Degelo é alerta “apocalíptico” para novo evento de extinção em massa na Terra

-

As razões daquele que é considerado o pior evento de extinção em massa da Terra, que ocorreu há 250 milhões de anos, não estão totalmente esclarecidas, mas um novo estudo reforça o papel do aquecimento global nesse acontecimento e alerta para os riscos de voltar a suceder o mesmo, na nossa era.

Há várias teorias sobre o que provocou o grande evento de extinção em massa que aniquilou cerca de 90% das espécies da Terra, há 250 milhões de anos, passando pela queda de um meteorito até mega-erupções vulcânicas.

Mas uma nova investigação levada a cabo por cientistas de Canadá, Itália, Alemanha e EUA apurou que afinal, foi tudo culpa do aquecimento global.

Este estudo publicado no jornal Palaeoworld salienta que, na altura, durante o chamado período Permiano, o aquecimento global generalizado do planeta levou as temperaturas médias a chegarem aos 29 graus centígrados, enquanto actualmente, rondam os 15 graus.

Esta pesquisa considera que erupções vulcânicas verificadas no fim do Permiano provocaram o aumento do dióxido de carbono no ar, o que levou ao aumento das temperaturas em 8 graus centígrados.

Isto provocou que grandes quantidades de metano que se encontravam no permafrost, ou pergelissolo, ou seja, o tipo de solo permanentemente gelado que se encontra no Ártico, e no leito do mar se fundissem, provocando o aumento das temperaturas até níveis “letais para a maioria da vida na terra e nos oceanos”, consideram os investigadores.

“Com base em medições de gases presos na calcite [mineral] biogénica e abiogénica, a libertação de metano (de 3%-14% do total C) do permafrost e do metano hidratado [o seu estado gelado] dos sedimentos marinhos é considerada a última fonte e causa da mudança dramática para a vida do aquecimento global” que se observou no fim do período Permiano, atesta-se no estudo.

“O aquecimento global despoletado pela libertação massiva de dióxido de carbono pode ser catastrófico, mas a libertação de metano hidratado pode ser apocalíptica“, consideram os mesmos cientistas.

Isto significa que se a emissão de dióxido de carbono cumpriu um papel importante no grande evento de extinção em massa, foi o degelo que deveras, foi protagonista para aquele desfecho, conclui esta pesquisa.

Os cientistas concluem, deste modo, que a história do fim do Permiano “abarca uma importante lição para a humanidade“, especialmente no capítulo das emissões de gases com efeitos de estufa, do aquecimento global e das alterações climáticas, assuntos que nos são tão caros na actualidade.

E se há cientistas que encaram esta investigação intitulada “Hidrato de Metano: a causa fatal da maior extinção em massa da Terra” como demasiado fatalista, há também quem reconheça que estamos perante uma “ameaça muito real e muito séria” e que “tem sido desvalorizada pelo Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas”, como reconhece o professor Peter Wadhams, director do Grupo de Física do Oceano Polar da Universidade de Cambridge, no Reino Unido.

Em declarações ao jornal The Independent, Wadhams considera que “se houver uma libertação grande de metano, que é agora possível devido à instabilidade dos hidratos de metano por baixo dos sedimentos continentais árcticos, isso poderá, facilmente, dar origem a um impulso muito grande” nos níveis de temperatura do planeta, com as inerentes consequências indesejadas em termos de aquecimento global.

Com “uma libertação de 50 giga-toneladas, cerca de 8% do metano hidratado”, verificar-se-ia uma subida imediata de “0,6° C de aquecimento global, o que é de facto um muito grande impulso”, alerta Wadhams.

Sérios avisos que não podem deixar a comunidade científica, nem os governos mundiais indiferentes, tanto mais quando o gelo nos pólos atingiu o valor mais baixo de sempre, desde que há registos.

Susana Valente SV, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Sporting 2-1 Santa Clara | Super-Coates volta a ser herói

Arrancado a ferros… à campeão? O Sporting esteve a poucos segundos de registar o terceiro empate em casa, perante um Santa Clara que não foi em nada inferior aos “leões” e até conseguiu ser superior em …

Os gatos demonstram ser menos leais do que os cães (mas pode haver uma razão)

Ainda existe um estereótipo sobre a diferença entre cães e gatos. Normalmente as pessoas associam os cães a animais amorosos e leais, enquanto os gatos são tidos como distantes e indiferentes. Um novo estudo pode …

O mistério do "lago dos esqueletos" na Índia intriga cientistas há décadas

O Roopkund, localizado na parte indiana dos Himalaias, é um lago glacial com centenas de ossos humanos. E ninguém sabe como foram lá parar. Em 1942, um guarda florestal revelou ao mundo a existência deste lago …

A fronteira mais importante da China é imaginária: a Linha Hu

A Linha Hu, também conhecida como linha Heihe-Tengchong, é uma linha imaginária que divida a China em duas partes com áreas quase iguais. Estende-se da cidade de Heihe até Tengchong. Desenhada pela primeira vez em 1935, …

Algumas pessoas moram em aeroportos durante meses (ou até mesmo anos)

Aeroportos não servem de casa apenas para os sem-abrigo. Há pessoas que, involuntariamente ou não, ficam lá durante meses e, em alguns casos, até mesmo anos. Em janeiro, as autoridades de Chicago prenderam um homem de …

Senado da Carolina do Sul aprova fuzilamento como método de execução

Com esta decisão, a Carolina do Sul poderá converter-se no quarto estado do país a incorporar este método de execução de pena de morte, depois do Utah, Oklahoma e Mississípi. De acordo com a agência noticiosa …

"Oxigénio tornou-se ouro". Criminosos lucram com a sua escassez no México

A pandemia de covid-19 deixou a Cidade do México a atravessar uma grande escassez de oxigénio médico. Criminosos estão a aproveitar para lucrar com a situação. A capital mexicana registou um pico de infeções e hospitalizações …

Meteorito do tamanho de um damasco caiu em França (e os astrónomos precisam de ajuda para encontrá-lo)

Os entusiastas do Espaço estão a ser instados a procurar um meteorito do tamanho de um damasco que caiu no fim de semana passado no sudoeste de França.  O meteorito, com peso estimado em 150 gramas, …

Professora pediu a alunos para fingir que eram escravos e escreverem carta para África

Uma professora de uma escola secundária no Mississippi, nos Estados Unidos, está a ser alvo de críticas devido a uma fotografia de um trabalho de casa divulgada nas redes sociais. Foi pedido aos alunos do 8.º …

Obra de Churchill que pertencia a Angelina Jolie vendida por valor recorde

O quadro pintado pelo antigo primeiro-ministro britânico foi vendido por 8,3 milhões de libras. A pintura foi um presente de Winston Churchill para o presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt, e agora foi leiloada …