Desastres naturais fizeram mais de 22 mil mortos em 2013

Rj Luckyone / Facebook

Passagem do super tufão Haiyan nas Filipinas

Passagem do super tufão Haiyan nas Filipinas

Os desastres naturais fizeram mais de 22 mil mortos no ano passado, com o tufão Haiyan, que devastou as Filipinas, a figurar como o mais mortífero, revelou a Cruz Vermelha.

No relatório anual sobre catástrofes naturais, divulgado esta quinta-feira, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC, na sigla em inglês) alerta que as perspetivas se afiguram sombrias.

Sublinhando que as mudanças climáticas têm vindo a conduzir a danos na subsistência e ao aumento das vulnerabilidades, o chefe da IFRC, Elhadj As Sy, adverte que “os perigos naturais também se estão a tornar mais frequentes e extremos”.

“As resultantes tensões nos sistemas social, físico e económico estão a mudar o mundo para uma nova era de risco”, afirmou.

O tufão Haiyan, que em novembro de 2013 devastou a cidade filipina de Tacloban e as zonas ao seu redor no leste da província de Leyte, encabeça a lista de desastres naturais, já que fez pelo menos 7.986 mortos, de acordo com os dados da IFRC.

No segundo lugar do ranking dos desastres naturais mais mortíferos figuram as cheias devido às monções na Índia que, meses antes, em junho, deixaram um rasto de 6.054 vítimas.

O número total de mortos em desastres naturais foi de 22.452, valor muito abaixo da média anual de 2004-2013 de 97.954.

O balanço também fica muito longe do pico anual da década registado em 2004, ano em que morreram 242.829 pessoas, a maioria na sequência do sismo e tsunami que atingiu o Oceano Índico.

O universo de pessoas afetadas por catástrofes naturais em 2013 – quase cem milhões, predominantemente na Ásia – foi também o mais baixo da década.

Contudo, o editor-chefe do relatório, Terry Cannon, ressalva que os números são apenas parte da história: “Os grandes perigos e desastres distribuem-se de uma forma aleatória. Por isso, comparar dados em termos anuais homólogos não é muito útil”.

O que os números podem revelar, defendeu, é a capacidade de um país para gerir a catástrofe. A título de exemplo, 36 pessoas morreram quando o ciclone Phailin atingiu a Índia há um ano.

Milhares de vidas foram salvas graças a um abrangente programa de redução de riscos que inclui planos de evacuação preventiva repetidos esta semana com o ciclone Hudhud.

Com riscos cada vez mais controlados, o difícil é voltar ao normal

As rápidas mudanças económicas, o crescimento populacional e a urbanização nos países em desenvolvimento colocam mais perigos no caminho, com os especialistas a advertirem que as alterações climáticas, impulsionadas pelas emissões de gases com efeito de estufa, estão a causar fenómenos meteorológicos cada vez mais frequentes e extremos.

Além de traçarem planos de redução de risco, governos e agências de ajuda humanitária precisam de fazer mais esforços para compreender as vidas das pessoas nas zonas de perigo, disse Cannon.

“A grande maioria das pessoas não morre ou sofre nos desastres. Sofre por causa dos problemas da vida do dia-a-dia, independentemente de serem água de má qualidade, fraca nutrição ou má saúde”, salientou.

“As pessoas não dão prioridade aos graves desastres. Elas vão destacar os problemas do seu quotidiano: a saúde, malária, abastecimento de água, falta de comida, falta de emprego”, acrescentou.

De acordo com o mesmo relatório, citado pela agência AFP, os desastres naturais ocorridos em 2013 traduziram-se em prejuízos económicos estimados em 119 mil milhões de dólares, o quarto valor mais baixo da década.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Falta de funcionários. Brandão Rodrigues responsabiliza algumas escolas por atraso no processo

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, lembrou que algumas escolas demoraram a iniciar o processo de contratação de funcionários, garantindo que atualmente há muito mais assistentes e novas formas de colmatar as necessidades dos …

Cientistas inventam novo método para testar neurotoxinas letais sem usar cobaias

Os testes em animais não vão ser mais precisos relativamente a um grupo de neurotoxinas mortais, graças a uma nova investigação da Universidade de Queensland, na Austrália. Por mais benéfica que a Ciência seja para a Humanidade, …

México concede asilo a Morales. Ex-Presidente da Bolívia promete regressar "com mais força"

O ex-Presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou na segunda-feira que está de partida para o México, país que lhe concedeu asilo político, mas prometeu regressar brevemente "com mais força e energia", um dia depois de …

Avós e tios do bebé encontrado no lixo vivem em Portugal

Os avós e os tios do bebé recém-nascido encontrado, na semana passada, num caixote do lixo, em Lisboa, vivem em Portugal e já foram contactados pelo embaixador cabo-verdiano. Em declarações ao jornal Público, o embaixador Eurico …

Aranhas e formigas inspiram metal que não se afunda

Cientistas criaram um metal altamente hidrofóbico que não se consegue afundar. As possíveis aplicações deste material estão a entusiasmar a comunidade científica. A tradição de os humanos se inspirarem nos animais e na natureza para algumas …

Hubble capta uma galáxia que tem 12 clones no céu

O telescópio espacial Hubble captou uma galáxia que parece ter sido duplicada várias vezes, aparecendo em regiões distantes do Universo. A galáxia, apelidada de Sunburst Arc, fica a a quase 11 mil milhões de anos-luz da …

Exoplanetas, explosões de estrelas e mais de mil objetos desconhecidos. Vídeo da NASA mostra "a beleza da paisagem cósmica"

https://vimeo.com/371950351 A NASA revelou esta terça-feira um panorama em vídeo do céu austral (hemisfério celestial sul), construído graças a 208 imagens captadas pelo caçador de planetas TESS (Exoplanets in Transit) durante um ano. Em comunicado, a …

John Cleese esgota três coliseus em 48 horas

John Cleese vai estar no Coliseu de Lisboa com “Last Time To See Me Before I Die” durante três dias. O humorista britânico esgotou as três datas em apenas 48 horas. Durante esta madrugada (10), a …

Descoberta no Egito múmia de grande animal semelhante a um leão

O Ministério das Antiguidades egípcio anunciou esta segunda-feira que uma equipa de arqueólogos desenterrou uma múmia de um grande animal incomum, semelhante a um leão ou uma leoa. “É um animal muito estranho, como um gato …

Ex-agentes da DEA revelam detalhes da vida de Escobar na prisão que o próprio construiu

Dois dos agentes do DEA, que durante mais de um ano participaram na operação de captura de Pablo Escobar, revelaram alguns detalhes sobre a vida do narcotraficante e ex-líder do cartel de Medellín na prisão La …