiano em janeiro. Luis Díaz atravessa um momento de forma excecional ao serviço do …

Fuse Valley, Matosinhos

Está a nascer em Matosinhos a Silicon Valley portuguesa (e até Siza Vieira está "espantado")

O "Fuse Valley" promete ser a Silicon Valley portuguesa, em Matosinhos, num empreendimento inovador da Farfetch e da Castro Group que até deixa o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, "espantado". A abertura está prevista …

Portugal aguarda "luz verde" da EMA para avançar com terceira dose aos idosos

Portugal aguarda a autorização da Agência Europeia de Medicamentos para avançar com a administração da terceira dose da vacina contra a covid-19 a maiores de 65 anos. Com base nos resultados de dois grandes estudos científicos …